Imagens

Liberada a sinopse do segundo episódio de ‘Titãs’

O primeiro episódio da série ‘Titãs’ trouxe alegria aos fãs, e hoje foi divulgada a sinopse do segundo episódio chamado de “Rose”.

Sinope: “Depois de 3 meses após o encontro com Trigon, Dick está dando duro para treinar Rachel, Gar e Jason. Enquanto isso, o resto dos nossos heróis estão tentando seguir com suas vidas. Hank e Dawn estão se afastando para o estado de Wyoming, enquanto Donna e Kory estão perseguindo uma meta-humana. No entanto, esse novo nirmal é interrompido por velhas ameaças do passado, e uma jovem fugitiva.”

O novo episódio estreia nesta sexta-feira (13). A segunda temporada de Titãs ainda não tem previsão de estreia na Netflix. Está sendo transmitida pela plataforma de streaming DC Universe.

Crítica: Rainhas do Crime

Alerta: SPOILERS! Desça e leia por sua conta em risco.


Vertigo por uma última vez.


É final dos anos 70 em Nova Iorque. Hell’s Kitchen é movimentada pelos irlandeses. Gângsters que protegem lojas, restaurantes e a pele de algumas pessoas em troca de dinheiro. Para um filme que tem o enredo desta década não se é muita surpresa.

‘Rainha do Crime’ (The Kitchen no inglês) já inicia com o puro machismo da década. A máfia irlandesa controla o bairro… até então. Os maridos de Kathy (Melissa McCarthy), Ruby (Tiffany Haddish) e Claire (Elizabeth Moss), logo são presos após falharem em uma missão. E é a partir daí que o filme começa a mostrar sua proposta ao público.

As esposas dos irlandeses precisavam de dinheiro, já que eram seus maridos que as sustentavam. Elas tomam o controle do bairro, e em pouco tempo conseguem construir um pequeno império, conseguindo ser tão grandioso quanto o de seus cônjuges.

A ação mesmo começa após a chegada de Gabriel (Domhnall Gleeson), um psicopata que salva Claire de ser abusada por Jackie (Myk Watford). Ele é morto, e isso facilita que as três mulheres dominem todo o complexo e controlem a máfia dos maridos.

Ao som de Barracuda, as mortes começam e a segurança, principalmente às mulheres chega. É improvável dizer que a trilha do filme não tenha encaixado com a ideia principal. Talvez o ponto maior do longa tenha sido aí.

Enquanto deixavam todos no bolso em negociações, seus maridos já estavam para quase saírem da cadeia. É claro que não iriam gostar do que estava acontecendo. Sentiriam inveja por não terem tido tanto sucesso quanto suas esposas.

E é isso o que acontece. O espectador já poderia prever isso logo na metade do filme. Quando os irlandeses saem, uma recompensa pela cabeça das Rainhas de Hell’s Kitchen é espalhada no bairro. O filme começa a ir caminhando para seu fim, parecendo que tudo iria dar certo, até que Claire morre. O ponto mais dramático, que consegue quebrar a expectativa do público, e pondo fim no reinado das três (já que uma apenas queria tudo).

As atuações são impecáveis. Era já esperado um filme mais centrado. Sério. Sem que desviasse do assunto. Melissa McCarthy sai dos filmes de comédia para atuar em um de quadrinhos. Haddish e Moss também têm seus destaques. Esta, cansada de sofrer nas mãos de um homem. Aquela, querendo tudo para si, passando por cima de todos.


Veredito

‘Rainhas do Crime’ é uma premissa baseada ns quadrinhos de Ollie Masters e Ming Doyle. Mostra que é possível sim seguir ligeiramente as HQs.

O longa deixa de usar alguns momentos clichês de que, todo mafioso apenas anseia por poder e nada mais. Porém, se perde no final, nesta mesma ação. Alguém buscava tudo para si desde o início. A amarga bilheteria pode explicar o insucesso do filme.

É, sem dúvidas, um filme que deixa a desejar em ação e tensão. Entretanto, foi preciso quando usufruiu das duas coisas. Andrea Berloff acertou no elenco, dando um toque de um humor mais sutil, mas pecou num roteiro pouco desconexo, confuso, com aparições repentinas e a pouca exploração das personagens.

O filme encerra o ciclo da Vertigo nos cinemas.

7/10.

Jonah Hex voltará em ‘Crise nas Infinitas Terras’

O mais destemido do Velho Oeste está de volta. Jonah Hex, que é interpretado por Johnathon Schaech, irá participar do mega evento do Arrowverso.

O pistoleiro apareceu apenas em ‘Legends of Tomorrow’, em três episódios. Um na primeira, outro na segunda e por último, na terceira, ajudando a equipe a enfrentar o vilão Mallus.

Não há detalhes ainda de como será sua introdução no crossover.

O épico evento terá 5 horas, juntando Arrow, Flash, Legends of Tomorrow, Supergirl, Batwoman e Raio Negro.

A CW já definiu os dias em que irão acontecer os episódios:

• Supergirl – Domingo (08/12)

• Batwoman – Segunda (09/12)

• Flash – Terça (10/12)

• Arrow – Terça (14/01/20)

• Legends of Tomorrow – Terça (14/01/20)

As séries da DC pela CW, são transmitidas pelo canal pago Warner, no Brasil.

Batman sofre grande perda em HQ!

Alerta: SPOILERS! Desça e leia por sua conta em risco.


Como todos sabem, o Cruzado Encapuzado anda sofrendo muitas perdas. Na última edição de Batman #77: Cidade de Bane, o vilão mata Alfred, sem piedade.

Bane passou todo seu arco conspirando contra Batman. O casamento fracassado com Selina Kyle e o assassinato de Dick Grayson. Isso levou Batman para o fundo do poço. Não só isso, mas agora o assassinato de seu fiel mordomo e leal amigo, Alfred.

Bane tomou a cidade com o Batman de Flashpoint, Thomas Wayne, pai de Bruce, e ainda, os vilões são controlados pela mente.

Bruce não tem possiblidade de pedir ajuda para ninguém, já que Damian foi capturado após perder para seu avô, Thomas Wayne. Bane não queria que nenhum herói entrasse em Gotham, e ameaçou matar o mordomo. Porém, o único que entrou foi Damian, e o vilão matou Alfred na sua frente.

Batman se vê derrotado, apelando para o plano, “uma boa morte” (referência ao Retorno do Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller). Entretanto, Mulher-Gato parece ter um plano para superar o grande vilão, e está determinada para ajudar Bruce.

A HQ está sendo escrita por Tom King. Já se encontra disponível digitalmente.

‘Mulher-Maravilha 84’: foto revela novo traje das Amazonas

Uma foto dos bastidores do segundo filme da Gal Gadot na pele da heroína, revela uma mulher com um traje parecido com o das Amazonas.

Três imagens vazaram nos stories do Instagram e um usuário conseguiu pegá-las, porém apenas uma está sendo falada ultimamente.

Rosana Walls que veste a roupa, é uma das Amazonas de Bana-Mighdall, outro local, só que das Amazonas dissidentes. Elas se separaram há 3000 anos de Themiscira, jurando vingança contra os homens e renuciando os deuses do Olimpo.

O longa foi produzido em 2018 e terminado no fim do mesmo ano, tendo lançamento previsto para 2019. Porém, Patty Jenkins adiou a estreia para 4 de junho de 2020 para refilmagens.

Não está tão claro o enredo do filme. Apenas está nítido que o filme se passará no período da Guerra Fria. Um possível trailer será lançado no final do ano.

O elenco conta com Gal Gadot (Diana Prince), Chris Pine (Steve Trevor), Kristen Wiig (Mulher-Leopardo), Connie Nielsen (Rainha Hipólita), Robin Wright (Antíope) e Pedro Pascal.

Confira algumas imagens abaixo:

Stephen Amell escalado para estrelar em ‘Heels’

O ator do Arqueiro Verde em ‘Arrow’, Stephen Amell está escalado para um novo projeto na TV, ‘Heels’. A princípio ele seria o vilão da história.

O site deadline divulgou a sinopse da série:
“Escrito por Michael Waldron, com Mike O’Malley definido como showrunner, Heels é sobre os homens e mulheres que perseguem seus sonhos no mundo do wrestling profissional. Situada em uma comunidade da Geórgia, a trama segue uma empresa de promoção de wresteling pertencente a uma família, onde dois irmãos e rivais – um deles interpretado por Stephen Amell – entram em guerra pelo legado de seu falecido pai. No ringue, alguém deve ser o mocinho e alguém deve ser o seu nêmesis (Amell). Mas no mundo real, pode ser difícil para esses personagens viverem juntos – ou deixar algo para trás.”

“Hey, Cody Rhodes, quer vir me ajudar a fazer um programa de TV?”

‘Heels’ foi criado em 2017 pela Paramount, na Starz (canal americano) para uma série de oito episódios. Agora, a série está sendo produzida pela Lionsgate TV, com associação da Paramount TV.

A direção fica por conta de Mike O’Malley. O roteiro foi escrito por Michael Waldron. Julie Yorn, Chris Donnelly e Patrick Walmsley serão os produtores executivos, juntando-se a Mike e Michael.

A série ainda não tem previsão para estrear.

Crítica: The Boys

Alerta: SPOILERS! Desça e leia por sua conta e risco.


Se você tivesse poderes, o que faria com eles?

The Boys, a mais nova e aclamada série da Amazon, que se encontra disponível na ‘Prime Video’ é uma grande sátira dos super-heróis. Dos quadrinhos de Garth Ennis e Darick Robertson, direto para a TV, com a direção de Eric Kripke.

A série começa quando o principal personagem, Hughie Campbell (Jack Quaid) perde a namorada após ela ter sido assassinada por Trem-Bala (Jessie Usher). Billy Butcher (Karl Urban) então oferece à ele vingança. Billy Bruto, como é chamado, é um personagem misterioso, que busca vingança, pois sua esposa morreu nas mãos de um super. A atuação de Karl é impecável, traspassando apenas um personagem sério, irônico e literalmente bruto.

Na equipe contra os heróis ainda participam o Francês (Tomer Capon), um traficante de armas, gênio de tudo, Leitinho (Laz Alonso) e a mulher misteriosa super poderosa (Karen Fukuhara), que interpretou a Katana em ‘Esquadrão Suicida’.

Em contrapartida aos que pregam que os heróis são seres corruptos, Os Sete, a equipe que funciona como a Liga da Justiça, mostram ao povo que a humanidade precisa dos heróis. A Vought, empresa que os contrata, está sempre na cola, com roteiros a serem seguidos, frases a serem faladas e como o herói deve se portar ao público. Uma das mais novas aquisições foi a Luz-Estrela (Erin Moriarty), que se dizia muito fã da equipe desde criança. E além disso, foi treinada pela mãe para estar junta dos outros super-heróis e realizar seu sonho.

A série ainda traz muitos outros, conseguindo focar com precisão em todos. Capitão Pátria (Antony Starr), uma sátira do Superman sem nenhuma educação ou heroísmo de fato, é o lider dos heróis. Ele é o principal alvo de Bruto, já que é acusado de ter matado sua esposa. E realmente, é perceptível o egocêntrico que o Capitão é. Starr mostrou que é o homem certo para intepretrar personagens enigmáticos, que não sentem emoção, muito menos remorso do que faz de errado.

Diferentemente da Rainha Maeve (Dominique McElligott), que mesmo sendo controlada pela empresa, ela ainda consegue se sentir culpada por certos atos que poderia ter feito e não o fez. É, sem dúvidas, uma cópia distorcida, mas não muito, da Mulher Maravilha.

Também conta com O Profundo (Chace Crawford), o mais zoado da equipe, fazendo alusão ao Aquaman e Black Noir (Nathan Mitchell), que seria um tipo de Batman. Os movimentos ninjas do personagem são muito bem coreografados, chamando muito a atenção.

A criação dos heróis é algo incrível. Não nasceram com tais poderes, mas sim, injetavam enquanto bebê, um tipo de substância, o composto V, que concedia qualquer poder. A Vought estava por trás disso tudo. A descoberta do composto foi o fator decisivo para toda uma reviravolta.

O desenvolvimento dos personagens na primeira temporada foi excelente, explorando cada ponto de cada um. Os episódios são longos, mas a temporada conta com apenas oito. São episódios que deixam o seriador preso e fascinado com tamanha barbárie, com sua violência excessiva e a sátira dos heróis. O CGI é muito bom, principalmente no raio laser do Capitão Pátria, que corta os inimigos ao meio com facilidade. A violência extrema da série lembra muito Watchmen, porém, é realmente extremo e ainda pior que os vigilantes de Alan Moore. O único ponto negativo é a falta de um certo tom heroico. É claro, se trata de uma sátira aos heróis, mas é uma das poucas coisas que falta para a série ser perfeita (Por isso não é visto o Capitão voar pra lá e pra cá toda hora). Mas isso não agrega tanto negativamente, já que o enfoque não é esse.


Veredito

A série é violenta, tensa e infernal ao mesmo tempo, mostrando que qualquer um com poder pode muito fácil ser corrompido pelo próprio egocentrismo, ou de algumas pessoas. A história é muito convincente, e a atuação do elenco, especialmente a de Starr é incrível.

9,5/10

Confira o trailer da série:

Confira a análise sobre o trailer da segunda temporada de Titãs!

Depois do sucesso da primeira temporada de Titãs, a DC lançou o trailer da sua segunda temporada, que conta com grandes novidades.

O trailer revela cenas eletrizantes, personagens novos e um vilão de tirar o fôlego.

Confira abaixo os atores que irão interpretar os novos integrantes da série:

O ator Drew Van Acker irá interpretar o personagem Garth que também e conhecido como Aqualad, atlante e parceiro do Aquaman.

Depois da cena pós-creditos no final de Titãs, revelando o personagem Superboy e o Super-Cão chamado Krypto, o ator Joshua Orpin irá interpretar o personagem Conner Kent que também conhecido é como Superboy.

Superboy é um clone do Superman criado por uma organização chamada Cadmuns. Ele foi criado a partir do DNA de Lex Luthor e do Superman.

Chelsea Zhang irá interpretar Rose Wilson, a Devastadora.

Rose é filha de Slade Wilson e também é irmã de Joseph Wilson, o Jericó.

Chella Man irá interpretar um personagem que também é filho de Exterminador.

O ator irá interpretar o personagem Joseph Wilson, conhecido como Jericó.

O ator Esai Morales irá interpretar o personagem Slade Wilson, que também atende pelo nome de Exterminador.

O ator Iain Glen (Game Of Thrones) irá interpretar o Batman.

Durante a primeira temporada, em uma ilusão feita pelo demônio Trigon, mostram o Batman, mas apenas o corpo e não o rosto. Agora terá um ator de rosto para interpretar o Cavaleiro das Trevas.


A segunda temporada vai ao ar dia 6 de Setembro, na plataforma de streaming DC Universe.

Confira abaixo o trailer da segunda temporada de Titãs:

Review: Pennyworth

“É uma guerra, e haverá derramamento de sangue.”


A mais nova série da DC, ‘Pennyworth’ produzida pela Epix teve seu primeiro episódio lançado no dia 28 de julho.


A série que retrata o fiel mordomo e leal amigo de Bruce Wayne, Alfred (Jack Bannon), ganhou seu episódio piloto na última semana, com pouco mais de uma hora. Bruno Heller e Danny Cannon (Gotham) conseguem trazer a dinamicidade do personagem, o desenvolvendo em um longo episódio, mas sem enfatizar de fato com o Cavaleiro das Trevas.

Começamos com Alfred, interpretado pelo ator Jack Bannon. A retratação é muito diferente dos filmes e quadrinhos. Não se vê um homem velho e bondoso como os fãs estão acostumados. E sim, um jovem atormentado com os tempos de guerra e apaixonado, mas com um bom coração, tentando sempre fazer o certo. Porém, ele é ridicularizado por seu pai, que é um mordomo, e o diz para arranjar um emprego de verdade, e não trabalhar de segurança numa boate.

O encontro de Alfred com Thomas Wayne (Ben Aldridge) foi a chave perfeita para o desencadear do primeiro episódio. A relação de ambos começa em uma confusão na boate. Em uma troca de favores, Thomas lhe dá seu telefone e Alfred, seu cartão da sua empresa “Pennyworth Security”. Andando ainda mais pra frente, é nítido que Alfred e Thomas têm muita coisa em comum. Dois homens céticos.

O primeiro episódio, apesar de ser longo, tem uma ótima motivação para Pennyworth investir a fundo como um segurança pessoal, ou um agente estilo James Bond. A Sociedade dos Corvos, uma organização que funciona como a Corte das Corujas, planeja matar Thomas Wayne. E é aí que entra Alfred. Visto no trailer, uma mulher havia sido raptada. Sua namorada, Esmé (Emma Corrin). Bet Sykes (Paloma Faith), a vilã, que por sinal flui de forma perfeita, funciona muito bem sendo destemida e paciente, usando uma certa ironia e rancor a seu favor. Alfred, então, rapta Thomas Wayne, mas tudo não passava de um plano dele com seus colegas nos tempos de guerra. Em uma reviravolta mirabolante, o jovem rapaz salva sua namorada.

O controle da Sociedade dos Corvos gira em torno de Lorde Harwood (Jason Flemyng), que usa da sua finesse britânica a capacidade vilanesca de liderança, para emoldurar uma organização silenciosa, mas que quer mandar em todo o país.

O show de TV ainda apresenta, uma Londres diferente, com seu tempo nublado na época de 60, dando um aspecto de Gotham ao dia. Os sinistros dirigíveis e a fumaça das indústrias tornam Londres ainda mais próximo à cidade natal de Batman. É claro, não possui apenas um centro industrial, mas como uma exuberante paisagem de um belo parque num tempo úmido.

Não só o visual, mas a trilha, também contribui muito para manter a tonalidade da série, ficando evidente que se trata de algo mais investigativo e misterioso.

Veredito

A Epix consegue acertar em sua nova série, mostrando um jovem Alfred que busca alavancar sua carreira como um tipo de agente. O visual londrino único, com a trilha especial, ajudam ainda mais a manter o telespectador vidrado, deixando o episódio leve e dinâmico. A centralização no desenvolvimento de Alfred é importante, conseguindo desmantelar bastante do Batman e manter seu foco no principal herói.

9,5/10.

Confira o trailer da série:

Adão Negro: filmagens previstas para o final de 2020

Depois de vermos a adaptação espetacular de Shazam (Zachary Levy) e da rápida apresentação de Adão Negro em seu filme, esperamos que o talentoso ator Dwayne Johnson possa trazer o personagem Adão Negro em “carne e osso” nas telonas dos cinemas.

Johnson disse que as filmagens de Adão Negro começarão no final de 2020.

O grande inimigo de Shazam só irá aparecer em um terceiro filme de Shazam (o próprio Levy nos disse).

“Eu posso dizer que, até onde eu sei, o Adão Negro não estará no segundo Shazam!, porque a ideia é que eles querem fazer um filme solo do Adão Negro primeiro,” revelou o ator.

“E então seria meio que, se fizermos um terceiro Shazam! e um segundo Adão Negro, tipo [paralelo] desse jeito, é onde nós nos encontraríamos. ” adiciona o ator, explicando que o encontro entre esses dois precisaria ser um evento grandioso. “Porque ele é o vilão supremo do Capitão Marvel, Shazam. Tipo, o Shazam e o Adão Negro, eles são tipo sósias, ele é o gêmeo maligno de quem eu sou.”

“Então tem que ser tipo a batalha final,” conclui o ator.

É possível que no filme solo de Adão Negro terá a participação de Cartel Hall que também é conhecido como Gavião Negro, e SJA (ou Sociedade da Justiça da América).

Johnson recebeu um rascunho do roteiro de Adão Negro aonde mencionava Gavião Negro, Sideral e Esmaga Átomo.

O roteirista Adam Sztykiel (‘Due Date,’ ‘Rampage’) está seguindo algumas dicas do trabalho de Geoff Johns no início de 2000, o que é bastante tentador.

Idade e algumas características dos personagens:

Gavião Negro, Carter Hall: Masculino, 30-39 anos. Nos quadrinhos, par romântico da Mulher Gavião.

Sideral, Courtney Whitmore: Feminino, 20-29 anos. Membro da Sociedade da Justiça da América.

Esmaga Átomo, Albert Rothstein: Masculino, 20-29 anos, membro da Sociedade da Justiça da América.

Além disso, Sideral e Esmaga Átomo muitas vezes foram retratados para estar em um relacionamento nos quadrinhos.
Embora os detalhes do enredo estejam em sigilo e a busca por um diretor ainda esteja em andamento. As filmagens começarão no final de 2020.
A Warner Bros. não definiu uma data de lançamento para ‘Adão Negro’ ainda, mas o filme poderia ser lançado em 2021.

Crítica: Cavaleiros Do Zodíaco (Netflix 2019)

Depois de vermos Cavaleiros do Zodíaco Ômega, Cavaleiros do Zodíaco: Alma de Ouro, do embaraçoso Saintia Shô e do Os Cavaleiros do Zodíaco: A lenda do Santuário. A Toei Animation parte para uma ousada parceria com a Netflix, e nos apresenta Saint Seiya: Os Cavaleiros do Zodíaco.

Essa recente animação surpreende os fãs do anime com mudanças como seu gráfico em 3D (substituindo o gráfico original do anime do qual os fãs já estavam acostumados), a mudança de gênero do cavaleiro de Andromeda (Shun, que era um homem sensível, sentimental e pacifista passou a ser uma mulher determinada) e ocorridos do qual nunca íamos imaginar ver( lutas contra tanques de guerra, helicóptero, e um personagem do qual parece ter saído do nada).

É óbvio que o objetivo dessa animação não é agradar os fãs da série clássica e sim um público mais infantil. Pelos simples fato das lutas serem mais simplificadas e até mesmo não envolver sangue nenhum (como víamos na versão antiga).

Pontos Positivos:

A animação tem uns pontos positivos, como por exemplo: a dublagem que permanece a mesma e isso é uma coisa boa, pois pelo menos temos as dublagens originais e tbm temos uma abertura que é uma regravação respeitosa da banda The Struts.

Pontos Negativos:

Eu não deixo de me perguntar porque a Marin usa máscara e a Shina usa uma máquina que parece que veio da banda Kiss(??). Ou pelo simples fatos dos personagens irem para o meio do nada para lutar numa luta clandestina por motivações forçadas ou sem sentidos para quebrarem seu código de ética sobre não usar a armadura em casos pessoais. E também n posso para de pensar o porquê tem uma tampa de bueiro falante?. Sim. Tem uma tampa de bueiro falante. Parece que foi feita pra dar mais “humor” e eu n achei graça nenhuma. Parece Marvel tentando força o humor nos filmes.

Eu não gostei dessa mudança que fizeram no Shun ( mulher) só por causa de sua sensibilidade ou seu sentimentalismo como homem e então eles mudaram de um homem sensível para uma mulher. Eu achei uma falta de respeito com os fãs do qual já estavam acostumados com um personagem do qual já estava formado e já tinha sua base completa, mas infelizmente eles estragaram o cavaleiro de Andromeda. E também quero entender porque fizeram os cavaleiros perderem tanto tempo em lutas contra helicóptero e tanques (??). Pra depois chegar na luta contra os cavaleiros negros (essas armaduras foram feitas através da ciência tentando replicar os poderes dos cavaleiros) e uma luta contra o Ikki (Ikki se alia ao inimigo).

Tirando as dublagens originais dos cavaleiros…a dubladora da “Shun” Úrsula Bezerra não consegue transmitir tanta emoção para a personagem que tem uma história de superação e força. Ao lança sua “corrente de Andromeda” , falta emoção – que todos os outros dubladores conseguem transmitir perfeitamente.

A opção de manter o nome “Shun” em uma personagem totalmente diferente, é uma das coisas mais arriscadas e confusa que tem…

Encerramento da crítica:

Eu espero que essa próxima temporada traga algumas mudanças positivas. Não posso deixar de dizer que essa animação me trouxe uma dose de nostalgia com aquele pensamento de “que saudade da época que eu assista essa animação quando era pequeno” , mas espero que a Netflix chegue com algo positivo no retorno dessa animação.

Mais dois filmes de “Mad Max” vêm aí

Em entrevista ao IndieWire, George Miller confirmou que está trabalhando em dois novos filmes para a franquia “Mad Max”.

“Existem duas histórias sendo trabalhadas, ambas com envolvimento de Max, mas uma delas mais focada em Furiosa. Estamos conversando. Nós precisamos resolver todas as pendências com a Warner, mas posso dizer que, nesse momento, está muito claro que vão acontecer.”

Mad Max: Estrada da Fúria estreou em 2015 e arrecadou US$ 378 milhões ao redor do mundo. Além disso, o filme recebeu 10 indicações ao Oscar e levou 6 estatuetas.

Crítica: Rei Leão (2019)

Alerta: SPOILERS a seguir. Desça e leia por sua conta e risco!

Um dos filmes mais esperados do ano, talvez o mais esperado pelo público durante toda uma vida, chegou aos cinemas. Rei Leão. De animação, para os gráficos impecáveis do novo filme. Por que o filme desagradou os críticos, mas ainda assim, é muito bom?

Bom, vamos aos fatos. Com a alta tecnologia presente nas épocas atuais, fica fácil de fazer muita coisa. Não foi à toa que o uso do ultra-realismo no filme o fez ter gráficos incríveis, desde os animais presentes em todo filme, até a paisagem magistral no qual ele se passou. Não só isso, mas também as passadas de um leão nas dunas do deserto do Saara. A pata afundando na areia, o detalhismo tão bem usado deixa para o espectador, um clima ainda mais esplêndido, fazendo-o prestar atenção em tudo.

Vamos a primeira parte. Os primeiros pelo menos 40 minutos (até a morte de Mufasa) de filme são gloriosos. A apresentação de Rafiki (John Kani) para todo o reino, Mufasa (James Earl Jones) ensinando Simba (Donald Glover) e outras cenas mais como, Scar com Mufasa, o encontro com as hienas… O confronto de Mufasa com as hienas. Um espetáculo, se podemos dizer.

Primeiro, vamos analisar o vilão, Scar. Logo no começo do filme, o ciclo da vida é dito pelo irmão do rei Mufasa. Também, já aparecem na mesma cena, Zazu e logo depois, Mufasa. Uma conversa mais curta sobre o melhor em combate, e nada tão muito abrangente. Mas, destaco, que o vilão é ainda mais importante do que na animação. Ganhou um tempo de tela maior. A voz consegue amedrontar. O cinismo e ironia que ele usa em certos momentos é fora de sério. É como se fosse uma mistura de vários vilões, convertido para um.

É tão convincente que conseguiu o que queria. Levar na inocência Simba, para ir até o lugar proibido, Cemitério de Elefantes. Claro, após a líder da alcatéia e os outros membros tentarem pegá-lo junto com Nala, Mufasa apareceu para salvá-lo. E é aí que entra a chave para o filme.

“Olhe para as estrelas. Os grandes reis do passado estão lá zelando por nós. Então quando se sentir sozinho, apenas lembre que esses reis irão guiá-lo. E eu também.”

A frase é levada até o fim do filme, quando Simba realmente toma atitude para vencer seu tio. Ainda ressalta que, Mufasa nem sempre estaria ali junto de seu filho, referindo-se que um dia ele seria uma estrela no vasto céu.

Tudo estava nos planos de Scar, e aí chega a fatídica cena. A morte de Mufasa. Para muitos, a morte na animação ainda consegue ser mais emocionante. Para outros, no cinema tem o mesmo tom. E tem. Não só a cena tão realista que queriam fazer, mas a trilha, que ajudou muito para que fosse tão emocionante como na animação.

E após este evento, um alívio cômico maior surgiu. Timão (Billy Eichner) e Pumba (Seth Rogen). Os dois no filme conseguiram transmitir muitas risadas, além da nostálgica música ‘Hakuna Matata’ e ‘The Lion Sleeps Tonight’. Ambos, além das hienas Kamari (Keegan-Michael) e Azizi (Eric Andre) foram o alívio cômico do longa. Mas, em minha opinião, quem se destaca mais entre os 4 é Seth Rogen. Caiu como uma luva no personagem.

E claro, já falando dos dubladores, Chiwetel Ejiofor conseguiu transmitir um vilão incrível, James Earl Jones com toda sua classe foi perfeito, Beyoncé, na voz de Nala consegue ser surpreendente, mas não tão ótima. John Oliver como Zazu e Billy Eichner na pele do Timão, mantém o tom engraçado. Porém, apenas fiquei incomodado com Donald Glover. Especialmente na canção ‘Hakuna Matata’.

Dando uma pausa no roteiro, as canções foram muito bem cantadas, é claro. Tirando a inédita, feita especialmente para o filme do diretor Jon Favreau, ‘Spirit’ cantada por Beyoncé. A música em si não fechou com o filme e a cena mostrada. ‘Be prepared’, que no original é cantada por Jeremy Irons (Scar), também não foi lá aquelas coisas. Claro, a impregnação do realismo não deixou que fizessem todo aquele espetáculo do longa de 1994, mas poderiam ter feito algo melhor. Também, a trilha sonora composta novamente por Hans Zimmer (Trilogia do Batman e Piratas do Caribe), é magnífica. Consegue mostrar um certo heroísmo e passar inspiração, especialmente nas cenas com o Mufasa. Um destaque é para a batalha final. A trilha consegue ser leve e tensa quando as cenas mudam, e no timing certo.

“Está vendo? Ele vive em você.”

O final é épico. Uma derradeira incrível, desde a cena em que Simba vê o reflexo de seu pai na água, até a luta contra seu tio. Juntou-se as cenas de ação com a trilha e formou algo agradável de ser visto, segurando o cinéfilo a todo momento na cadeira. O que mais pode surpreender é ainda o Scar, conseguido virar o jogo nos momentos finais, dizendo quem matou Mufasa na frente de todos, fazendo, então, Simba confessar, mesmo sabendo que era mentira. A cena da morte de Mufasa se repete, agora Simba quem está para cair. O fogo que foi criado através do relâmpago, dá um aspecto vilanesco e de uma verdadeira batalha para o filme. A confissão de Scar para Simba foi a gota d’água para que ele perdesse o trono. Pulando logo pro final, ao longo de toda a luta, a melhor batalha estaria por vir. Scar e Simba, já sobre a pedra, o vilão ainda tentava argumentar que estava fazendo para o bem, que iria dizimar as hienas e tudo mais. Obviamente, as hienas escutaram. Após cair da pedra com um dos golpes de Simba, as hienas o mataram, mesmo ele tentando dizer que tentava enganar seu sobrinho.



Veredito

E bom, sem querer comparar tanto com o longa original, o filme em live-action passa ao telespectador uma sensação única, trazendo leveza, tensão e o tom certo de comédia, que não estraga o filme, apenas o alavanca para ser um filme que toda a família possa assistir. Um filme mais pé no chão, apelando ao excesso de realismo. O maior acerto foi sem dúvidas, Scar, que perdeu sua “leveza” da animação e virou realmente um vilão sem sentimento algum. Movido apenas a inveja. E sem dúvidas, Seth Rogen e Billy Eichner nos trouxeram um Pumba e Timão igual ao clássico. Engraçados e medrosos no tom necessário.

O desacerto, talvez tenha sido a música ‘Spirit’, da cantora Beyoncé, a interpretação dela como Nala, Glover como Simba e ‘Be prepared’. Era perceptível que a cantora não conseguia transpassar a emoção em certos momentos que a personagem precisava, diferente de Glover. Já o cantor, apesar de ter sido uma escolha interessante, não combinou de fato com o personagem. E além disso, na canção ‘Hakuna Matata’, ele extrapolou na entonação. Já na canção de Scar, faltou algo mais megalomaníaco, como na versão original.

Contudo, o filme é divertido, levando a magia e nostalgia do antigo para as telas do cinema em versão live-action.

8,5/10

O filme já faturou US$ 564 milhões ao redor do mundo. Confira o trailer:

https://youtu.be/7TavVZMewpY

Em exibição nos cinemas.

DC: Novo jogo está sendo produzido pela ‘WB Montreal’

Todos já estão carecas de saber que a franquia mais bem estabelecida nos games de heróis é a série ‘Arkham’. Já fará 10 anos desde o primeiro jogo, ‘Batman Arkham Asylum’ e quatro anos do último lançamento, ‘Batman Arkham Knight’.

Já está rolando há alguns meses rumores sobre o desenvolvimento de novos jogos. Mas desde meados de 2017, surgiu rumores sobre a continuação da série ‘Arkham’. Já foi dito que teria três jogos desde então: ‘Arkham Insurgency’, ‘Arkham Crisis’ e ‘Arkham: Court of Owls (Corte das Corujas)’.

O ator Kevin Conroy, que deu voz ao Batman em várias animações e na trilogia Arkham da ‘Rocksteady’ relembrou em seu Twitter dos 4 anos de ‘Batman Arkham Knight’.

Kevin Conroy (@RealKevinConroy) Tweeted:
But why stop there?!! https://t.co/QgHmBm6e2F https://twitter.com/RealKevinConroy/status/1143271620833923072?s=17

“Mas por que parar aí?”

É claro que os fãs começaram a montar suas teorias de que a ‘Rocksteady’ estaria produzindo uma continuação a partir do último jogo lançado.

Porém, os últimos rumores também se posaram diante do Superman, Capuz Vermelho, e Mulher Maravilha.

Superman, que sim, merece ter um jogo à altura do ‘Homem de Aço’, tendo apenas o mais focado pro PlayStation 2 e 3 e Xbox 360, do filme ‘Superman: O Retorno’, teve um rumor de que a ‘Rocksteady’ estaria produzindo um de mundo aberto e que se chamaria, ‘Superman: Melhores do Mundo’ (no inglês, World’s Finest).

Um dos mais novos rumores foi Outlaw’s, e possivelmente teria o Capuz Vermelho e participação do Esquadrão Suicida. Não passou de una farsa.

Já a Mulher Maravilha teria um chamado, ‘Mulher Maravilha: Círculo da Luz’, que seria produzido pela WB Games ou Montreal. Seria também de mundo aberto e teria dois locais. A ilha de Themiscicira e Gateway City. Nada mais se soube do jogo até então.

Mas ontem, um designer de games revelou que a ‘WB Montreal’ está produzindo um novo jogo.

Osama Dorias (@osamadorias) Tweeted:
@sarahlongthorne [redacted]
DC franchise.
[redacted]

Sorry 😦 https://twitter.com/osamadorias/status/1153057370265853952?s=17
“Aqui está uma coisa engraçada. Tanto faz o projeto em que você está trabalhando atualmente (ou está planejando). Me fale o gênero, tema e a sua grande inspiração”, disse Sarah Longthorne da Sumo Digital. Osama Dorias respondeu com “franquia DC”.

Não se sabe, no entanto se talvez seja uma brincadeira ou não, e também, de qual herói seria esse novo jogo. Mas a cada dia, os rumores de novos jogos crescem e os fãs ficam ainda mais sedentos e ansiosos por eles.

Confira abaixo artes conceituais do possível jogo do Batman:

Marvel | O que você precisa saber sobre a Fase 4

Essa noite o presidente da Marvel Studios, Kevin Feige, subiu ao palco do Hall H da San Diego Comic Con para anunciar todos os filmes e produções que estarão presentes na vindoura Fase 4 de filmes do estúdio. Entre as novidades, filmes e séries foram anunciados, com muitas surpresas no caminho. Confira todas agora.

1. Os Eternos

Os Eternos são um desdobramento do processo evolutivo que criou a vida senciente na Terra. Os seus criadores, Os Celestiais, pretendiam que os Eternos fossem os defensores da Terra, o que desencadeia uma guerra contra seus nemesis, os Deviantes. Criados por Jack Kirby, eles fizeram sua primeira aparição em The Eternals # 1 (julho de 1976).

Angelina Jolie, Richard Madden, Kumail Nanjiani, Lauren Ridloff, Brian Tyree Henry, Salma Hayek, Lia McHugh e Don Lee são parte do elenco.

Dirigido por Chloé Zhao, Os Eternos tem data de estreia definida para 6 de novembro de 2020.

2. Shang-Chi

Baseado em no personagem O Mestre do Kung-Fu, Shang-Chi finalmente trará o verdadeiro Mandarim para o MCU.

Com Simu Liu (Shang Chi), Awkwafina e Tony Leung (Mandarim), O filme tem data de estreia para 12 de fevereiro de 2021.

3. Doutor Estranho 2

Doutor Estranho no Multiverso das Loucuras trará Benedict Cumberbath como o mago supremo da Marvel. Elizabeth Olsen co-estelará o filme, reprisado seu papel como Feiticeira Escarlate.

Scott Derrickson volta para dirigir. O filme tem data de estreia definida para 7 de maio de 2021.

Será o primeiro filme do MCU com elementos de terror.

4. Thor 4

Em Thor: Amor e Trovões, Chris Hemsworth, Tessa Thompson e Natalie Portman retornam em mais uma aventura dirigida por Taika Waititi. Desta vez Portman será a versão feminina do Thor!

O filme tem data de estreia para 5 de novembro de 2021.

5. Viúva Negra

Seguindo os acontecimentos de Capitão América: Guerra Civil, Viúva Negra conta com Scarlett Johansson, David Harbour, Florence Pugh, O-T Fagbenle, e Rachel Weisz em seu elenco.

Dirigido por Cate Shortland, o filme chega aos cinemas em 1 de maio de 2020.

6. BLADE

O Caçador de Vampiros chega ao MCU no melhor estilo! O que foi uma surpresa para muitos, já que o premiado ator Mahershala Ali dará vida ao personagem!

O filme segue sem diretor ou data de estreia.

7. Falcão e Soldado Invernal

Como uma série original Disney +, Anthony Mackie e Sebastian Stan retornam para mais uma aventura. Segundo Mackie, ele já estará usando o traje do Capitão América na série! Daniel Brühl retorna como Barão Zemo.

A data de estreia é prevista para 2020.

8. Gavião Arqueiro

Trazendo Jeremy Renner de volta ao papel, a série introduzirá sua sucessora, Kate Bishop.

Ainda não há muitos detalhes, com sua estreia prevista para 2021.

9. WandaVisão

A série original Disney + tem seu lugar logo após os acontecimentos de Vingadores: Ultimato, trazendo Elizabeth Olsen, Paul Bettany e Teyonah Parris (Mônica Rambeau adulta)

Data de estreia prevista para 2021.

10. Loki

Trazendo Tom Hidleston de volta como o deus da trapaça, a série se passará logo após o vilão roubar o Tesseract em Ultimato. Ou seja, numa realidade alternativa.

A estreia é para 2021.

11. E se…?

Sendo uma série animada baseada num famoso quadrinho do mesmo nome, ela contará com os atores dos filmes dublando seus respectivos personagens, em uma série de acontecimentos elseworlds.

O primeiro episódio será E se Peggy Carter tivesse se tornado o Capitão América?

Novidades…

Segundo o presidente da Marvel Studios, Capitã Marvel 2, Pantera Negra 2 e Guardiões da galáxia 3 estão em desenvolvimento. Além de citar o seguinte comentário: “Não tivemos tempo de falar sobre QUARTETO FANTÁSTICO e os MUTANTES”.

Fiquem ligados no Critical Room para mais atualizações.

SDCC19 – ‘Justiça Jovem’ e ‘Doom Patrol’ renovadas!

Os fãs da DC foram presenteados mais uma vez no evento. Além das novas informações no painel das séries do ‘Arrowverse’ e os episódios pilotos de ‘Pennyworth’ e ‘Batwoman’ terem sido mostrados, a animação em série ‘Justiça Jovem’ e a série DC Universe ‘Patrulha do Destino’ foram renovadas respectivamente para a quarta e segunda temporada.

‘Justiça Jovem’ que depois de quase 6 anos parada, teve sua terceira temporada lançada no início deste ano. É provável que seja exibido na HBO Max, junto do DC Universe.

Já ‘Patrulha do Destino’ foi renovada para a segunda. Diane Guerrero (Crazy Jane) e o produtor Jeremy Carver anunciaram também que a série seria exibida na HBO Max, serviço de streaming da WarnerMedia. A primeira temporada estará disponível assim que a segunda for lançada, em 2020.

Elenco de ‘Patrulha do Destino’: April Bowlby (Mulher-Elástica), Alan Tudyk (Sr Ninguém), Brendon Fraser (Homem-Robô), Joivan Wade (Ciborgue), Matt Bommer (Homem Negativo) e Timothy Dalton (Chefe).

O terror continua. ‘Halloween’ ganhará mais duas sequências!

Halloween, o filme do Michael Myers. Pode-se dizer que foi uma revolução para a categoria dos filmes de terror na época (1978), como Superman ao mesmo ano foi para o cinema. O diretor e compositor do primeiro longa, John Carpenter, e também compositor da continuação direta do primeiro filme com o Halloween (2018), confirmou via Twitter que o filme terá continuação.

https://t.co/l4KT8sUo4q

Os próximos longas já tem datas marcadas e nomes. O segundo filme da nova trilogia irá se chamar Halloween Kills, com previsão de estreia para 2020. O último será Halloween Ends, para 2021.

Contaremos com a volta de Jamie Lee Curtis como Laurie Strode, Judy Greer e Andi Matichak. Na direção, David Gordon Green continua na cadeira.

Halloween (2018) faturou pouco mais de US$ 255 milhões.

Sinopse: Quatro década depois de ter escapado do ataque de Michael Myers em uma noite de Halloween, Laurie Strode (Jamie Lee Curtis) terá que confrontar o assassino mascarado pela última vez. Ela foi perseguida pela memória de ter sua vida por um triz, mas dessa vez, quando Myers retorna para a cidade de Haddonfield, ela está preparada.

Confira o anúncio também pelo YouTube:

SDCC19 – DC anuncia animação do ‘Superman: Entre a foice e o martelo’ e ‘Liga da Justiça Sombria’

Na sexta (19), tivemos a confirmação de uma das mais esperadas animações que os fãs tanto queriam, ‘Superman: Entre a foice e o martelo’.

Nessa surpreendente releitura de um conto mais que familiar, uma certa nave kryptoniana cai na Terra, trazendo um infante que um dia se tornará o ser mais poderoso do planeta. Mas seu veículo não caiu nos Estados Unidos. Ele não foi criado em Smallville, Kansas. Em vez disso, encontrou um novo lar em uma fazenda coletiva na União Soviética! Da mente de Mark Millar, elogiado roteirista de Authority e O Procurado, chega esta estranha e genial reinterpretação do mito do Superman. Com arte de Dave Johnson, Kilian Plunkett, Andrew Robinson e Walden Won“.

Além disso, também anunciou mais duas. Superman: Man of Tomorrow e Liga da Justiça Sombria: Apokolips War. A primeira ainda não deram tantos detalhes. Já a segunda, seria continuação da primeira animação da equipe lançada em 2017.

Todas as três animações serão lançadas em 2020.

SDCC19 – DC traz novidades para ‘Pennyworth’

A Comic-Con deste ano, apesar da falta da Warner/DC no ramo dos cinemas, está recheada de novidades sobre as séries. Hoje (19), no painel, Danny Cannon, um dos criadores da série foi abordado se a série estaria no mesmo universo que ‘Gotham’. “Eu diria que sim”, afirmou o criador.

Confira o trailer:

Sinopse: A origem de Alfred, o famoso mordomo de Bruce Wayne, em uma época onde ele era apenas um soldado britânico de 22 anos do Serviço Aéreo Especial do Reino Unido. Na Londres de 1960, Alfred é contratado para trabalhar como segurança do bilionário Thomas Wayne, e os dois tornam-se amigos improváveis.

Alfred a frente e Thomas Wayne a sua direita.

O elenco conta com o jovem ator Jack Bannon (Alfred), Ben Aldridge (Thomas Wayne), Paloma Faith (Bet Sykes), Jason Flemyng (Lorde Hardwood) e Jessica Ellerby (A rainha).

A série estreia dia 28 deste mês.

SDCC19 – Arrowverso: Brandon Routh será novamente o Superman, só que agora na TV!

Hoje tivemos a confirmação de que o ator Brandon Routh, que interpreta Ray Palmer em ‘Legends Of Tomorrow’, irá reprisar o papel de Superman, agora no crossover ‘Crise nas Infinitas Terras’. Ele representou o Homem de Aço em ‘Superman – O retorno’ (2006).

Além do Deadline, o ator confirmou o papel em sua conta no Instagram:

Talvez isso já estava em mente dos produtores e roteiristas que farão esse crossover. No crossover “Invasão” de 2016, Palmer se voltou a Kara e disse que ela se parecia com uma prima dele. Uma nítida referência.

Tyler Hoechlin interpretou o Superman em ‘Supergirl’.

O crossover está marcado para dezembro deste ano e janeiro de 2020. Será separados em 5 episódios. 3 em dezembro e os outros 2 em janeiro.