Arquivo da tag: Batman

Personagem de Batman Eternamente é mencionada em HQ mensal do Batman

Não parece ser um par romântico.


Batman Eternamente dividiu o público, e começou a derradeira vida do Batman no cinema com Joel Schumacher. Apesar do filme não ser tudo o que era para ser, não impediu que os quadrinhos mais recentes utilizassem uma importante personagem do filme. 

Anúncios

Na edição #108 de Batman, na nova fase Infinite Frontier, a DC permite um easter-egg de Batman Eternamente. Enquanto Oráculo vê o prefeito Nakano falar sobre o incidente do Espantalho, e em um momento, o nome Dr. Meridian aparece, dando uma entrevista. No filme de 1995, a Dra. Chase Meridian (Nicole Kidman) fez parte na vida de Bruce (Val Kilmer), e era uma das únicas pessoas que sabia sobre a identidade do Batman.Batman-Chase-Meridian-1-1

A edição escrita por James Tynion IV não deixa explícito se é a mesma Dra. Meridian do filme, apesar de fazer menção ao sobrenome, e também não mostra seu rosto. Porém, é uma boa menção, podendo fazer a personagem aparecer mais vezes durante os quadrinhos.

Batman #108 foi escrita por James Tynion IV, e teve Jorge Jimenez na arte, junto com Tomeu Morey na coloração.


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Review: Future State | Detetive das Trevas #3 (2021)

Batman vs O Novo Batman.


Detetive das Trevas, uma das minisséries do evento Future State da DC Comics, já chegou ao seu final nos Estados Unidos, mas aos poucos, as edições chegam ao Brasil. Em uma nova edição, Bruce continua fazendo descobertas do Magistrado, enquanto tem uma visita inesperada de um velho conhecido: O Batman.

Anúncios

Na terceira edição de Detetive das Trevas, o arco de Bruce escrito por Mariko Tamaki, foca no herói tentando coletar mais informações sobre a rede de vigilância do Magistrado. A organização controla tudo e olhas todos. Apesar das descobertas, o novo Batman tenta intimidar Bruce, aparecendo de uma forma não tão cordial – aliás, Tim Fox consegue ser um Batman péssimo. Restará para o último capítulo mostrar o que espera Bruce, e se o Magistrado terá seus planos revelados para Gotham.

qmnwDgTVv2uE5W5LpjCokd-1200-80

Pulando do arco de Batman para o final de Bandoleiro de Matthew Rosenborg, a Caçadora consegue prestar ajuda – nem tanto – para Cash Cole, vigilante mascarado que foge do Magistrado. A história de apoio é um pouco mais bagunçada do que a primeira publicada, e torna o Bandoleiro como um simples vigilante, ao lado da Caçadora, impulsiva e feroz. Todo o plano de sair de Gotham foi por água abaixo por conta de Luke Fox – que, aliás, é um personagem totalmente inadaptado e entendiante para a história.

A arte de Dan Mora para a história principal é excelente, com cores mais escuras e vibrantes de Jordie Bellaire, transformando Gotham Noir em uma Gotham Cyberpunk. É uma estética única para a minissérie, que possui traços mais detalhados e cuidadosos para a história principal.

FS-Dark-Detective-3-More-Gotham

Detetive das Trevas #3 continua mostrando o Magistrado no percalço do Batman, e de outros vigilantes. O roteiro, que facilita um pouco a situação do inimigo e dificulta a do herói, foge dos clichês de uma possível luta entre heróis, e abraça o estilo futurístico  para um quadrinho da DC.

Dark-Detective-3


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Batman: O Longo Dia das Bruxas escala elenco de voz

Troy Baker retorna no papel de Coringa.


A animação inspirada na obra de Jeph Loeb, Batman: O Longo Dia das Bruxas, ganhou sua primeira imagem e também teve seu elenco de voz revelado. Entre o elenco dos dubladores está Naya Rivera, estrela de Glee que morreu em julho passado (via THR). Veja todo o elenco abaixo e a primeira imagem da animação:

Anúncios

Jensen Ackless (Batman), Josh Duhamel (Harvey Dent), Billy Burke (James Gordon), Titus Welliver (Carmine Falcone), David Dastmalchian (Homem-Calendário), Troy Baker (Coringa), Naya Rivera (Mulher-Gato)Amy Landecker (Barbara Gordon), Julie Nathanson (Gilda Dent), Jack Quaid (Alberto Falcone), Fred Tatasciore (Grundy) e Alastair Duncan (Alfred)

LH1-1-copy-1617139565-928x523

Rivera, a atriz falecida, completou o trabalho de voz nas duas partes da animação. Os dubladores originais do Batman e Coringa, Kevin Conroy e Mark Hammil, respectivamente, ficam de fora.

Warner Bros. Animation, encarregada da produção do filme, pretende lançá-lo em duas partes, como fez com O Retorno do Cavaleiro das Trevas. A primeira parte está prevista para chegar no inverno  de 2021, enquanto a segunda parte na primavera – visando o Brasil, já que nos Estados Unidos, será verão e outono, respectivamente.

Publicado pela DC Comics entre 1996 e 1997, Batman: O Longo Dia das Bruxas teve o roteiro de Jeph Loeb, com arte de Tim Sale. A história do quadrinho traz o Detetive em um caso incomum, que envolve assassinatos apenas em feriados. O grande mistério do assassino leva Batman a unir forças com o promotor Harvey Dent, e o tenente James Gordon, que buscam capturar Holiday antes que seja tarde demais.

Por enquanto, a DC ainda não anunciou uma data oficial para a animação estrear.


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Snyder Cut | Zack Snyder revela que cena final seria com outro herói

Outro personagem estaria conversando com Bruce.


A Liga da Justiça de Zack Snyder é um dos assuntos mais em alta em todo o mundo, e o diretor continua comentando sobre sua obra. Em uma entrevista ao Entertainment Weekly, o diretor revelou que a cena final em que Bruce conversa com o Caçador de Marte, não teria o marciano e originalmente, outro herói iria conversar com o Batman.

Anúncios

“Originalmente, era praticamente a mesma cena que Bruce fez na casa de vidro, mas era um personagem diferente. Não vou dizer com quem neste momento, mas foi um personagem diferente com quem ele falou. Havia outro personagem lá, mas era essencialmente a mesma cena com um diálogo muito semelhante, falando sobre ‘Há uma guerra chegando e eu quero entrar para a Liga da Justiça’, mas não era o Caçador de Marte”, contou o diretor.

O diretor não revelou qual poderia ser o herói, mas podemos pensar diretamente no Lanterna Verde, podendo ser Hal Jordan ou qualquer outro. Pelo fato de Hal Jordan ser um dos Lanternas mais poderosos, e também por estar a par de tudo o que acontece, ele seria uma boa aposta. Vimos apenas Yalan Gur em ação, sendo morto por Darkseid na primeira invasão e o anel indo escolher outro ser apto a colocá-lo. Nos quadrinhos, Abin-Sur seria esse ser, e depois, Hal Jordan.

Snyder ainda afirmou que o Caçador de Marte teria mais aparições no decorrer de suas sequências planejadas para a Liga da Justiça:

“Ele [Caçador de Marte] é um personagem superpoderoso, e nós esperávamos que alguns Lanternas Verdes aparecessem, e teríamos uma miscelânea inteira da DC [vilões]. Darkseid, ele tem uma série de personagens malucos que teriam vindo com ele para a Terra para lutar.”

Com a direção de Zack Snyder, o elenco conta com Ben Affleck (Batman)Gal Gadot (Mulher-Maravilha)Henry Cavill (Superman)Ray Fisher (Cyborg)Ezra Miller (Flash)Jason Momoa (Aquaman)Amy Adams (Lois Lane) e Diane Lane (Martha Kent).

Liga da Justiça de Zack Snyder está disponível no HBO Max nos Estados Unidos. No Brasil, o filme pode ser alugado até abril por R$ 49,90 nas seguintes plataformas: Apple TV, Claro, Google Play, Looke, Microsoft, Playstation, Sky, Uol Play, Vivo e WatchBr.

Fique ligado no Critical Room para mais atualizações do Snyder Cut, e seguindo nosso Instagram e se inscrevendo em nosso canal no YouTube.


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Crítica: Liga da Justiça de Zack Snyder (2021)

 Aviso: Crítica sem spoilers!


Épico, grandioso e brutal. A Era de Heróis de Zack Snyder tem seu fim.


Após o infame e desastroso filme da Liga da Justiça em 2017, que teve Joss Whedon no comando, os fãs da DC Comics, que estão mergulhados no universo da editora, ficaram descontentes com o produto final, que não foi tão satisfatório assim. Todo o problema que o filme envolveu, com uma produção totalmente bagunçada, refilmagens gerais e um encurtamento de duração, fizeram com que os fãs do diretor Zack Snyder levantassem a famosa hashtag nas redes sociais: Release The Snyder Cut. Uma grande luta que foi vista pelo diretor, o fez incrementar partes de seu filme, e após quase um ano de ser anunciado, seu corte oficial para a Liga da Justiça foi finalmente lançado!

Você pode não gostar do diretor, mas não pode negar o fato dele ter conseguido uma grande façanha, e de que esse corte, é muito mais memorável quanto ao que foi “jogado” no cinema. Essa realmente é a palavra, “jogado”, sem necessidade de melhorias, às pressas, para que o calendário de 2017 pudesse ser cumprido. Com um resultado muito abaixo do esperado com Liga da Justiça, a DC Films e Warner Bros. se viram à mercê de um caminho sem volta para um universo compartilhado; vindo desde Homem de Aço até Mulher-Maravilha, unindo-os para o filme da maior equipe dos quadrinhos. Com grande orçamento e uma bilheteria abaixo do esperado, o bilhão, a ideia que Snyder teve foi excluída, até os fãs conseguirem uma grande façanha junto do diretor, o lançamento de seu corte. É, de fato, um grande sucesso, que chegou a fazer a HBO Max sair do ar por alguns instantes nos Estados Unidos. É aqui que você percebe que o mundo precisava do filme, e da verdade omitida durante anos.

Zack Snyder introduz e dá mais vez ao Cyborg (Ray Fisher), colocando-o como ponto focal do longa, visto que o mesmo foi construído a partir de uma Caixa Materna. Há uma apresentação bem mais segura e precisa, com sua relação com seus pais e sua paixão pelo futebol americano. Com o Flash (Ezra Miller), também há uma construção mais favorável, ligando um pedaço de sua origem que é com seu pai Henry Allen (Billy Crudup) e sua migração na Liga da Justiça. E claro, fechando o ciclo de apresentações por parte dos heróis, o Aquaman (Jason Momoa) está em toda sua forma, puxando um gancho com seu filme, ao ver sua relação com Mera (Amber Heard) e Vulko (Willen Dafoe). É algo bem diferente do proposto no corte final que foi para os cinemas, dando as estes personagens como já estabelecidos, o que não é o caso.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Batman (Ben Affleck) e Mulher-Maravilha (Gal Gadot) estão em sua performance total para com seus personagens, e bem encaixados na trama, assim com Lois Lane (Amy Adams), que serviu de coração para o filme de 2017. Para o Snyder Cut, Lois foi mais amistosa, com menos tempo de tela, mas importante. O foco é maior nos três novos heróis citados no parágrafo anterior, além de vermos uma boa visibilidade na importância de Alfred (Jeremy Irons) para com os heróis; que, ao invés de trazer Bruce como fez em Batman vs Superman, o papel se inverte e é Bruce quem o traz para o mundo atual.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Retratar vilões poderosos para os cinemas não é um trabalho muito fácil, mas Snyder conseguiu transformar Darkseid e o Lobo da Estepe (Ciarán Hinds) em vilões com objetivos. Claro que seu tio, Lobo da Estepe, tinha objetivo no relance de Joss Whedon, mas era genérico por não possuir uma motivação clara, algo que se cai por terra no Snyder Cut. Não estão apáticos, amigáveis ou sorrindo de prazer em querer matar, mas, estão atrás de um objetivo, sem se desviar do caminho e descobrindo um antigo sonho do líder supremo de Apokolips. Além destes, há um papel menor para DeSaad, bem colocado na trama, e claro, um vislumbre magnífico do salão principal de Apokolips.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Visualmente falando, o filme é magnífico, com uma fotografia invejável, méritos do diretor, que nunca falha nesse quesito e poderia muito bem merecer um prêmio por isso. O CGI, no tempo decorrente do filme que dura 4 horas, consegue ser superior ao enfadonho bigode do Superman (Henry Cavill), ou ao mal finalizado Cyborg. O processo de novas cenas adicionais, com o Knightmare, também é louvável, mas nada tão espetacular do que foi visto antes, e possui uma pequena queda na qualidade de computação gráfica, que não estraga a experiência.

Uma outra questão a ser abordada é a trilha sonora de Junkie XL, que mistura a ação com o épico, mas não é memorável. A melodia com as Amazonas e a Mulher-Maravilha é algo a ser bem lembrado, e com certeza a melhor faixa sonora, ao lado das faixas sonoras focadas no Superman mas, mesmo com cenas marcantes, a trilha sonora não acompanha em todo o filme. Ela não consegue criar uma atmosfera dramática que consegue engradecer o filme como em Batman vs Superman ou Mulher-Maravilha. Tem seu valor, assim como a de Danny Elfman, que rebusca o clássico e algo caricato, e Junkie XL, cria algo mais épico e com ações envolventes. Há pontos negativos que se referem ao roteiro, um erro cometido que pode incomodar um pouco, claro, mas não leva o filme por água abaixo.

Abrindo um pequeno espaço para o Knightmare, que fora concluído e com um gancho sendo mantido para o futuro, é uma cena totalmente fora do nosso habitual. Estamos acostumados a ver Injustice, com o mundo dividido entre Batman e Superman, mas não como o Superman sendo controlado por Darkseid. A cena possui um grande peso para o epílogo, que mostra a visão de Bruce de um mundo totalmente distorcido. Não foi colocada como uma cena qualquer, possuindo sentido e conexão com Batman vs Superman, e que serviria de gancho para os próximos filmes da franquia. Poderia haver, sim, um pouco mais do Knightmare, deixando o sabor amargo do “quero mais”, mas, isso poderá ser desenvolvido até mesmo em The Flash, caso seja possível.

Eve3ApTXAAU6emx

Eu não poderia deixar de falar do Superman, é claro, e sua volta dos mortos, sendo uma forma para fechar com chave de ouro. Se pegarmos a visibilidade que tivemos em Homem de Aço e o temperamento de Clark Kent, misturarmos com a personalidade quebrada e endeusada do super-herói em Batman vs Superman e jogarmos em Liga da Justiça, veremos ele em sua total forma. Snyder começa a construir com o filme solo do Escoteiro uma trama, que seria desenvolvida contra o Batman num filme seguinte, com uma equipe no final. Ligeiramente, a personalidade questionável em Batman vs Superman, deixe em aberto uma questão: O Superman é realmente bom? O Snyder Cut prova que sim, em seu retorno e reconstrução do herói a partir de Homem de Aço, como se esquecesse sua melancolia para com as pessoas em seu filme seguinte. O paralelo narrativo feito por seus dois pais, com a semelhante cena de voo de seu filme solo, é um manjar dos deuses, e talvez um dos momentos mais épicos, se não, o momento mais épico, mostrando a total performance de Henry Cavill para com o Superman, que agora está com seu arco finalizado, sendo agora uma fonte de esperança para o mundo novamente.

Ewd689iXEAEQGAR


Veredito

A Liga da Justiça está em sua total glória, com uma premissa contra deuses e subtramas dramáticas, que apresentam o essencial para que a equipe seja unida ao longo do filme. Zack Snyder conseguiu realizar sua grande obra, e tornou ela realidade para os fãs, mesmo que muitos tenham achado que o corte original não existia. A paleta de cores usada pelo diretor beira ao mais escuro, representando a profundidade, perca de esperança e ceticismo que existia na humanidade.

Com um elenco de peso e convincente, atuando de forma igual para seus personagens, e um roteiro profundo, que explora cada perda e o lado pessoal dos heróis ainda não desenvolvidos, o Snyder Cut entrega tudo o que prometeu e muito mais. Mesmo que possa haver uma ou outra inconsistência por parte da personalidade de um herói, ou mesmo, em alguma cena, todo o filme é um épico brutal, que é magnífico visualmente, e denota a importância da Liga da Justiça para a DC Comics. É o filme que a Liga da Justiça merece.

8,5/10.


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Review: Batman/Mulher-Gato #3 (2021)

Nova personagem é apresentada a Gotham.


Em mais uma edição de Batman/Mulher-Gato, Tom King continua mostrando a última cruzada do Batman com Selina Kyle, antes de se despedir do personagem e encerrar seu grande arco proposto desde a fase do Renascimento. Se a ideia é confundir ainda mais os leitores com três linhas temporais diferentes, ele conseguiu, mas a história fica ainda mais interessante à medida que os heróis vão desvendando novos mistérios.

Anúncios

Com a primeira edição tendo sido lançada ainda no final de 2020, e a segunda em janeiro, a terceira abre fevereiro com o pé direito, abordando um futuro de Gotham sem o Batman e o Coringa, dois lados da mesma moeda. A nova edição abre com dois personagens que ainda não tinham aparecido, Helena Wayne e Dick Grayson. Helena é filha do casal mais rico de Gotham, e também atua como a nova Batwoman, usando um traje ao estilo Batman, e utilizando os métodos de seus pais. Dick, o Asa Noturna, agora é o comissário de polícia da cidade, e usa suas habilidades aprendidas com Bruce ao longo dos anos em seu distrito. Ambos formam uma dupla, assim como Batman e o comissário Gordon já formaram.

batmancatwoman3-c
Divulgação/DC Comics

Além de fazer referência à Batman – A Máscara do Fantasma, Tom King não deixa de colocar o bat-sinal, agora, na parede de um dos prédios da cidade, como Frank Miller fez em O Retorno do Cavaleiro das Trevas. Entre tantas e outras referências, Helena está perto de descobrir quem matou um idoso, conhecido como um dos grandes vilões da galeria do Batman. É claro que Selina finge não saber do que se trata, mas percebe-se a tensão e o clima de suspense que envolve mãe e filha, com Helena já tendo suas suspeitasse concluindo.

Como foi dito no primeiro parágrafo, King aborda três linhas temporais diferentes, sendo o início de Bruce com Selina, um relacionamento se estabelecido logo após, e um futuro onde o guardião de Gotham não existe mais. Nessa terceira edição, há uma maior abordagem no mistério do que na ação, com poucas aparições do Fantasma, vilão principal que move a trama.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Entretanto, quando a ação é necessária, ela é bem ilustrada por Clay Mann, que traz uma arte impecável do ambiente e dos personagens, com uma coloração de Tomeu Morey, utilizando sempre cores mais escuras para demonstrar que Gotham ainda é um lugar sem coração. A arte detalhada é o grande ponto da minissérie até então. 

Com um roteiro profundo, que apesar de confuso, consegue conectar todos os pontos de uma forma surpreendente, utilizando de três linhas temporais diferentes, Batman/Mulher-Gato #3 é a edição mais misteriosa até o momento. Com Tom King comandando a equipe criativa, o quadrinista desenvolve uma parte futura, na qual o Batman deixou de viver, e agora seu legado deve continuar sendo mantido, para que ainda haja esperança em Gotham.

large-4818200


Aproveite

Ganhe 44% de desconto na graphic novel Batman: O Longo Dia das Bruxas – parte 1 na Amazon. Para comprar, clique aqui.


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Review: Future State | Detetive das Trevas #2 (2021)

Jornada de Bruce Wayne contra o Magistrado continua.


Qual é o preço da morte? Na segunda edição da minissérie Detetive das Trevas, do Future State, o Batman tem que descobrir todos os planos do Magistrado, e desviar-se da vigilância constante e exagerada da atual força de segurança de Gotham. É uma tarefa difícil para Bruce, que tinha o grande apoio tecnológico, e agora não pode depender deles.

Anúncios

Mariko Tamaki, que comanda o título, continua sua abordagem de uma Gotham tomada por forças policiais fascistas, e já, muito maiores que o próprio departamento de polícia de Gotham. Batman e Bruce Wayne ainda estão mortos para grande parte da cidade, mas o Pacificador-01 sabe que não, e continua sua caça. Para os mais habituados na mitologia do Batman, o visual do inimigo chega a ser muito semelhante com o Cavaleiro de Arkham, um dos principais inimigos de Batman: Arkham Knight.

Future-State-Dark-Detective-2-6-600x923

Por sua vez, com um roteiro ainda bem preciso e desenvolvido até então para Detetive das Trevas, a história de apoio que traz o Capuz Vermelho não consegue manter o mesmo nível, apesar de interessante. O drama de Bruce Wayne/Batman eleva o épico cyberpunk para Gotham, e devagar, vai mostrando que o Magistrado é podre como todas as outras organizações. A trama do Capuz Vermelho, de Joshua Williamson é totalmente fora da de Bruce, que é derrubar o Magistrado. O Capuz é o único mascarado a trabalhar para eles, e caça outros vigilantes, que já não são mais permitidos em Gotham. 

Mesmo que a arte belíssima e detalhada de Dan Mora para a história principal, que é a do Batman, a arte de Giannis Milonogiannis para o Capuz Vermelho não agrada, fugindo do padrão estabelecido pelo Future State. São traços mais simples, e um tanto rebuscados de quadrinhos da Era de Ouro, mas ao mesmo tempo, parecem infantis. Há uma quebra de expectativa entre Batman e Capuz Vermelho, em que um agrada muito mais que o outro.

DC-Future-Dark-Detective-1-spoilers-4-Red-Hood-Vigilante-scaled

Detetive das Trevas #2 continua com novas descobertas para o Batman e um mistério que o Magistrado esconde. Mesmo que a história backup não agrade em sua arte, a trama principal que envolve o Batman tenta fazer o leitor imergir numa Gotham tomada pelo controle de forças de seguranças externas. Um grande gancho utilizado ao final da história principal, mostrará ainda mais o que o Magistrado representa, e a influência que tem sobre toda a população de Gotham.

Dark-Detective-2


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Review: Batman/Mulher-Gato #2 (2021)

Fantasma começa seus ataques, com sua frase de efeito.


Tom King vai se desenrolando já com a sexta edição de Batman/Mulher-Gato para maio, pelo DC Black Label, e por enquanto, a segunda edição tenta retomar as rédeas de Batman: A Máscara do Fantasma. E o que pensar disso? Com Clay Mann, Tom King tenta retomar um grande clássico, misturando-o com seu arco no DC Renascimento

Anúncios

Se a primeira edição já é confusa para alguns, essa nova edição deixa tudo ainda mais confuso para os iniciantes em quadrinhos, e que não estão habituados também com A Máscara do Fantasma. Há, de fato, grande conexão com a animação, mas um toque de originalidade preciso do roteirista, elevando Batman em sua grande aventura após a morte do Alfred, e sua aliança verdadeira com a Mulher-Gato de uma vez por todas. Tudo o que acontece entre o passado, presente e o futuro, que, no entanto, é onde a história é narrada, tenta amarrar tudo, sem deixar pontas soltas.

batman-catwoman-phantasm-header-1253195-1280x0

Aos poucos, toda a trama vai se desenrolando. E quando digo aos poucos, é bem mais devagar como de costume. A curiosidade sempre vai despertar no leitor para saber qual é o próximo passo, o que aconteceu com o Batman, ou o que vai ocorrer entre o Fantasma e a Mulher-Gato. São diversas possibilidades, ramificando vários possíveis caminhos para a história andar. Nada será revelado aqui, para não dar spoiler, todavia, a leitura da nova edição é agradável, contendo algumas referências de todo o universo do Batman.

Como um par romântico de Bruce Wayne, Selina Kyle funciona, mas há uma interação e dinâmica assertiva muito maior como Batman e Mulher-Gato. O trabalho de Tom King em unir duas personalidades distintas, mas, que basicamente, se vestem de cinza e preto, é excepcional. De tantas outras edições, há uma melhora significativa na montagem do quadrinho, trama e dinâmica entre os personagens-título. Mesmo que Tom King não tenha sido o melhor em descrever o sentimento de amor para o Batman, seu desenvolvimento em ser um herói destemido, mas que possui fragilidades, é um ótimo trabalho. Ele pincela e renova outra vez um romance conturbado, que agora tem tudo para dar certo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Não poderia esquecer também de Clay Mann com sua arte e traços bem detalhados, além de um visual inspirador e noir de Gotham. Acompanhado pelo colorista Tomeu Morey, a quem eu também rasgo elogios, a arte e coloração casam perfeitamente. Em partes onde o Coringa aparece, há mais cor, diferentemente quando o Batman aparece, mantendo o ar gótico de sempre, acinzentado e profundo, parecendo denotar o que Bruce sempre sentiu ao reviver seu passado.

Mesmo que ainda seja confusa, e parecendo ainda com mais nós do que a primeira edição, Batman/Mulher-Gato #2 tenta explicar aos poucos, o passo a passo que conecta o Batman e a Mulher-Gato com o Coringa e o Fantasma. Tom King utiliza os velhos métodos de Bruce Timm, além dos seus próprios, para manter o mistério acerca do que pode e vai acontecer, além de explicar o passado com frases no presente. Por enquanto, ainda há muito o que ser visto e explicado pelo roteirista, que está deixando seu nome na história do Batman.

large-2522847


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Solicitações de quadrinhos da DC Comics para maio

Editora solicitou diversos títulos e continuações.


A DC Comics solicitou há alguns dias, novos quadrinhos que chegarão em maio deste ano, com diversos títulos, incluindo o Future State, títulos de Infinite Frontier, o novo Senhor Milagre, outros eventos para a Liga da Justiça e muito mais. O Critical Room reúne as principais solicitações para você.

Confira todos os quadrinhos no CBR.


Moça-Maravilha #1
  • Escrito por Joelle Jones;
  • Arte por Joelle Jones;
  • Capa de Joelle Jones;
  • Cores por Jordie Bellaire;
  • Letras de Clayton Cowles.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sinopse: “Criada na longínqua terra de Boise, Idaho, Yara sempre sentiu que algo estava faltando em sua vida – e agora ela está indo para o Brasil para encontrá-lo. Mal sabe ela que sua chegada desencadeará uma série de eventos que mudarão o mundo da Mulher Maravilha para sempre.

Seu retorno foi profetizado, e com essa profecia vem a atenção exclusiva de deuses benevolentes de panteões além. O perigo espreita em cada esquina – mas este jovem herói está pronto para sua jornada? Descubra em uma edição de estreia que você absolutamente não pode perder!”

Senhor Milagre: A Fonte da Liberdade #1
  • Escrito por Brandon Easton
  • Arte por Fico Ossio
  • Capa de Yannick Paquette
  • Capa variante de Valentine De Landro

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sinopse: “Saindo do Future State, o show do Senhor Milagre costumava ser o ingresso mais quente da cidade, seja você o flagrando no palco escapando de armadilhas perigosas ou nas ruas de Metrópolis matando os bandidos. O que Shilo Norman esqueceu é a primeira regra do showbiz e do super-heroísmo: sempre deixe-os querendo mais. Agora é hora de começar a mostrar ao mundo o que um homem milagroso pode fazer. Regra nº 2 do showbiz / super-herói: o tempo é tudo. Há um novo artista na cidade que quer tirar Senhor Milagre de seu pedestal e reivindicar seu famoso apelido! Shilo pode se livrar dessa armadilha?”

Stargirl Special Spring 
  • Escrito por Geoff Johns
  • Arte e capa de Todd Nauck
  • Capa variante de Mike McKone
  • Stargirl-SpringBreakSpecial-450-CMYK

Sinopse: “Os planos de férias de Primavera de Courtney Whitmore não são como os do seu colegial do ensino médio. Em vez de sair com amigos, ela está indo para uma aventura com seu padrasto, Pat Dugan, também conhecido como F.A.I.X.A., e se juntando com sua antiga equipe, os Sete Soldados da Vitória! Os soldados são forçados a se reunir novamente para descobrir o oitavo soldado secreto da vitória. Mas que outros segredos estão enterrados e o que tudo isso significa para o futuro de Courtney como Stargirl?”

Lendas do Cavaleiro das Trevas #1
  • Escrito por Darick Robertson
  • Arte e capa de Darick Robertson
  • Capa variante por David Marquez

Sinopse: “Um novo jogador entrou em cena em Gotham City e está vendendo produtos químicos mortais para os piores vilões da cidade: Mr. Freeze, o Pinguim e até mesmo o Coringa! Cabe ao Batman deter os vilões, rastrear o fornecedor e salvar Gotham City mais uma vez!”

Justice League: Last Ride #1
  • Escrito por Chip Zdarsky
  • Arte por Miguel Mendonça
  • Capa variante de Darick Robertson

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sinopse: “Outrora o grupo mais poderoso do mundo, a Liga da Justiça foi destruída pela tragédia e pelo tempo, dissolvendo-se sob um véu de desconfiança e raiva. Agora, na véspera do maior julgamento de assassinato do universo, a Liga deve se reunir uma última vez … mas o Superman e o Batman podem enterrar o passado antes que os maiores vilões do cosmos os enterrem?”

Milestone Returns: Infinite Edition #0
  • Escrito por Reginald Hudlin
  • Arte de Dennys Cowan, Bill Sienkiewicz e outros
  • Capa por Dennys Cowan
  • Capa variante por John Romita Jr. e Klaus Janson

MILESTONE-RETURNS-0-1

Sinopse: “O novo quadrinho irá narrar os eventos do Big Bang: o protesto contra a brutalidade policial que deu errado que mudou a face da cidade de Dakota para sempre ao desencadear uma onda de superpoderes em sua população! Enquanto o mundo assiste, um adolescente intimidado se tornará o herói conhecido como Super-Choque, um cientista enquadrado irá fugir como a super arma Hardware e um alienígena encalhado encontrará uma jovem ambiciosa que transformará sua vida, e refará o par como o todo-poderoso Ícone e Foguete!”

Future State: Gotham #1
  • Escrito por Joshua Williamson e Dennis Culver
  • Arte por Giannis Milonogiannis
  • Capa de Yasmine Putri

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sinopse: “O Capuz Vermelho deve escolher a justiça sobre sua família e aliados quando o corrupto Magistrado o convoca para trazer o novo Batman vivo ou morto! Apresentando todo o elenco dos populares títulos Future State Batman, esta nova série dá início ao próximo capítulo neste mundo proibitivo de amanhã, com uma narrativa brilhante e monocromática!”

Batman #108
  • Escrito por James Tynion IV
  • Arte e capa de Jorge Jimenez

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sinopse: “Batman se disfarça para se infiltrar na gangue transhumanista conhecida como Unsanity Collective e aprender mais sobre sua aparição repentina em Gotham. E que planos nefastos Simon Saint tem para o sobrevivente do Dia de Arkham, Sean Mahoney? Como isso se conecta ao Magistrado?”

A celebração dos heróis asiáticos #1
  • Escrito por Gene Luen Yang, Ram V, Greg Pak, Alyssa Wong, Amy Chu, Minh Le, Dustin Nguyen e outros;
  • Arte por Marcus To, Bernard Chang, Dustin Nguyen, Marcio Takara, Trung Le Nguyen, Francis Manapul e outros;
  • Capa de Jim Lee;
  • Capa variante de Stanley Lau.

DCFestivalOfHeroes

Sinopse: “Pegue seu boba favorito e puxe uma cadeira até a mesa de dim sum enquanto celebramos o Mês da Herança Asiática com todos os seus personagens asiáticos favoritos de DC, antigos e novos! Junte-se a Cassandra Cain, Katana, Lanterna Verde Tai Pham, o Atom, Dana Tan (também conhecido como Batman Beyond), Arqueiro Vermelho, Lady Shiva, Damian Wayne e o clã al Ghul, Novo Super-Homem e muito mais à medida que apresentamos novos contos destes personagens de sua história emocionante! Além disso, o relacionamento de Cheshire Cat com Cheshire é revelado quando Shoes pede a Selina Kyle para tomá-la sob sua proteção como Cat Girl. E isso é só o começo!”

Batman/Mulher-Gato #6
  • Escrito Tom King
  • Arte e capa por Clay Mann
  • Capa variante de Jim Lee, Scott Williams e Travis Charest

BM-CTW-Cv6-CHAREST-var

Sinopse: “Conforme os mistérios se aprofundam, o mesmo acontece com os ressentimentos. Ao longo de sua vida, as ações da Mulher-Gato fizeram com que muitos próximos a ela duvidassem de suas motivações. Bruce Wayne, Fantasma e agora sua filha suspeitaram de seus acordos com o Coringa. E quando ela matou o velho palhaço, isso desencadeou a nona vida deste felino? Ou talvez tenha realmente acabado todos aqueles anos atrás, a primeira vez que Fantasmatirou seu sangue e Batman teve que enfrentar uma dura verdade. Há grandes revelações esperando para serem encontradas aqui na metade do caminho, nas palavras finais de Tom King e Clay Mann sobre o romance do Morcego e da Gata!”

Man-Bat #4
  • Escrito por Dave Wielgosz;
  • Arte por Sumit Kumar;
  • Capa de Kyle Hotz;
  • Capa variante de Kevin Nowlan.

MANBAT-Cv4

Sinopse: “É Batman contra Man-Bat na segunda rodada! Após um encontro desastroso com o Esquadrão Suicida, uma sessão de terapia com Arlequina e (mais uma) tentativa falhada de se curar, Langstrom foi finalmente localizado pelo Cavaleiro das Trevas! O único problema? O Espantalho chegou primeiro! O que o mestre do medo planeja fazer com um soro que literalmente cria monstros?”

DC Comics: Generations
  • Escrito por Dan Jurgens, Andy Schmidt e Robert Venditti
  • Arte por Ivan Reis, John Romita Jr., Kevin Nowlan, Bryan Hitch e outros
  • Capa de Ivan Reis e Joe Prado

DC-GENERATIONS

Sinopse: “Nesses contos, uma ameaça de proporções cósmicas ao mais novo (e mais antigo) universo da DC obriga um dos grupos mais incomuns de heróis já reunidos para enfrentar o inimigo mais misterioso que já encontraram. Junte-se ao Batman, Kamandi, Estelar, Sinestro, Gladiador Dourado, Doutora Luz e Aço, em sua missão para salvar o universo antes que o tempo acabe.”

Mulher-Maravilha #772
  • Escrito por Becky Cloonan e Michael W. Conrad
  • Arte e capa de Travis Moore
  • História backup escrita por Jordie Bellaire
  • Arte da história backup por Paulina Ganucheau
  • Capa variante de Joshua Middleton

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sinopse: “A Mulher Maravilha pode ter superado as feras de Asgard por enquanto, mas nada a preparou para o que está por vir. O eu mais sombrio de Diana emergiu como um novo oponente, e ela precisará da ajuda de um aliado inesperado cuja conexão com o trovão inspirou muitos contos: Thor! Essa dupla de deusa e semideusa pode descobrir o que perturbou o equilíbrio das coisas? Ou eles estão condenados a deixar tudo, inclusive suas vidas, no campo de batalha? Descubra como esta narrativa nórdica continua!

E na história de backup que ocorre durante a juventude de nosso herói, Diana deve mergulhar nas profundezas dos oceanos de Themyscira para aprender mais sobre os misteriosos manuscritos que lhe foram deixados. Mal sabe ela, o que está por baixo tem muitos dentes e está morrendo de vontade de conhecê-la. Cuidado com os poderosos megalodons e seus apetites!”

Rorschach #8
  • Escrito por Tom King
  • Arte e capa de Jorge Fonés
  • Capa variante de Jim Cheung

RORSCHACH-Cv8-var

Sinopse: “À medida que o detetive se aprofunda no mistério por trás de Rorschach e seu ajudante, a história se torna não sobre o que eles queriam fazer, mas por que começaram seu caminho assassino. À medida que mais testemunhas surgem, a história da estranha Laura se revela. Os tempos difíceis a fizeram querer matar um candidato à presidência e ela se prejudicou muito ao revidar.”

Asa Noturna #80
  • Escrito por Tom Taylor
  • Arte de Bruno Redondo
  • Capa variante de Jamal Campbell

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sinopse: “Dick Grayson sempre teve um grande coração. Desde proteger aqueles perseguidos por valentões em sua juventude, a combater o mal ao lado de Batman como Robin, a prometer sua riqueza recém-herdada para enriquecer Blüdhaven como Asa Noturna – sua bondade e generosidade sempre guiaram sua vida. Mas agora um novo vilão espreita os becos de Blüdhaven, removendo o coração dos mais vulneráveis ​​da cidade. Quem é esta nova ameaça aterrorizante chamada Heartless, e ele será capaz de resistir a arrancar o maior coração de toda Blüdhaven?”

The Flash #770
  • Escrito por Jeremy Adams
  • Arte por Jack Herbert e Brandon Peterson
  • Capa de Brandon Peterson
  • Capa variante de Brett Booth

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sinopse: “Nos campos de batalha da Segunda Guerra Mundial, Wally West continua sua busca por um caminho para casa. À medida que o Flash fica cara a cara com o próprio Führer, os amigos de Wally nos dias atuais procuram uma maneira de trazê-lo de volta e uma resposta para o porquê de ele estar pulando de velocista em velocista ao longo do tempo.”

Sensational Wonder Woman #3
  • Escrito por Colleen Doran e Alyssan Wong
  • Arte por Colleen Doran e Eleonora Carlini
  • Capa de Colleen Doran
  • Capa de variante de Marguerite Sauvage

SWW-Cv3

Sinopse: “Em um conto escrito e ilustrado pela lenda dos quadrinhos Colleen Doran, a Mulher Maravilha enfrenta seu inimigo mais implacável: um especialista em marketing que venderia seus Louboutins pela chance de gerenciar a Amazing Amazon! A Mulher Maravilha consegue escapar de seus arremessos mais persistentes? 

Também nesta edição, não é uma festa de gala de Gotham City sem uma visita do mais vil do mundo! É uma coisa boa a Mulher Maravilha estar na lista de convidados, porque Bruce Wayne tem uma identidade secreta para manter!”


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Review: Future State | Detetive das Trevas #1 (2021)

Batman de volta ao começo em nova minissérie.


O Future State, novo evento da DC Comics nos quadrinhos, está começando a tomar ainda mais forma, com uma variedade de títulos. E claro, o Batman de Bruce Wayne não iria ficar de fora, expandindo ainda mais um futuro distópico de Gotham, uma cidade controlada pelo Magistrado, que emprega a força-bruta para cometer seus atos. A exploração continua em títulos diferentes, mas Gotham é sempre a mesma.

Anúncios

Mariko Tamaki tenta trabalhar em uma trama onde o Batman é um fora da lei, e todos os outros mascarados também são. Ou seja, é dispensado o serviço dos heróis para limpar Gotham do crime, já que os métodos usados pelo Batman e outros vigilantes não são eficazes em nenhum momento. A primeira edição aborda duas histórias, do Batman e do Bandoleiro, mas escolhi apenas o Morcego para falar, com um pouco mais de aprofundamento. Mesmo que a do Bandoleiro seja interessante, é bem mais viável ler O Novo Batman, pois estes dois contos se conectam bastante.

Dark-Detective-gotham

 

 

Aparentemente, aos olhos de Gotham, Bruce e Batman estão mortos, e o Magistrado já tem ciência de quem é o vigilante mascarado. Falido e vagando por aí, Wayne precisa sobreviver com o que tem, de volta às suas raízes – está no começo outra vez. Aqui, apesar de Gotham ser futurista, o herói não disponibiliza de novas tecnologias, continuando apenas com alguns gadgets iniciais e um traje diferente, sem a vulgar capa preta. Ele está em busca de seu lugar no mundo, mais uma vez, mesmo sendo um fantasma para a população. Bruce está apto a descobrir os podres do Magistrado, e quer saber mais sobre essa organização e derrubá-la. Ele sabe que não é o que sua cidade precisa no momento, e algo está errado por trás disso.

Bruce precisa viver, sem ajuda de seus outros aliados. Ao mesmo tempo que quer se desvencilhar dos fatos da cidade, ainda emergida no crime, o espírito de Guardião de Gotham não o abandona, e o denuncia quando entra em uma briga. Bater em criminosos é tudo o que ele precisa evitar, para não chamar a atenção do Magistrado.

c5e48cfa-6fe5-46fe-9dd3-94ac3bff77a5

A equipe criativa da nova história do Batman, conseguem fazer uma grande imersão na psiquê do herói, e em sua personalidade de insuficiente. Ele é um homem sem rumo, mas com um único objetivo: desmantelar o Magistrado. Dan Mora consegue utilizar traços que convencem o leitor, com um visual cyberpunk de Gotham, abandonando a Art Deco usada em vários quadrinhos e outras mídias. As cores de Jordie Bellaire acompanham a arte de Mora, chamando a atenção por não ficarem presas em apenas mostrar uma cidade sombria, utilizando sempre cores escuras para denotar que Gotham ainda é corrupta e suja. Há uma paleta de cores variadas, com tons escuros de azul ilustrando tristeza e dor, e cores mais quentes durante momentos de ação e de desespero. Até aqui, Detetive das Trevas tem uma das melhores arte do evento.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Detetive das Trevas #1 mostra um possível fim do Batman aos olhos de Gotham, e um grande inimigo no controle da cidade, o Magistrado. Tamaki, a roteirista do quadrinho, mergulha na mente conturbada de Bruce, elevando um novo desafio para o Cavaleiro das Trevas. Com uma trama interessante, que não deixa pontas soltas, podendo se conectar com Mulher-Gato #1, e uma arte cyberpunk, Detetive das Trevas tem de tudo para ser um dos melhores títulos do Future State. O Batman está em boas mãos com Mariko Tamaki e Dan Mora, e os eventos daqui, podem respingar em Infinite Frontier.

FS-Dark-Detective-1


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Espantalho ganha um novo visual assustador para os quadrinhos

Vilão será uma grande ameaça para o Batman em nova fase da DC.


Jorge Jiménez, artista do título do Batman para Infinite Frontier, revelou um novo visual para o Dr. Jonathan Crane/Espantalho. Ele está usando suas seringas com toxina do medo nas pontas dos dedos, marca registrada dos jogos Batman: Arkham. Também usa uma máscara com um longo respirador, que o protege de gases tóxicos e do próprio gás do medo. Veja a imagem abaixo:

Anúncios

James Tynion IV, roteirista de Batman #106, afirmou que “espera contar uma das melhores histórias do Espantalho de todos os tempos. O objetivo é sempre capturar o que está no coração do personagem que eu sempre amei e sempre fui atraído, mas também abrir esse personagem”, disse o quadrinista.

O novo título do Batman se passará após o evento Future State, que aborda os acontecimentos pós Death Metal, num futuro próximo e distante da DC Comics.

Batman #106, escrita por James Tynion IV;

Arte e capa por Jorge Jiménez;

Capa variante de Jorge Jiménez e Riccardo Federici.

Veja a descrição abaixo:

Sinopse: “Após os trágicos eventos de Infinite Frontier # 1, Batman e seu novo aliado, Ghost-Maker, devem contar com uma nova gangue operando em Gotham City – mas eles estão conectados ao ressurgimento do Espantalho? Enquanto isso, o obscuro bilionário Simon Saint apresenta um sistema avançado de aplicação da lei ao novo prefeito! A equipe criativa por trás do épico “The Joker War” retorna com uma nova história cheia de emoção e perigosa chamada “The Cowardly Lot.”

Batman #106 chega no dia 2 de março às bancas estadunidenses.


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Review: Batman/Mulher-Gato #1 (2020)

Tom King retoma clássico de Bruce Timm.


Tom King, conhecido pelo sucesso em Senhor Milagre e por escrever grande parte do Renascimento do Batman, está de volta aos quadrinhos do Cavaleiro das Trevas, para explorar o passado de Bruce e o presente ao lado da Mulher-Gato. Agora, nessa nova minissérie para o DC Black Label, King pode explorar o lado mais obscuro da vida do casal, além de ir mais a fundo no passado de Bruce

Anúncios

O roteiro mais profundo, engloba toda uma construção passada recente, mas pode ser confuso para quem não viu Batman: A Máscara do Fantasma, ou leu algum quadrinho do DC Renascimento do Batman. Tom King está trabalhando ao lado de Clay Mann, o artista do quadrinho, que rebusca um novo visual para os personagens-título, com novas feições, cenários, mas uma velha história de romance e mistério. A HQ explora três períodos distintos: Os passado de Bruce, se envolvendo com Selina, o presente, em que a história é narrada, com a envelhecida Selina Kyle, e uma outra vez em que Andrea Beaumont reaparece em Gotham, pedindo ajuda para o Batman.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sobre o primeiro período, não há mistérios, e o Coringa está surpreso com a relação da Gata e do Morcego. Aparentemente, assim como o Fantasma, ele sobreviveu à explosão, continuando sua onda de crimes, enquanto Andrea reconstruiu sua vida longe de Gotham, tendo tido um filho, ponto focal da história. Agora, num futuro próximo, Bruce está morto, e pelo jeito, já deixou seu legado como Batman na Terra. Nessa medida, Selina Kyle tenta se refugiar a um velho amigo, se abrindo com ele e citando Helena Wayne, a nova heroína da cidade e filha do casal. 

Ligando os pontos dos acontecimentos, tudo indica que o Coringa está por trás da tragédia que se passa na HQ, e o retorno do Fantasma, para se vingar do Palhaço. Todos querem se vingar, até mesmo Selina. Ela está disposta a matar o Coringa, após a morte do Batman. Quem sabe tenha mais alguém que queira a cabeça do inimigo mais famoso do Morcego.

IMG_3669

Clay Mann trabalha com uma arte mais detalhada, se aproximando bastante do que desenhou em Heróis em Crise. Ao lado dele, Tomeu Morey usa cores vibrantes e escuras, para representar a personalidade que o Batman passa. O teor gótico da arte, se casa com o funesto roteiro, que tenta montar, mais uma vez, um romance trágico entre Batman e Mulher-Gato. Aqui, é deixado de lado o romance, e colocado em pauta um mistério, curtindo o drama da pós-morte do guardião de Gotham. Tom King não costuma acertar muito em trabalhar a vida amorosa do Batman, mas, talvez nessa minissérie, ele consiga desenvolver melhor ainda do que em edições anteriores do Renascimento.

Apesar de confundir o leitor, fazendo-o se perguntar sobre o que está acontecendo, Batman/Mulher-Gato #1, entrega uma premissa mais trabalhada, madura e profunda, produzida por Tom King. O selo Black Label permite que o quadrinista desenvolva ainda mais o casal, mesmo que já o tenha feito antes, porém, com um incremento mais adulto e sério, deixando a ação um pouco de lado. No fim, a primeira edição é ótima, mas um pouco confusa. Não podemos nos precipitar e falar com base em apenas uma edição, temos de esperar as próximas para que finquem o pé no chão e comece as explicações.

BAT-CAT-1
Divulgação/DC Comics

Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

The Batman ganha pôster inspirado em Ano Um

Lee Bermejo compartilhou sua arte via Instagram.


The Batman, novo filme do Homem-Morcego com Robert Pattinson no papel, ganhou uma nova arte, agora desenhada por Lee Bermejo, se inspirando em Batman: Ano Um, de Frank Miller. O artista compartilhou sua arte em seu perfil no Instagram; Confira:

Anúncios

“O pôster de THE BATMAN. Depois do mestre David Mazzucchelli. Finalmente oferecerá edições MUITO limitadas de algumas capas, ilustrações e imagens completamente novas como lithos colecionáveis. Procure mais informações em breve”, escreveu o artista.

The Batman, com certeza, usará elementos de Batman: Ano Um do mestre Frank Miller, que teve arte por David Mazzucchelli. O quadrinho foi publicado pela DC Comics em 1987, aparecendo nas edições mensais de Batman #404 a #407. A história é uma reinterpretação da origem do herói, que dá mais enfoque para o recém tenente James Gordon, que tenta mudar o rumo do departamento de polícia de Gotham City, inundado em subornos.

O elenco conta com Robert Pattinson (Batman), Zoe Kravitz (Mulher-Gato)Collin Farrell (Pinguim)Paul Dano (Charada)Andy Serkis (Alfred)Jeffrey Wright (Comissário Gordon)Peter Sarsgaard (Gil Colson)John Turturro (Falcone) e Jayme Lawson (Bella Reál).

The Batman estreia no dia 4 de março de 2022.


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Crítica: Batman – A Alma do Dragão (2021)

Aviso: Crítica sem spoilers!


Bruce Timm e DC começam 2021 com o pé direito.


Ninguém tem dúvida de que as animações da DC Comics são grandiosas e realmente muito boas de se ver, visto Batman – A Máscara do Fantasma ou a série animada da Liga da Justiça. Portanto, podemos esperar algo muito bom em uma próxima animação, misturando elementos dos quadrinhos e com base em sua originalidade. E então, 2021 começa com tudo com Bruce Timm comandando Batman e o kung-fu, na Gotham dos anos 70, homenageando o falecido quadrinista Dennis O’Neil e expandindo ainda mais a mitologia das artes marciais presentes na DC.

Para maiores de 18 anos, Batman: A Alma do Dragão, se habilita em explorar o universo não tão visto pelos fãs, as artes marciais. Os anos 70 foram repletos de quadrinhos sobre o kung-fu, graças a O’Neil, que criou Richard Dragon, Shiva, Tigre de Bronze e outros personagens. Ele jamais imaginou que seu pontapé se elevaria aos anos seguintes, com criação de diversos personagens que utilizassem as artes marciais como seu método de luta.

Soul-of-Dragon-PUB-17-720x405

A animação começa ao estilo James Bond, já que Timm é um grande fã do agente. É até engraçado ver Richard Dragon utilizando métodos que Bond utilizaria, mas não perdendo a sua originalidade de ser um grande artista marcial. E lembra muito bem o visual de Burce Lee, para os mais fanáticos em artes marciais. Passando disso, a história da animação traz quatro alunos de O’Sensei como foco: Richard Dragon, Ben Turner, Shiva e Bruce Wayne. A premissa é algo simples. Batman continua agindo nas sombras e uma organização criminosa intitulada Cobra, sendo seu líder Jeffrey Burr, o Kobra, que está em busca da grande Naga, para que varresse o mundo e todo o mal, mas, que também, iria explorar o passado de Bruce e seu aprendizado em Nanda Parbat

E é aí que está o ponto mais interessante do longa animado, os flashbacks. Batman está no título para vender, pois aparece mais como Bruce Wayne do que como Batman, dividindo a tela com Dragon e seus outros aliados. O maior acerto, como disse, são os flashbacks, que constroem as ações futuras e toda a narrativa. A equipe de produção mostra detalhes técnicos precisos, quando conseguem transitar de uma cena para outra usando os mesmos artifícios. E o filme ainda busca inspiração nos quadrinhos e em Batman Begins.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Posso dizer aqui que fiquei admirado em como Timm dividiu o tempo de tela de cada personagem e conseguiu desenvolvê-los tão bem, apesar do meu desapontamento com dois personagens que não poderei revelar. Porém, é visível que o protagonista é Dragon, ofuscando Bruce, mas não tanto. Esse desenvolvimento do quarteto, que foi um grande acerto, poderia ser um pouco melhor. Não que o dinamismo entre os personagens não funcione, muito pelo contrário, faltou a um ou outro algo a mais que os tornassem únicos. Há clichês sutis, por ser um filme que aborda o kung-fu nos anos 70, como o próprio desenrolar para que Lady Shiva entre na trama, mas é algo que não incomoda tanto quanto a falta de um vilão.

Apesar de vários pontos positivos, incluindo o elenco de voz e a trilha sonora, assim como as coreografias de ação, o maior ponto positivo do longa animado, e que deve ser muito bem elogiado, a falta de uma boa motivação para o vilão foi o que me deixou incomodado. É claro que há um vilão conhecido e importante para a mitologia destes personagens, mas não há um bom desenvolvimento para que ele esteja fazendo aquilo. O próprio inimigo, diz ser “o grande escolhido” para liderar o ataque contra a humanidade e que é seu destino, desde criança, mas me parece algo totalmente infantil para um filme R-Rated. Outro ponto são seus aliados, que apesar de lutarem bem, como o Rei Cobra e Lady Eve, não tiveram desenvolvimento algum. Sei que eles não são os principais, mas mereciam um pouco mais de destaque.

5cccf1a4-81d5-499c-847f-596a12a321c3
Divulgação/DC Comics

Há belos momentos, sem dúvidas, como um dos ensinamentos de O’Sensei para com seus alunos em Nanda Parbat, em que cobra de Bruce e os demais tentar quebrar uma pedra. Após uma metáfora sobre o crime, Bruce persistiu, assim como em outro flashback, em que ele sofre duros golpes, cai, mas sempre se levanta. São ótimos aprendizados em que o personagem teve, para que a animação consiga passar sua mensagem. Nessa antiga leva do DCAU, agora é preciso se reinventar, e parece que a DC encontrou o ponto certo, no momento certo.


Veredito

Apesar de seus pontos positivos, como as cenas de ação e a coreografia, o maior acerto na animação, há também alguns pontos negativos que deixam alguns clichês à solta no roteiro e o fraco desenvolvimento dos antagonistas. No entanto, na reta final,Batman: A Alma do Dragão se mostra digna de sua ação, sendo uma das melhores animações do herói nos últimos cinco anos, mesmo que erre vagarosamente em sua última cena, colocando em pauta uma possível sequência.

8/10.


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Fazer uma contribuição uma única vez

Fazer uma contribuição mensal

Fazer uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou digite um valor personalizado:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Gotham Knights pode ser lançado no inverno de 2021

O jogo poderá ser lançado em julho de 2021.


A WB Montreal pode ter revelado a data de lançamento de Gotham Knights, após ter desejado “Boas Festas” através de uma arte no Twitter. A imagem destaca o pôster dos Graysons Voadores, com a data marcada de 16 a 21 de julho de 2021, dando indícios do lançamento entre esses dois dias. Veja:

Anúncios

Não é nada confirmado que o jogo possa chegar no verão estadunidense de 2021, que aqui no Brasil é o inverno, mas há uma boa possibilidade de acreditar nisso, já que a WB Montreal gosta de brincar com enigmas.

Intitulado de Gotham Knights, a trama seguirá os novos Cavaleiros de Gotham, Asa Noturna, Batgirl, Capuz Vermelho e Robin em uma nova cruzada, agora que Batman está supostamente morto. Com o auxílio de toda a tecnologia deixada por Bruce Wayne e também o apoio de Alfred, o novo jogo irá explorar a Corte das Corujas como o novo antagonista. Muitos outros vilões como o Senhor Frio irão faze sua presença para dominar Gotham.

Gotham Knights chega em algum momento de 2021 para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series X e PC.


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Fazer uma contribuição uma única vez

Fazer uma contribuição mensal

Fazer uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou digite um valor personalizado:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Review | Batman – Noel

Lee Bermejo e sua releitura fantástica de Um Conto de Natal.


Charles Dickens, renomado escritor inglês que criou Um Conto de Natal e o rabugento Ebenezer Scrooge, é uma referência nas épocas natalinas. Vários filmes e animações já usaram Scrooge, um clássico personagem, que em Batman – Noel (2011), o incrédulo do Natal é representado pelo Batman. É claro que o personagem título do quadrinho não é um símbolo do Natal e tal, ou mesmo alguém que lhe dirá “feliz Natal”, porém, ele pode salvar o seu feriado.

A graphic novel de 2011 entra para o rol dos “quadrinhos do Batman que precisam ser lidos”, pois, aqui, há um narrador do começo ao fim da HQ, completando a ideia de quem narrava. A história em todo o quadrinho, remete logo ao livro de Dickens, já que essa é a própria representação do conto. É incrível o paralelo que Bermejo faz entre Scrooge e Batman, pois, ele conecta duas pessoas diferentes, com personalidades parecidas, e mescla o bom e o pior do Cavaleiro das Trevas.

Bob é o ponto focal da história, um homem que cuida de seu filho, mora na parte pobre de Gotham City e está disposto a batalhar pelo menino, arriscando a própria vida. Ao aceitar um trabalho do Coringa, sendo um peixe pequeno do mesmo, ele se depara com o Batman, que o afugenta e deixa todo o dinheiro no local. É uma isca do herói para apanhar sua presa, que em pleno Natal, está solto em Gotham e Bruce Wayne não tem descanso, mesmo que a polícia ainda tenha um pouco.

Batman+Noel+Art+2
Divulgação

Assim como no conto, três fantasmas aparecem para assombrar o Batman, funcionando como passado, presente e futuro. O primeiro remete logo ao trágico passado de sua carreira, a morte de Jason Todd e as antigas perseguições contra a Mulher-Gato, que nunca se cansa de fazer o de sempre. Não há paradas para apresentações aqui, e após cair, falhando em capturar Selina, o segundo fantasma aparece, o Superman, que o ajuda ali e agora – presente. Os Melhores do Mundo se reúnem mais uma vez, agora com o Morcego ainda mais fechado ao mundo, sem se importar muito com o que resta de humano nas pessoas; seu foco é maior e vai muito além do crime. Essa ajuda não é precipitada, já que o Escoteiro ouviu a tosse de Bruce em Metropolis. A aparição do Superman no quadrinho ameniza as sombras do Batman, suas cores e sua trajetória solitária, mantendo um pouco a esperança. Mas, quando se vai, um vazio fica e não há nada que o preencha nos quadrinhos seguintes.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O terceiro fantasma é sua própria presa, que vira seu predador, o velho Coringa. É estranho ler que Clark ouviu a tosse de Bruce em Metropolis – talvez seja sarcasmo – e não ouviu a explosão no Batmóvel após ele sair voando. Isso não tira mérito algum da trama e do quadrinista, mas é uma ponta solta que poderia ser arrumada. Continuando, o Coringa funciona como um fantasma do futuro, mas por quê? Porque, simplesmente, ele é o carrasco do Batman e o enterra vivo, sendo esse o futuro esperado do vilão e do herói: a morte.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Entretanto, é claro que não iria ficar assim e o final feliz acontece, mas não irei contar aqui, e sim, elogiar muito a arte de Bermejo, que utiliza o mesmo método de Coringa (2008), de Brian Azzarello. Em Batman – Noel, ele opta, junto com Barbara Ciardo, cores mais frias enquanto há o Batman, usando bastante da sombra um artifício para moldar o olhar gótico que Gotham oferece. Já quando o Superman aparece, isso muda totalmente, deixando o ambiente mais colorido e vistoso. A arte é realmente o forte da HQ, mesmo que a história não seja tão marcante quanto.


Veredito

Batman – Noel é uma leitura aconchegante e rápida, se for para ler com muita atenção. Lee Bermejo traz um Batman ainda mais humano, sem esperança ou felicidade alguma em sua vida, porém, não abandona a persistência que vem com o herói desde sua criação. A arte detalhada com a coloração escura, se junta a um roteiro formidável, fazendo um paralelo de uma obra clássica de Natal para um quadrinho bem lembrado pelos fãs e merece estar em sua lista de leituras de Natal!

Avaliação: 4 de 5.

Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Fazer uma contribuição uma única vez

Fazer uma contribuição mensal

Fazer uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou digite um valor personalizado:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Bruce Wayne aparece em novas imagens da 2ª temporada de Batwoman

Primeiro episódio irá contar o que aconteceu com Kate Kane.


Batwoman, série produzida pela CW, ganhou novas imagens para sua segunda temporada, destacando a volta de Bruce Wayne, o bat-sinal e o Batmóvel. Também é possível ver a nova atriz, Javicia Leslie, com o antigo manto de Ruby Rose, a primeira a interpretar a heroína (via EW). Veja as imagens abaixo:

Anúncios

Intitulado de ‘Whatever Happened to Kate Kane’, o primeiro episódio da série trará dois novos rostos, Ryan Wilder, a nova Batwoman e Bruce Wayne, que está de volta a Gotham após longos anos. Também nos é revelado a primeira versão do Batmóvel usado pelo Batman em suas vigias por Gotham. Ryan Wilder aparece em uma imagem com o traje, assim como Luke Fox, filho de Lucius Fox.

É curioso ver uma imagem de Jacob Kane ligando o bat-sinal e também de Alice tendo uma arma mirada contra seu rosto. Kane declarou guerra contra a Batwoman no fim da primeira temporada e Alice pode estar sendo traída por Thomas Elliot, o Silêncio

Para quem acompanhou a primeira temporada, vale dizer que a volta de Bruce Wayne não é ele em si, e sim Elliot, que teve seu rosto totalmente renovado para se parecer com Bruce e se infiltrar na Torre Wayne para roubar algum tipo de arma. Na imagem em que Alice tem uma arma apontada contra ela, o inimigo está usando o mesmo terno que Elliot está usando, na mesma tonalidade e a manga branca. Pode ser ele ou Jacob Kane, que também costuma usar roupas sociais, porém algo me diz que é Thomas Elliot.

Batwoman conta no elenco com Javicia Leslie (Batwoman), Rachel Skarsten (Alice), Warren Christie (Bruce Wayne), Meagan Tandy (Sophie), Nicole Kang (Mary), Camrus Johnson (Luke Fox), Elizabeth Anweise (Catherine) e Dougray Scott (Jacob Kane).

A segunda temporada de Batwoman estreia no dia 17 de janeiro.


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Fazer uma contribuição uma única vez

Fazer uma contribuição mensal

Fazer uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou digite um valor personalizado:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Infinite Frontier será a nova fase da DC nos quadrinhos

One-shot chega em março de 2021.


A DC Comics solicitou mais quadrinhos, e desta vez, uma nova fase no Universo DC. Após o evento Future StateInfinite Frontier #0 irá dar o pontapé para um novo capítulo de eventos da editora, saindo totalmente do Rebirth e abraçando a nova fase (via THR).

Anúncios

Seguindo os padrões de antigas fases, a nova que está por vir irá ganhar uma one-shot de 64 páginas, com vários quadrinistas fazendo presença e contando diversas histórias para continuar em respectivos títulos. Joshua Williamson conduz o projeto e terá ao lado, nomes como Scott Snyder, Geoff Johns, Becky Cloonan, James Tynion IV, Joelle Jones, Alitha Martinez, Brian Michael Bendis, Geoffrey Thorne e John Romita Jr.

“É o pontapé inicial de todas as coisas que estamos fazendo no Universo DC no próximo ano. Você sabe, nós temos Dark Nights: Death Metal , e então temos Future State , e então girando para fora de tudo isso está Infinite Frontier No. 0 . É um especial único, que contará com diferentes equipes criativas, mostrando o que vamos fazer e fazendo provocações”, disse Williamson, ao THR.

Ele ainda disse que irá preparar novas abordagens para a Mulher-Maravilha e o Espectro, que serão peças chaves na transição. Diana seria uma divindade do Multiverso, que ajudaria o Espectro, e consequentemente, seria uma explicação para que Hipólita seja vista na Liga da Justiça.

“Há um dispositivo de enquadramento no qual estou trabalhando, estrelado pela Mulher Maravilha e o Espectro, e temos uma espécie de vislumbre do que está acontecendo, e podemos brincar com esses brinquedos grandes e nos divertir, conseguindo um boa introdução para 2021 para DC e além.”

dc-infinite-frontier-0-1249650
Divulgação/DC Comics

Infinite Frontier #0, escrita por Scott Snyder, Geoff Johns, James Tynion IV, Joshua Williamson, Geoffrey Thorne, Phillip Kennedy Johsnon, Brian Michael Bendis, Becky Cloonan, Michael W. Conrad, Joelle Jones e Tim Sherid;

Arte por John Timms, Howard Porter, Joelle Jones, Jorge Jimenez, Alitha Martinez, David Marquez, Stephen Byrne, Jamal Igle, Dexter Soy, Rafa Sandoval, Alex Maleev, John Romita Jr. e outros.

Capa de Dan Jurgens e Mikel Janín;

Capa variante de John Timms.

Veja as descrições das histórias abaixo:

– Um ataque impensável e inesperado do Coringa faz dele o alvo de uma arrasta mundial com o ex-policial Jim Gordon em uma perseguição na série The Joker de James Tynion IV e Guillem March;

– Saindo de suas aparições em Future State: Mulher-Maravilha e Future State: Superman/Mulher-Maravilha, uma jovem Yara Flor começa a busca por seu destino e conexão com as Amazonas;

– É o dia de orientação na Torre dos Titãs, com Tim Sheridan e Rafa Sandoval apresentando um novo grupo de heróis adolescentes (incluindo o futuro Red X) ao Novos Jovens Titãs original, preparando a mesa para a série da dupla Teen Titans Academy em março

– As aventuras da Liga da Justiça continuam (começando com Liga da Justiça # 59), agora escrita por Brian Michael Bendis com o artista David Marquez, com novos membros JL, incluindo Adão Negro, Hipólita e Naomi;

– A Mulher-Maravilha se aventura na “esfera divina”, criando um novo enredo empolgante de Becky Cloonan, Michael W. Conrad e Travis Moore, continuando em March’s Wonder Woman # 770;

– O premiado escritor Geoff Johns e Todd Nauck contam uma história totalmente nova de Stargirl.

Infinite Frontier #0 chega em 2 de março de 2021 nos Estados Unidos.


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Fazer uma contribuição uma única vez

Fazer uma contribuição mensal

Fazer uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou digite um valor personalizado:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Coringa terá sua própria série de quadrinhos em 2021

The Joker se passará após os eventos de Joker War.


O maior vilão dos quadrinhos e da cultura pop, irá ganhar uma série mensal de quadrinhos pela DC Comics em 2021, explorando ainda mais o personagem e Punchline, uma das parceiras do Príncipe Palhaço do Crime que substituiu a Arlequina. A série mensal será ligada logo ao evento Joker War, onde o Coringa sofreu nas mãos de Bane e Arlequina. E claro, ele quer vingança.


Quer conhecer mais sobre o Coringa? Adquira o quadrinho de Jeff Lemire, Coringa: Um Sorriso de Matar. Para comprar, clique aqui!


Quando fui abordado pela DC sobre o conceito de um título mensal destacando o Coringa, pensei: ‘Como seria esse gibi?’”, disse Tynion“Estou animado para compartilhar esta história de forma que honre tudo o que um gibi do Coringa pode ser, embora seja de um ângulo emocionante e inesperado. Também estou entusiasmado em continuar trabalhando com Sam e Mirka para expandir a história da Punchline que começamos em novembro como um recurso de backup nesta nova série em andamento. Joker War foi apenas o começo do terror e do caos que estamos criando!”

A série irá explorar ainda mais a Punchline, uma personagem criada recentemente para os quadrinhos. Com certeza, será muito interessante expandir sua mitologia.

Confira abaixo as solicitações de capas para The Joker:

The Joker #1, escrita por James Tynion IV e Sam Johns;

Arte de Guillem March, Mirka Andolfo;

Capa de Guillem March;

Capa da variante do Coringa, por Frank Quitely;

Variante do Coringa 1:25, de Riccardo Federici;

Variante da Punchline de Francesco Mattina.

Confira a sinopse abaixo:

Sinopse: “Depois de um ataque impensável a Gotham City, o Príncipe Palhaço do Crime se tornou o homem mais procurado do mundo! O Coringa está fazendo o possível para ficar vários passos à frente da polícia no exterior, mas Jim Gordon, prestes a se aposentar, percebe que esta é a última caça ao homem de sua vida e jura rastrear o pior inimigo de Gotham, completando sua carreira histórica. Mas existem algumas forças misteriosas e mortais que também estão em busca do Coringa, e eles não vão deixar Gordon atrasá-los ou atrapalhar.

Na história de backup de Tynion IV, o co-escritor Sam Johns e a artista Mirka Andolfo, Alexis Kaye, também conhecida como Punchline, torna-se a mais nova residente da Penitenciária Blackgate, enquanto do lado de fora Harper Row retoma seu papel como Bluebird para evitar que seu irmão caia a influência de Punchline e sua marca sedutora de anarquia e caos.”

The Joker #1 tem data para 9 de março de 2021.


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Fazer uma contribuição uma única vez

Fazer uma contribuição mensal

Fazer uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou digite um valor personalizado:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Batman: O Cavaleiro das Trevas é adicionado ao National Film Registry

Longa será preservado na Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos.


O aclamado Batman: O Cavaleiro das Trevas, de Christopher Nolan, será mais um dos 24 filmes que serão preservados na Biblioteca do Congresso dos EUA, pela National Film Registry (Registro Nacional de Filmes) neste ano. O público pode nomear até 50 filmes por pessoa, e um conselho irá definir quais obras cinematográficas irão fazer parte, sendo eles culturalmente, historicamente e esteticamente definidos.

Anúncios

A cada ano, de acordo com a Lei de Preservação de Filmes, a Biblioteca do Congresso tem que adicionar 25 filmes ao National Film Registry. Em suas novas adições, estão Shrek, Laranja Mecânica, Cavaleiro das Trevas, Grease, Guerra ao Terror e vários outros, vindo desde 1913. Nessa nova remessa, nove filmes são dirigidos por mulheres e sete por negros, para que futuras gerações percebam que o cinema começou a ficar ainda mais inclusivo em poucas décadas atrás.

“O National Film Registry é um importante registro da história, cultura e criatividade americanas, capturado por meio de uma das grandes formas de arte americanas, nossa experiência cinematográfica”, disse a bibliotecária do Congresso Carla Hayden. “Com a inclusão de diversos cineastas, não estamos tentando estabelecer recordes, mas sim endireitar o registro, destacando as contribuições surpreendentes que mulheres e pessoas de cor têm feito para o cinema americano, apesar de enfrentar obstáculos muitas vezes esmagadores.”

Batman: O Cavaleiro das Trevas não é o primeiro filme de quadrinhos a estar no registro da Biblioteca do Congresso. O clássico Superman: O Filme (1978), de Richard Donner, com o eterno e brilhante Christopher Reeve, foi o primeiro filme baseado em quadrinhos a integrar o National Film Registry. Para a época, o filme revolucionou em efeitos visuais, tendo uma trilha sonora marcante, sendo indicado para o Oscar de 1979, o primeiro filme de um herói que foi ao Oscar. E para o século seguinte, Cavaleiro das Trevas, com Christopher Nolan no comando e Christian Bale no papel, mudou para sempre os filmes de heróis e o Oscar. 

Sendo o primeiro longa de um herói a alcançar o bilhão, recebendo oito indicações ao Oscar de 2009, vencendo em Melhor Edição de Som e por Melhor Ator Coadjuvante, sendo Heath Ledger o premiado, pela brilhante interpretação do Coringa.

“Esta não é apenas uma grande honra para todos nós que trabalhamos em ‘O Cavaleiro das Trevas’, mas também uma homenagem a todos os artistas e escritores incríveis que trabalharam na grande mitologia do Batman ao longo das décadas”, disse Christopher Nolan.

Com certeza, uma adição muito merecida de um filme que revolucionou a indústria de heróis e alavancou ainda mais grandes produções.


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Fazer uma contribuição uma única vez

Fazer uma contribuição mensal

Fazer uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou digite um valor personalizado:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios