Arquivo da tag: Vertigo

Constantine pode ganhar uma possível sequência

Constantine é um filme de 2005 estrelado por Keanu Reeves, que interpreta o personagem John Constantine.


O ator Peter Stormare, que interpreta o Lucifer em Constantine, compartilhou em seu Instagram uma imagem que elogiava o trabalho do ator, e na legenda ele comenta “sequência em andamento”. Veja abaixo:

Anúncios

Devemos lembrar que o produtor Akiva Goldsman comentou na Comic-Con at Home deste ano que era possível uma sequência de Constantine, se pudesse contar com ajudas diversas.

Porém, a Warner Bros. Pictures, estúdio responsável pelo primeiro filme, não disse nada a respeito da sequência, e com exceção de Peter Stormare, nenhum outro ator se pronunciou sobre.

Crítica: V de Vingança (2005)

Aviso: Crítica sem spoilers!


Lançado em 2005, V de Vingança é baseado na HQ de mesmo nome, escrita por Alan Moore e desenhada por David Lloyd. A trama segue o misterioso V (Hugo Weaving) e Evey (Natalie Portman) em uma Londres governada sob um regime fascista e liderado por Adam Sutler, que curiosamente é interpretado por John Hurt, que viveu Winston Smith na adaptação de 1984, ou seja, ele conheceu os dois lados da moeda, um como ditador e outro como vítima de uma ditadura.

V utiliza todos os métodos possíveis para atacar o Estado, desde explosões até a invasão de um estúdio de TV controlado pelo governo. Mas não é apenas disso que o filme sobrevive. Todo o suspense criado em cima da real identidade de V, deixa o espectador cada vez mais curioso para descobrir a verdade. Outro fator que deixa a trama mais interessante, é o trabalho com esses ideais fascistas e de como é fácil manipular o povo com um discurso de ódio e palavras vazias e sem sentido.

O principal “problema” do longa, são os efeitos visuais nas cenas de luta, mas isso não atrapalha a experiência do espectador, já que o filme não possui problemas maiores, porque o enredo é fechado e sem furos. As atuações são boas, mas quem merece destaque é justamente o intérprete de V, Hugo Weaving, que entregou um trabalho magistral e nem precisou revelar o rosto.

O mais interessante, é que a máscara do personagem V foi baseada no rosto de Guy Fawkes, que tentou explodir o parlamento britânico na noite de 5 de novembro de 1605. O plano não deu certo, pois entregaram Fawkes, que acabou sendo preso, torturado e morto. Mas ao contrário da vida real, no filme, V consegue explodir o parlamento britânico durante o 5 de novembro. A cena ganha ainda mais destaque por vários fatores que não posso revelar, por conta dos spoilers, mas um deles é a trilha sonora utilizada, 1812 Overture de Tchaikovsky. A cena ganha ainda mais significado, pois naquele momento, o espectador percebe que V não era homem, nem uma mulher, mas sim, uma ideia, e ideias são à prova de balas.

Lembrai, lembrai do cinco de novembro. A pólvora, a traição, o ardil, por isso não vejo como esquecer uma traição de pólvora tão vil.

wood-engraving-Gunpowder-Plot-cellars-Guy-Fawkes
415 anos da Conspiração da Pólvora


Veredito

V de Vingança é uma ótima adaptação, com um enredo sem furos e cheio de referências históricas. Os únicos defeitos estão nas cenas de ação por conta do CGI, porém, isso não interfere na experiência do espectador.

10/10.

Sandman | Neil Gaiman confirma quando a produção da série vai começar

A série Sandman, muito aguardada pelos fãs dos quadrinhos do selo Vertigo/DC Comics, recebeu uma nova atualização, desta vez do próprio criador do universo nos quadrinhos, Neil Gaiman. Em sua conta no Twitter, o quadrinista revelou que a produção da série irá começar em três semanas, mas não deixou pistas sobre quem fará parte do elenco. Veja abaixo:

Anúncios

As filmagens não haviam se iniciado ainda por conta da pandemia do Coronavírus, mas agora, está quase tudo certo para que a produção da nova série da Netflix comece.

Nenhuma pista foi dada sobre qual diretor irá assumir a série, mas rumores indicam que Toby Haynes pode ser um forte candidato para dirigir alguns episódios de Sandman, que ao total terá 11 em sua primeira temporada.

A criação homônima de Neil Gaiman ganhará sua primeira adaptação para a TV. Gaiman será o co-escritor do primeiro episódio, e estará ao lado de David SGoyer e Allan Heinberg.

Sinopse: Uma rica mistura entre mito moderno e fantasia sombria na qual a ficção contemporânea, drama histórico e lenda são perfeitamente entrelaçados. Sandman acompanha os lugares e pessoas afetados por Morpheus, O Rei do Sonho, enquanto corrige os erros cósmicos – e humanos – que cometeu ao longo de sua vasta existência.”

Ao longo dos volumes nos quadrinhos, Sandman teve 75 edições ao todo, que durou de 1989 a 1996. Morpheus, ou Sonho, é um ser poderoso, que faz parte dos Perpétuos: Delírio, Desejo, Destruição, Desespero, Destino e Morte.

Sandman não tem data marcada para lançar.


Confira o último CR News do canal do Critical Room:

Anúncios

Semana Heroica #7 | Hellblazer – Hábitos Perigosos

Como todos sabem, John Constantine é um dos personagens que mais fuma no universo DC Comics, o caçador de demônios adora um cigarro em qualquer hora e lugar, chegando a fumar mais de 30 cigarros por dia, isso tudo desde os 17 anos, quando ele foi para Londres. Porém, como todos sabem, fumar não é uma boa opção, principalmente quando se é um viciado como o próprio Constantine. Esse vício sem limites acabou garantindo um câncer de pulmão no mago, e essa é a história de Hábitos Perigosos, uma das melhores histórias do personagem.

Depois de desistir de um tratamento convencional, Constantine visita um velho amigo que possa curá-lo. Brendan é esse amigo, um bêbado que mora num farol afastado das grandes metrópoles que vendeu sua alma por bebidas. Constantine pensou que seu amigo podia ajudar ele, mas Brendan também estava com câncer e procurava que Constantine pudesse ajudá-lo. Depois disso, os dois bebem de maneira descontrolada, para aproveitar os últimos momentos, antes do toque frio da morte tirar suas vidas. Brendan mostra uma espécie de poço com água benta, que após uma sessão de magia, se transformou numa poça de cerveja, porém, Brendan morre, e o demônio que comprou sua alma finalmente aparece, mas Constantine engana o próprio diabo e salva a alma de seu velho amigo,  condenando a si mesmo.

Depois de procurar ajuda e falhar, Constantine percebe que o único que pode tirá-lo daquela situação é ele mesmo, e após uma despedida, ele finalmente coloca seu plano em ação. Ele vendeu sua alma para outros demônios e quando a hora de sua morte chegou, eles vieram cobrar sua alma, porém todos queriam a alma de Constantine. Isso fez com que eles entrassem em conflito, e um conflito entre demônios podia acabar com o inferno, e eles não queriam isso, portanto eles curam Constantine de seu câncer, apenas para não entrar em uma batalha mortal. Constantine enganou o próprio demônio e saiu com vida. Saiu com estilo:

img_20200919_1500503633520616766858548.jpg

No epílogo, o mago reencontra Kit, a ex-namorada de Brendan, os dois conversam até que John Constantine lembra das despedidas e precisa concertar isso. Ele logo se lembra de Matt, que estava em estado terminal. Ele corre até o hospital para se despedir do velho amigo, que por sorte ainda estava vivo, porém não por muito tempo, já que ele morreu na frente de Constantine e isso o abalou muito. O mago pede para Kit se afastar dele, porque todos os seus amigos morreram, mas ela se recusa e permanece com ele.

img_20200919_1509265286777871789148305.jpg

Hábitos Perigosos certamente é uma das melhores HQs do personagem (se não for a melhor), e mesmo com esse resumo, vale a pena conferir a obra.


Semana Heroica acontece uma vez por mês, durante uma semana, focando em algum personagem dos quadrinhos, para falar sobre quadrinhos, games, filmes e sua origem, essa última no canal do Critical Room.

Confira o vídeo de origem do personagem:

Semana Heroica #6 | Qual é o melhor intérprete do Constantine?

Excêntrico, cínico, arrogante e golpista, as características de um dos personagens mais marcantes do selo Vertigo. John Constantine é muito bem explorado nos quadrinhos mais maduros da DC Comics, e ganhou um bom foco para animações, mas e em live-action, quem seria o intérprete perfeito para o anti-herói?

Devemos voltar há mais ou menos 15 anos atrás, quando Constantine estreava nos cinemas, com Keanu Reeves no papelConsiderado por muitos um ótimo filme por conta da atuação do ator, e muito bem lembrado pelos fãs, tornou-se um filme cult ao passar dos anos. Porém, seu erro está justamente na fidelidade do personagem, algumas mudanças no roteiro, que também não é perfeito e a polêmica mudança de gênero do anjo Gabriel, interpretada por Tilda Swinton. Todo este conjunto da obra fez com que o filme fosse um fracasso em bilheteria e recebesse críticas mistas da imprensa.

Mesmo estando na memória dos fãs, é nítido a falta de fidelidade do filme perante aos quadrinhos Hellblazer. Mesmo ainda viciado por tabaco, marca registrada do Constantine, o visual não lembra em nada o personagem de Alan Moore, que não se contenta com o filme – e com razão. O filme pode ter uma grande atuação por parte de Reeves, mas falha em sua proposta de enredo e torna o Constantine do filme um personagem imemorável em seu visual.

AAAABRVD7lCjiJgJV2R-utqXOGFqfXTw4-Q-15bs0Vtg6Xnn7rJf7jub97R-mpaf2oTgUaGIYJ0_7Lm-ZUmq_8DU_sbm-ofD

Visualmente, o Keau Reeves não lembra em nada o Constantine, mas Matt Ryan sim. Com toda a certeza, o melhor intérprete do Constantine se situa na série de mesmo nome e Legends of Tomorrow. O personagem muito bem interpretado pelo ator britânico, é muito bem visto também pelos fãs, que elogiam tanto sua aparência quase idêntica ao personagem, quanto seu figurino, usando o sobretudo clássico do anti-herói.

Sua série solo não conseguiu deslanchar, pouco agradando os fãs na questão de poderes em que o anti-herói usa muito, o que não é visto nos quadrinhos, apenas em casos isolados, e também na restrição do estúdio quanto ao hábito de fumar do Constantine. Mas, isso tudo é um pouco esquecido em Legends of Tomorrow, havendo mais liberdade para John fumar e com grandes possibilidades de ter um câncer de pulmão.

O roteiro da série é algo a ser discutido, pois consegue apresentar um ótimo universo construído por David S. Goyer (Trilogia Cavaleiro das Trevas) e Daniel Cerone. Em audiência a série foi muito bem, mas foi cancelada por conta das normas da NBC, justamente a de mostrar pessoa fumando.

Matt Ryan interpreta um Constantine tão enigmático quanto é mostrado nos quadrinhos, e consegue manter a mesma forma fiel às HQs, sendo arrogante, viciado por tabaco e também um golpista de primeira. 

Além das séries, o ator empresta a voz ao personagem nas animações em que ele aparece, sendo o dublador oficial do britânico. Seu último trabalho foi em Liga da Justiça: Guerra de Apokolips, última animação de leva Novos 52. O ator já demonstrou interesse também em interpretar o anti-herói na série live-action da Liga da Justiça Sombria. E quer saber? Ele merece!

Matt Ryan é o Constantine por inteiro, e é o ator perfeito para interpretar o personagem.

constantine-matt-ryan-main


Semana Heroica acontece uma vez por mês, durante uma semana, focando em algum personagem dos quadrinhos, para falar sobre quadrinhos, games, filmes e sua origem, essa última no canal do Critical Room.

Mais cedo, no Instagram, aconteceu uma enquete para decidir qual o melhor intérprete do Constantine.

Confira o vídeo de origem do personagem:

Semana Heroica #4 | A primeira aparição de John Constantine

O personagem criado por Alan Moore, Stephen Bissette e John Totleben, apareceu pela primeira vez em Monstro do Pântano Vol 2 #37, em 1985. Ninguém jamais imaginaria que o britânico de sobretudo seria um dos maiores amigos e parceiros do Monstro do Pântano nos quadrinhos da Vertigo Comics.

Britânico, destemido e fumante, o Constantine foi apresentado por Moore à sua característica, um arrogante de primeira – Moore é de vez em quando. Em sua primeira aparição, há um homem loiro cheio de contatos pelo mundo. Ele mesmo afirma que seus contatos estão interligados, desde a Inglaterra até o estado de Wisconsin. Contatos humanos, mas mesmo assim, com um pitada de sobrenatural.

A irmã é um de suas amigas, que sempre procura por John caso tenha algum problema místico. Nem mesmo conversando dentro do convento, Constantine larga o cigarro. Seu vício por tabaco vem desde sua convivência com hippies no início da década de 1980. Com certeza, isso ele levou bem.

Ao saber de Abby e Alec, já se transformando no Monstro do Pântano, sua primeira missão foi auxiliar o Monstro do Verde em Gótico Americano. Ao longo de 14 edições, os dois trabalharam juntos, e viriam a surgir problemas como o culto Brujeria, organização a qual ambos derrubariam.

“Se importa se eu fumar?”

Pouco há para se falar em sua primeira aparição, mas, seu cinismo, sarcasmo, arrogância e individualismo é mantido até hoje, desde sua primeira aparição em 1985. São poucos mais de 30 anos, mantendo a mesma conduta de golpista e mestre do ocultismo, que sempre consegue o que quer, pelo preço certo. O Constantine viria a ter sua própria revista em quadrinhos em 1988, intitulada de Hellblazer, sendo conhecido por este nome até os dias atuais.


Semana Heroica acontece uma vez por mês, durante uma semana, focando em algum personagem dos quadrinhos, para falar sobre quadrinhos, games, filmes e sua origem, essa última no canal do Critical Room.

A abertura da Semana Heroica aconteceu na segunda:

A parte #3 aconteceu ainda ontem. Veja:

Confira o vídeo de origem do personagem:

Anúncios

CR Origens #12 | Justiça Encapuzada e os Watchmen

Sendo uma criação de Alan Moore e Dave Gibbons para o famoso quadrinho Watchmen, Justiça Encapuzada foi o primeiro herói a sair pelas ruas para combater o crime. Pode-se dizer que o traje é fora do comum, pois, se parece com algum membro maior da Ku Klux Klan (KKK), uma organização racista criada após a Guerra de Secessão. O capuz simbolizaria a questão de esconder sua identidade, seguido da corda no pescoço, usada para as forcas.

Mas, essa não é a única interpretação, já que soa muito racista. A interpretação fiel é que ele é como um carrasco, vestindo sua máscara e com a corda em volta o pescoço, que representaria o julgamento e a justiça. 

Critical Room, apresenta a décima segunda edição do quadro CR Origens, finalizando as origens de Watchmen, com o Justiça Encapuzada, um dos membros fundadores dos Minutemen e primeiro aventureiro mascarado do universo criado por Alan Moore Dave GibbonsO personagem é um extra para as origens, sendo escolha do apresentador.

O CR Origens acontece todas as segundas-feiras, no canal do Critical Room no YouTube. Você pode ver todas as origens de alguns personagens na playlist do canal.

Confira o último CR News do Critical Room:

Sandman ganha diretor de fotografia de Peaky Blinders

Uma das séries mais aguardadas da Netflix, Sandman, já tem seu diretor de fotografia confirmado. De acordo com o DiscussingFilm, George Steel, que esteve presente na série Peaky Blinders e também no filme Robin Hood: A Origem, irá ser o responsável pela fotografia.

A criação homônima de Neil Gaiman ganhará sua primeira adaptação para a TV. Gaiman será o co-escritor do primeiro episódio, e estará ao lado de David S. Goyer e Allan Heinberg.

“Estamos entusiasmados em fazer parceira com a brilhante equipe de Neil Gaiman, David S. Goyer e Allan Heinberg para finalmente trazer a icônica série de quadrinhos de Neil, The Sandman, à vida na tela”, disse Channing Dungey, Vice-Presidente das séries originais da Netflix“Desde seus personagens ricos e histórias até seus mundos intricadamente construídos, estamos empolgados em criar uma série épica original que mergulha profundamente neste universo de várias camadas, amados por fãs de todo o mundo”, finalizou.

Sinopse: Uma rica mistura entre mito moderno e fantasia sombria na qual a ficção contemporânea, drama histórico e lenda são perfeitamente entrelaçados. Sandman acompanha os lugares e pessoas afetados por Morpheus, O Rei do Sonho, enquanto corrige os erros cósmicos – e humanos – que cometeu ao longo de sua vasta existência.”

Ao longo dos volumes nos quadrinhos, Sandman teve 75 edições ao todo, que durou de 1989 a 1996. Morpheus, ou Sonho, é um ser poderoso, que faz parte dos Perpétuos: Delírio, Desejo, Destruição, Desespero, Destino e Morte.

A Netflix encomendou 11 episódios no primeiro ano. As filmagens devem começar em maio, no Reino Unido.

 

Crítica: Rainhas do Crime

Alerta: SPOILERS! Desça e leia por sua conta em risco.


Vertigo por uma última vez.


É final dos anos 70 em Nova Iorque. Hell’s Kitchen é movimentada pelos irlandeses. Gângsters que protegem lojas, restaurantes e a pele de algumas pessoas em troca de dinheiro. Para um filme que tem o enredo desta década não se é muita surpresa.

‘Rainha do Crime’ (The Kitchen no inglês) já inicia com o puro machismo da década. A máfia irlandesa controla o bairro… até então. Os maridos de Kathy (Melissa McCarthy), Ruby (Tiffany Haddish) e Claire (Elizabeth Moss), logo são presos após falharem em uma missão. E é a partir daí que o filme começa a mostrar sua proposta ao público.

As esposas dos irlandeses precisavam de dinheiro, já que eram seus maridos que as sustentavam. Elas tomam o controle do bairro, e em pouco tempo conseguem construir um pequeno império, conseguindo ser tão grandioso quanto o de seus cônjuges.

A ação mesmo começa após a chegada de Gabriel (Domhnall Gleeson), um psicopata que salva Claire de ser abusada por Jackie (Myk Watford). Ele é morto, e isso facilita que as três mulheres dominem todo o complexo e controlem a máfia dos maridos.

Ao som de Barracuda, as mortes começam e a segurança, principalmente às mulheres chega. É improvável dizer que a trilha do filme não tenha encaixado com a ideia principal. Talvez o ponto maior do longa tenha sido aí.

Enquanto deixavam todos no bolso em negociações, seus maridos já estavam para quase saírem da cadeia. É claro que não iriam gostar do que estava acontecendo. Sentiriam inveja por não terem tido tanto sucesso quanto suas esposas.

E é isso o que acontece. O espectador já poderia prever isso logo na metade do filme. Quando os irlandeses saem, uma recompensa pela cabeça das Rainhas de Hell’s Kitchen é espalhada no bairro. O filme começa a ir caminhando para seu fim, parecendo que tudo iria dar certo, até que Claire morre. O ponto mais dramático, que consegue quebrar a expectativa do público, e pondo fim no reinado das três (já que uma apenas queria tudo).

As atuações são impecáveis. Era já esperado um filme mais centrado. Sério. Sem que desviasse do assunto. Melissa McCarthy sai dos filmes de comédia para atuar em um de quadrinhos. Haddish e Moss também têm seus destaques. Esta, cansada de sofrer nas mãos de um homem. Aquela, querendo tudo para si, passando por cima de todos.


Veredito

‘Rainhas do Crime’ é uma premissa baseada ns quadrinhos de Ollie Masters e Ming Doyle. Mostra que é possível sim seguir ligeiramente as HQs.

O longa deixa de usar alguns momentos clichês de que, todo mafioso apenas anseia por poder e nada mais. Porém, se perde no final, nesta mesma ação. Alguém buscava tudo para si desde o início. A amarga bilheteria pode explicar o insucesso do filme.

É, sem dúvidas, um filme que deixa a desejar em ação e tensão. Entretanto, foi preciso quando usufruiu das duas coisas. Andrea Berloff acertou no elenco, dando um toque de um humor mais sutil, mas pecou num roteiro pouco desconexo, confuso, com aparições repentinas e a pouca exploração das personagens.

O filme encerra o ciclo da Vertigo nos cinemas.

7/10.

‘The Kitchen’: O que podemos esperar sobre o longa?

‘A Cozinha: Rainhas do Crime’ ou no original, ‘The Kitchen’ é o mais novo filme do selo Vertigo, da DC Comics, a ser lançado nos cinemas. Mas podemos esperar muita coisa sobre?

A resposta é sim. Porém, não espere bilheterias acima da cada dos US$ 300 milhões, como quase todo filme de herói faz.

Nos últimos anos, o selo Vertigo teve apenas 4 filmes lançados. Este seria o quinto. Nos anos de 2005, três: ‘Constantine’, ‘V de Vingança’ e ‘Uma História de Violência’. Já em 2009, apenas ‘Watchmen’.

‘Constantine’ lidera as bilheterias da casa Vertigo, ultrapassando a marca dos US$ 200 milhões. Mas, filmes mais renomados, saindo dos quadrinhos para o cinema de forma primorosa, não passaram dessa marca. As obras de Alan Moore, ‘Watchmen’ e ‘V de Vingança’, apesar de receberem vários elogios e críticas positivas, amargaram uma bilheteria baixa para os padrões de grandiosidade de suas histórias.

E, talvez ‘Rainhas do Crime’ siga essa mesma linha de bilheteria. Será um filme com seriedade, mas não espere seriedade em todo o longa. O alívio cômico seria a atriz Melissa McCarthy, que já desempenhou vários papéis em filmes de comédia. Uma atriz de grande nome, que ganharia um bom foco na história.

Elisabeth Moss e Tiffany Haddish também irão fazer companhia a Melissa nesse novo mundo para elas. O mundo do crime.

Sinopse: Em Nova Iorque nos anos 70, as esposas de mafiosos irlandeses ficam no controle dos negócios em Hell’s Kitchen depois que agentes do FBI prendem seus respectivos maridos. O grupo é liderado por três mulheres com temperamentos extremamente diferentes, mas que compartilham do mesmo objetivo: proteger a empresa de suas famílias, custe o que custar.

Confira o trailer:

O filme estreia dia 8 de agosto deste ano.

SDCC19 – HBO: SAIU!!! Novo trailer de ‘Watchmen’. Está fantástico!

Há 2 meses, um teaser sobre a série havia sido lançado pela HBO. Hoje (20), na Comic-Con, foi lançado um novo trailer. Confira:

A série será uma nova imaginação da aclamada Graphic Novel de Alan Moore, sendo dirigida por Damon Lindelof (Lost e The Leftovers). ‘Watchmen’ já teve uma adaptação, só que para o cinema. Filme foi lançado em 2009 e dirigido por Zack Snyder.

O elenco conta com muitos atores. Entre os mais renomados estão Jeremy Irons (Ozyamandias), Regina King (Angela Abraham), Don Johnson (Chefe Judd) e Tim Blake Nelson (Espelho).

A série estreia em outubro deste ano.

Confira algumas imagens: