Gladiador é um clássico que merece ser visto!

Os anos 2000 foram repletos de filmes incríveis tendo Christian Bale em Psicopata Americano, Mel Gibson estrelando O Patriota e o começo dos X-Men no cinema, pondo os heróis nas telonas novamente. Mas entre todos estes e mais alguns, Ridley Scott fez o melhor filme do ano considerado pelo Oscar, Gladiador!


“O que fazemos em vida ecoa na eternidade.”


Elenco formidável

O papel destacado para Russel Crowe foi perfeito. Um dos melhores desempenhados em sua carreira, se não o melhor. Sendo um comandante do exército, posteriormente vendido como escravo, Maximus buscava vingança pelo que fizeram com sua esposa e filho, e sabia quem foi, Commodus. Commodus, interpretado por Joaquin Phoenix, era o sucessor de seu pai Marco Aurélio, imperador romano que trouxe a paz para Roma e que fora assassinado por seu próprio filho. A reviravolta acontece quando Maximus é mandado pelo imperador para ser executado pelos Pretorianos (soldados do império). Ele luta contra e sobrevive, indo atrás de sua família para salvá-los, mas chega do tarde demais.

Maximus e o Imperador

Cansado e com a saúde frágil, o imperador que trouxe a Pax Romana precisava de um homem que pudesse substituí-lo e ser melhor do que ele jamais foi. Para isso, ele escolheu Maximus como substituto, sabendo que Commodus, seu filho, colocaria a ambição em primeiro lugar. Marco Aurélio via o comandante de sua legião alguém que não tinha se corrompido pela política, como ele mesmo e o Senado. O último desejo do César era que Roma voltasse a ser o que era, com uma paz duradoura e uma república a seguir.

“Conquiste Roma e devolva ao povo.”

Gladiador vs Tirano

Commodus foi maníaco o bastante para um imperador romano. Sua retratação no filme é algo mais além, já que a história real do filho de Marco Aurélio é diferente. Nascido em 161 d.C, se tornou César aos 5 anos de idade. O interesse de Commodus era mais para a parte amorosa do que política. Reinou sem seu pai a partir de 180, após a morte do mesmo. Sofreu conspiração de sua própria irmã e mãe, executando-as. Seu governo era instável, e para amenizar, usufruía da política do “Pão e Circo”, dando espetáculos de gladiadores ao povo e ainda lutando no anfiteatro como um.

No filme, ele é mais megalomaníaco do que na vida real. Matou seu pai, tornando-se sucessor e odiado pelo povo e Senado no começo. Logo, teve de aplicar o “Pão e Circo” para que o foco do povo fosse outro. Além disso, Commodus também sofreu conspiração de sua irmã, Lucila (Connie Nielsen), mas não matou. Ainda lutou na arena no final do filme contra Maximus.

Enredo

Gladiador se passa no ano de 180 d.C, mostrando Roma nas Guerras Marcomanas e o sucesso de Maximus contra os bárbaros. O comandante era um fenômeno para o exército e para o imperador. Após a morte de Marco Aurélio e a ascensão de Commodus ao trono, Maximus é mandado para morrer. Ao sobreviver, ele vai atrás de sua família e os encontra mortos. É vendido como escravo, e usado como gladiador. O único objetivo dele era se vingar de Commodus por destruir sua vida e matar esposa e filho.

Batalhas

As batalhas do filme são incríveis, jorrando sangue pra tudo quanto é lado. Mas as melhores, claro, são as dos gladiadores enquanto lutam no coliseu contra a bárbara horda. Uma sequência cheia de ação e brutalidade, que mostra a estratégia usada por Maximus contra seus inimigos.

Cenas marcantes

A obra de Ridley Scott não faltou cenas marcantes. São tantas que listamos apenas três:

1 – “Vocês não estão se divertindo?”

2 – “Meu nome é Gladiador.”

3 – “Vá para eles, Maximus.”

Trilha sonora

É com toda a certeza um dos pontos mais altos do filme. A trilha sonora composta por Hans Zimmer e Klaus Badelt é sem dúvidas, uma das melhores já vistas no cinema.

Uma trilha que torna-se épica e barulhenta em batalhas, inspiradora em vitórias, dramáticas em fugas e tristes em mortes. As mais notáveis são; The Battle, Elysium, Honor Him e Now We Are Free, com a voz de Lisa Gerrard.

Afinal, Gladiador é o melhor filme sobre história?

Para muitos, sim, pela história contada de uma forma mais realista, mostrando um impecável visual da Roma Antiga nas telonas, sendo tão glorioso quanto em pinturas ou na imaginação. Gladiador, mesmo que não siga totalmente uma história real, usa personagens que existiram para moldar um filme com um que nunca existiu, Maximus.

Recebeu várias indicações ao Oscar, BAFTA, Globo de Ouro e MTV Movie Awards, tendo 13 premiações, incluindo de melhor ator, melhor filme, melhor som, melhor trilha sonora, figurino efeitos especiais, entre outros.

Além de ser emocionante em seu final, o roteiro é incrível, mesmo distorcendo Commodus, mas trazendo a ruína que ele causou ao Império Romano.

Gladiador serviu de inspiração para outros diretores, alavancando o tema sobre história nos cinemas. O longa, a cada ano que passa, não perde sua grandiosidade, sendo um filme que merece ser visto por várias gerações, tornando-o inesquecível!