Arquivo da tag: Batwoman

O que esperar da 2ª temporada de Batwoman?

Com nova atriz, série caminhará para novos horizontes.


Batwoman, série produzida pela The CW, viveu momentos turbulentos quando a atriz Ruby Rose, protagonista do show pediu para sair, pegando todos de surpresa, inclusive os fãs. Fato é que o seriado não agradou boa parte do público, por motivos um pouco fúteis, não levando em questão detalhes mais técnicos ou roteiro. E com a nova escalação de outra atriz no papel, os fãs ficaram divididos, com alguns querendo que a série acabasse sem ter um final, e outros pensando em como vão substituir Kate Kane no show de TV.

Anúncios

A nova atriz escalada é Javicia Leslie, que esteve no elenco do seriado The Family Business, irá protagonizar a série no lugar de Ruby Rose, mas não assumindo Kate Kane e sim uma personagem original criada pelos roteiristas. Mas o que pensar dessa troca? Irá vingar ou ser uma protagonista genérica?

javicia-leslie-to-play-first-black-batwoman-ruby-roses-reaction-to

Com a nova temporada se encaminhando para estrear ainda em janeiro de 2021, a anterior deixou um bom gancho para a a que está por vir, com Thomas Elliot, o Silêncio, assumindo o rosto de Bruce Wayne. Isso seria muito utilizado contra Kate, mas com a nova protagonista que se chamará Ryan Wilder, qual será a conexão de Bruce com ela? É improvável que mantenham o foco nessa antiga trama, pois Kate sumiu do radar e é nisso que eles irão trabalhar. E onde ela está? Desistiu do manto e sumiu, assim como seu primo, ou morreu nas mãos de algum vilão como o Espantalho? Rumores apontam que ela será morta, mas ainda não se sabe como, porém tudo pode acontecer.

São vários pontos a serem debatidos, e com certeza, os fãs estão curiosos para saber sobre a trama. Mas, temos a confirmação de que o Espantalho estará envolvido na nova temporada e na origem de Ryan Wilder, já que o mesmo matou sua mãe. Isso basta para que ela procure vingança contra Crane, roube o traje da Batwoman e faça sua própria cruzada contra o crime em Gotham.

BW_Cv10_gallery_5a332d184cda76.43360149
Batwoman #10 (DC Universe)

Assim como Kate, Ryan irá trabalhar ao lado de Luke Fox e demais aliados da Batwoman original, o que poderá ajudá-la a ganhar mais visibilidade e confiança no trabalho. Mas também trará para si seus velhos inimigos, com Alice e o próprio Silêncio, que não estão conectados em nenhuma forma com a nova protagonista. Mas o que resta é esperar a segunda temporada estrear ou um trailer, para ver qual será a trama.

Confira a sinopse inicial da segunda temporada:

Sinopse: “Uma grande mudança de jogo que alterará Gotham e o time Bat para sempre. Conforme a poeira assenta, Batwoman tem tudo trabalhando contra ela – incluindo a galeria de vilões dos bandidos recentemente fugitivos – e todos virão a vê-la sob uma luz totalmente nova. Alice encontra seu par quando ela se envolve com um inimigo perigoso de seu passado que sabe exatamente como se aproveitar de suas vulnerabilidades. À medida que Luke (Camrus Johnson) e Mary (Nicole Kang) encontram seu lugar como ajudantes, um romance vai abalar sua dinâmica. Enquanto isso, o relacionamento inicial de Sophie (Megan Tandy) e Julia (atriz convidada Christina Wolfe) enfrentará seu primeiro teste real e fará Sophie questionar tudo o que ela pensava que sabia ser verdade”.


Ainda falando da Batwoman, o nosso CR Origens de hoje foi focado na personagem. Veja abaixo sua origem:

Será que você sabe tudo sobre a personagem? Participe do quiz em nosso Instagram!

DC FanDome | 2ª temporada de Batwoman vai trabalhar com o desaparecimento da antiga heroína

A série da Batwoman ganhou novidades hoje durante o DC FanDome. A principal foi sobre como eles vão trabalhar a questão do desaparecimento de Kate, interpretada por Ruby Rose, que saiu do elenco após problemas físicos. Confira o depoimento da diretora, Caroline Dries:

“O primeira é: onde está Kate? O que aconteceu com ela? São grandes mistérios que nos fazem entrar na temporada. Todos os personagens terão perspectivas diferentes disso, isso criará muito drama, mistério e intriga. Será chocante, sensacional e incrível. E temos uma nova heroína chegando em Gotham, uma personagem nova no mundo da DC, e há muita coisa que joga contra ela: ela é uma garota que entrou para a estatística da injustiça no momento em que nasceu. O sistema não foi feito pra ela, então ela vai constantemente lutar contra o sistema. Ela lutou contra ele a vida toda e vai continuar como Batwoman”, completou.

Javicia Leslie também comentou sobre a nova fase da série:

“Quando li a descrição da personagem, era totalmente eu. Adorei a ideia que ela é meio pateta, meio durona, uma pessoa que não gosta de ser mandada, uma pessoa que não gosta de seguir as regras. Adoro o fato de que a Ryan Wilder é como eu, uma bagunça“, falou Leslie. “Eu me senti honrada e animada, em poder expressar a minha comunidade. Não é fácil para uma atriz fazer parte de uma comunidade e interpretar uma personagem dessa comunidade“, disse a atriz sobre a sexualidade e etnia da personagem.

A segunda temporada de Batwoman tem estreia prevista para janeiro de 2021.

Confira o review do episódio piloto da série.


Ainda não sabe sobre os painéis do evento? Não se preocupe, o Critical Room listou alguns dos mais importantes.

A primeira parte do DC FanDome aconteceu no dia 22, começando às 14h (no horário de Brasília), e terminando no dia 23 às 14h, sendo um evento de 24 horas. Já a segunda parte acontece no dia 12 de setembro, com todas as áreas tendo seus painéis às 14h, sendo reprisados no mesmo horário no dia seguinte. O Critical Room está fazendo uma cobertura especial no site e mídias sociais da segunda parte.

Você pode ver todos os painéis do evento no site oficial do DC FanDome.

SDCC20 | Quadrinistas e escritoras discutem legado da Batgirl nas HQ’s

Com direito a Bryan Q. Miller, a discussão abordou todas as Batgirls desde então.


Um dos painéis que aconteceu na quinta-feira (23), com menos destaque que outros, foi Batgirls!, assim nomeado, para poder abordar a heroína das bandas desenhadas da DC Comics. Com convidados especiais, incluindo o quadrinista Bryan Q. Miller, que escreveu Batgirl Vol 1, focado em Stephanie Brown, Nancy Kiu, produtora da série Batwoman, Sarah Kuhn, autora de Shadow of the Batgirl, graphic novel focada em Cassandra Cain, Marieke Nijkampautora do livro The Oracle Code, contando sobre Barbara Gordon como OráculoCecil Castellucci, que escreve a série da Batgirl de Barbara Gordon no período do DC Rebirth, e por fim, a Dra Andrea Letamendi, do podcast Arkham Sessions, que aprofunda na psicologia do Batman e seu universo.

Todos, tiveram um grande debate e mostraram sua visão sobre a personagem que escrevem, e o porquê gostam da heroína. Os escritores desenvolveram uma conversa, colocando à frente o legado da Batgirl para a atualidade e para os quadrinhos.

“Eu amo a Batgirl (Barbara Gordon), provavelmente por causa que, quando eu era uma jovem menina e a vi na televisão na série com Adam West, ela era a garota e isso era tão empolgante de ver. Era uma garota que eu poderia relacionar com um dos heróis. Mas, uma das coisas que eu mais acho extraordinárias sobre Barbara Gordon é sua resiliência. Ela consegue lidar com questões que surgem, e tem uma grande capacidade de crescimento e mudança”, disse a roteirista Cecil Castellucci.

Divulgação/DC Comics
Capa de Batgirl #50, que terá o roteiro de Cecil Castellucci.

O quadrinista Bryan Q. Miller comentou sobre a Batgirl de Stephanie Brown, falando sobre o desafio que ela teve de enfrentar:

“Quando ela pegou o capuz, ela tinha experimentado uma grave falta de controle e também era muito impulsiva, chegando a causar uma guerra de gangues que destruiu Gotham, e então ela acabou “morta”, vivendo na África por um tempo”.

Nancy Kiu, que falou sobre a Batwoman de Kate Kane, confirmou que ainda estará na produção da série para a segunda temporada, que terá uma nova personagem no manto.

“Para Kate, você sabe que ela nasceu de um trauma em nosso programa. Ela perdeu sua irmã e mãe num terrível acidente de carro, nas mãos do Batman e do Coringa. Ela sempre se questionou se fez o suficiente, se poderia ter salvado sua irmã naquele dia, o que poderia ter feito e, de certa forma, sua personagem foi fugindo de Gotham e para longe de lidar com essa coisas. Em nosso piloto, trazendo-a de volta para Gotham e percebendo que sua irmã está viva, isso força Kate a quase perder o controle, de uma maneira de ter que finalmente lidar com essas coisas que ela tem reprimido”, falou a produtora.

San Diego Comic-Con @Home acontece do dia 22 ao dia 26 de julho.

Batwoman | Série ganha nova atriz protagonista

Depois da saída de Ruby Rose do papel principal de Batwoman (por conta da falta de segurança nos sets), uma nova atriz foi escolhida para ser a protagonista da série. A atriz escolhida foi Javicia Leslie, ela vai substituir Ruby Rose a partir da segunda temporada.

A atriz fez o seguinte pronunciamento:

“Estou extremamente orgulhosa por ser a primeira atriz negra a interpretar Batwoman na TV. Se trata de uma super-heroína icônica. É uma honra fazer parte da equipe dessa série incrível, que se torna ainda mais importante por conta da sua representatividade à comunidade LGBTQ+.”

https://www.instagram.com/p/CCZebKqp9pD/?igshid=1n8v9ujw1hgnl

Javicia Leslie vai interpretar uma personagem completamente diferente da primeira Batwoman, Ryan Wilder (personagem principal da série) promete ser uma mulher agressiva e passional, que passou anos usando drogas em Gotham City.

A segunda temporada de Batwoman está programada para 2021.

Confira o novo vídeo do canal sobre o maior herói da história, o Superman!

Espantalho pode estar na segunda temporada de Batwoman

Com a repercussão da saída de Ruby Rose no papel de Batwoman, a The CW procura uma substituta para a protagonista. Em meio a isso, o site americano The Direct publicou um relatório que o Doutor Jonathan Crane, pode vir a estar no segundo ano de Batwoman.

O relatório diz que o Espantalho entrará para combater a sucessora de Kate Kane no manto de Batwoman. A sucessora, Ryan Wilder, teve a mãe morta pelo vilão, sendo essa a explicação para a introdução dos dois personagens. É dito também que Kate irá morrer, e Ryan Wilder vai roubar o traje da Batwoman e vingar sua mãe.

Ruby Rose não volta para próxima temporada de Batwoman

Conhecido por ser o Mestre do Medo, o Espantalho apareceu apenas duas vezes em live-action. Em Batman Begins, interpretado por Cillian Murphy, e apareceu também na série Gotham.

Divulgação/Warner Bros.

Também apareceu na trilogia de games Arkham da Rocksteady. Em Batman Arkham Asylum ele ameaçou jogar sua toxina na água de toda Gotham, e pronto para fazer isso, o Crocodilo o agarrou, quase comendo ele. Batman jogou um batarangue na coleira de choque, fazendo Croc cair com o Espantalho na água, e lá, ele quebrar o vilão e rasgar sua face.

Em Batman Arkham City, há três uma charada para desvendar, com sua máscara na ponte que dava acesso ao Distrito Industrial. Perto dali, nas docas do Falcone, também tem outro easter egg de Crane, num barco próximo. O vilão provavelmente comprou o barco e montou uma sala secreta, para trabalhar em uma toxina nova que seria usada meses depois nos eventos Arkham. Veja no vídeo abaixo:

Além disso, há transmissões de rádio secretas, todas feitas pelo Espantalho. Usando o sequenciador criptográfico, em certas sintonias, ele fala números, que são letras do alfabeto, e juntando, completa sua mensagem.

Já no último game da saga, Batman Arkham Knight, ele retorna como antagonista principal e com uma caracterização horrenda, devido ao ataque do Crocodilo no Asilo. No início, ele usou sua nova toxina em uma lanchonete, desencadeando ataques entre as pessoas do local e causando mortes. Logo em seguida, ele transmite uma mensagem no telão para toda Gotham, deixando a população em pânico e consequentemente, fazendo a policia evacuar as pessoas da cidade. Coincidentemente, o Espantalho atacou Gotham na noite de Halloween, fazendo alusão ao seu nome característico.

O intuito era quebrar a lenda do Batman, convocando seus maiores inimigos para ajudá-lo a destruir o Cavaleiro das Trevas.

Divulgação/Rocksteady

O vilão pode vir a ser o principal antagonista da segunda temporada. Ainda não se sabe sobre a trama e como será a explicação da saída de Ruby Rose do papel de Kate, mas é esperado que a nova personagem tenha ligação direta com o Espantalho.

Esperamos que seu visual seja tão próximo aos games, tranpassando medo sem mesmo usar o gás.

Batwoman retorna com sua segunda temporada apenas em 2021.

Ruby Rose não volta para próxima temporada de Batwoman

Uma notícia inesperada por muitos na noite de hoje. Ruby Rose não será mais a Batwoman! A confirmação vem via The Hollywood Reporter. Não foi revelado o motivo de sua saída.

Após dois dias do episódio final da primeira temporada e com a confirmação de Warren Christie como Bruce Wayne, foi a vez de Ruby Rose jogar ao contrário e sair da série. A segunda temporada já está encomendada.

Em um comunicado oficial, ela revelou sua saída:

“Eu tomei a difícil decisão de não retornar a Batwoman na próxima temporada. Essa não é uma decisão tomada sem pensar, já que tenho um enorme respeito pela equipe, elenco e todos os envolvidos na série em Vancouver e Los Angeles”, disse a atriz australiana.

Ela não deixou de agradecer toda a produção da série, que lhe cedeu oportunidade para o papel.

“Sou grata a Greg Berlanti, Sarah Schechter e Caroline Dries por não apenas me darem essa oportunidade incrível, mas também por me receberem no universo da DC que eles criaram tão bem. Obrigado Peter Roth e Mark Pedowitz e as equipes da Warner Bros. e The CW, que investiram tanto na série e sempre acreditaram em mim. Obrigado a todos que fizeram da primeira temporada um sucesso. Estou realmente agradecida”, finalizou Rose.

Ruby deixa a série após participações no crossover Elseworlds e Crise nas Infinitas Terras, ambos do Arrowverse, e também de Batwoman. Ela ficou conhecida também como a atriz que deu vida a primeira série com uma protagonista lésbica.

A Warner Bros TV. The CW e a Berlanti Productions emitiram uma nota, agradecendo o serviço prestado pela atriz.

“A Warner Bros TV., a CW e a Berlanti Prodctions agradecem a Ruby por suas contribuições para o sucesso de nossa primeira temporada e desejam tudo de bom. O estúdio e a rede estão firmemente comprometidos com a segunda temporada de Batwoman a longo prazo, e nós – junto com a talentosa equipe criativa da série – esperamos compartilhar sua nova direção, incluindo o elenco de uma nova atriz e membro da comunidade LGBTQ, nos próximos meses”.

O estúdio agora procura uma nova atriz para substituir Ruby Rose no papel de Batwoman.

O elenco conta com Ruby Rose (Batwoman), Rachel Skarsten (Alice), Meagan Tandy (Sophie), Camrus Johnson (Luke Fox) e Dougray Scott (Coronel Kane). No Brasil, Batwoman está sendo transmitida no canal pago HBO.

Batwoman retorna com a segunda temporada em 2021.

Warren Christie vira Bruce Wayne em episódio final de Batwoman

Batwoman já teve sua season finale e para uma grande surpresa, o Bruce Wayne do Arrowverse finalmente teve seu rosto revelado. Warren Christie (Chicago Fire) foi escolhido pela The CW para interpretar o playboy bilionário de Gotham.

Aviso: Spoilers

No episódio 20 de Batwoman, intitulado “O, Mouse!”, a vilã Alice (Rachel Skarsten) empresta uma de suas máscaras humanas para Thomas Elliot. A máscara era de Bruce Wayne, primo de Kate (Ruby Rose). Alice quer que Silêncio consiga fazer Kate desistir da kryptonita que havia recebido de Supergirl, de uma outra versão do Batman (Kevin Conroy) em Crise nas Infinitas Terras.

Bruce Wayne não irá aparecer em definitivo, por enquanto, já que Thomas Elliot usará seu rosto e se passará pelo bilionário. Vale lembrar que Bruce e Batman não são vistos em Gotham há 3 anos, já que o Batman matou o Coringa, quebrando seu código de conduta e tendo vergonha de ter feito isso, abandonou sua figura pública e seu período como herói.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

Mas, não será a primeira vez que Silêncio se passará por Bruce Wayne. Em Batman Arkham City, na missão secundária Ladrão de Identidades, é revelado que Elliot assassinou pessoas, construindo enxertos no rosto para se parecer com Bruce e colocar a culpa nele. Seu rosto já estava finalizado, mas precisaria tirar as cicatrizes que ficaram.

No game seguinte, Batman Arkham Knight, Elliot se passa por Bruce Wayne para acessar a Torre Wayne, em mais uma missão secundária. Ele mantém Lucius Fox de refém e Batman o confronta. Batman juntou todas as peças e concluiu que Elliot tentou matar seus pais, mas levando a morte só seu pai. Sua mãe foi salva por Thomas Wayne e Elliot não queria isso. Batman retira a máscara, revelando seu rosto e consegue derrubar Thomas, salvando Lucius.

Será que Bruce Wayne estará presente, de fato na próxima temporada de Batwoman, para ajudar sua prima e desmascarar Silêncio?
O elenco conta com Ruby Rose (Batwoman), Rachel Skarsten (Alice), Meagan Tandy (Sophie), Camrus Johnson (Luke Fox) e Dougray Scott (Coronel Kane). No Brasil, Batwoman está sendo transmitida no canal pago HBO.

Batwoman retorna com a segunda temporada em 2021.

Promo e imagens de Batwoman revelam Silêncio; veja

Batwoman está se encaminhando para sua season finale pela CW, fazendo toda a trama da série se desenhar com a vilã principal, Alice (Rachel Skarsten). Porém, um novo rosto irá aparecer em Gotham, o doutor Thomas Elliot, mais conhecido como Silêncio. Veja a promo abaixo:

O novo episódio se intitula “A Secret Kept From All the Rest” e trará o Silêncio como o mais novo vilão da heroína. Na série, Elliot culpa Batman por ele ter salvado sua mãe e arruinado sua vida. Thomas está trancado no Asilo Arkham e coincidentemente Alice também. É ela quem faz o rosto de Elliot cheio de bandagens, porém sua origem será explicada apenas no episódio.

Review: Batwoman (1×01)

Confira as imagens do vilão abaixo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

“A Secret Kept From All the Rest” irá chegar no domingo (10) na The CW. O elenco conta com Ruby Rose (Batwoman), Rachel Skarsten (Alice), Meagan Tandy (Sophie), Camrus Johnson (Luke Fox) e Dougray Scott (Coronel Kane). No Brasil, Batwoman está sendo transmitida no canal pago HBO.

Crítica: Crise nas Infinitas Terras

Alerta: SPOILERS! Desça e leia por sua conta e risco.


“Vida, um presente precioso que persevera diante de todos os obstáculos.”


Chegou ao fim mais um crossover, e o mais grandioso de todos, Crise nas Infinitas Terras, que contou com cinco séries da DC e pela primeira vez juntou todas (quase) as séries da DC, variando do DC Universe à CW. Mas não só juntou todas as séries da DCTV, como também trouxe de volta personagens de séries antigas. Tom Welling, protagonista de Smallville, Burt Ward como o Robin aposentado da série do Batman dos anos 60, e até mesmo, Brandon Routh, que reprisou seu papel como Superman após 14 anos.

O começo estrondoso do crossover, começou mostrando referências ao Batman de Michael Keaton, quando o jornalista Knox (Robert Wuhl) estava lendo um jornal sobre a prisão do Coringa. Em outros momentos as aparições repentinas de Jason Todd e Rapina no primeiro episódio, levaram a acreditar que a CW estava disposta a juntar tudo para fazer parte do Arrowverso.

img-20191210-wa00988235144196843060573.jpg

Do primeiro ao último episódio, houve momentos marcantes. A morte precoce do Arqueiro Verde (Stephen Amell), abalou todos que lutaram ao seu lado, ainda mais Sara (Caity Lotz), Supergirl (Melissa Benoist) e Flash (Grant Gustin). Não só os heróis, mas como também os fãs, pois ninguém esperava que o sacrifício de Oliver seria logo no começo da Crise. Isso enfureceu muita parte dos assíduos ao Arrow, que logo começaram com teorias de como o personagem voltaria à vida. Com isso, os outros quatro episódios foram se desenrolando e aproximando toda a equipe, em prol de salvar o universo contra a grande ameaça, o Anti-Monitor.

Logo no segundo episódio, este que conteve ótimos fã-services, o quarteto composto por Constantine (Matt Ryan), Mia Smoak (Kath McNamara), Barry e Sara vão reviver Oliver em um dos poços de Lázaro. A alma de Oliver após ele voltar à vida não estava em seu corpo, e sim, no Purgatório.

No mesmo episódio, o Monitor (LaMonica Garret) fala sobre os Protetores, e nisso entram várias e várias referências, tanto dos quadrinhos quanto do cinema. Após Lex Luthor (Jon Cryer) recuperar o Livro do Destino, ele buscaria matar todos os Superman. Numa questão de minutos, houve referência a Morte do Superman e ainda trouxe a aposentadoria do Superman de Tom Welling. Mas o melhor ainda estava por vir. O encontro do Superman da Terra-38 (Tyler Hoechlin) com o Superman da Terra-96 (Brandon Routh). Ficou nítido do que o Protetor da Verdade se tratava, era um Escoteiro que perdeu amigos e sua esposa pelas mãos do Coringa, este que jogou seu gás no Planeta Diário. Marc Guggenheim transformou Brandon Routh num espelho de Christopher Reeve e no Reino do Amanhã.

A atuação incrível de Routh merece destaque, pois ele consegue transmitir um Superman ao estilo de Reeve, levando esperança aonde puder. A luta entre os dois super-heróis foi ótima, relembrando Superman III. Mesmo pelo baixo orçamento, conseguiram fazer com que esta luta fosse a melhor do crossover.

crisis-routh-superman
“Porque, Lois, mesmo nos tempos mais sombrios, a esperança persiste. Esperança é a luz que nos guia para fora da escuridão.”

Não só o surpreendente Routh como Homem de Aço, mas também o dublador Kevin Conroy, que surpreendeu todos com a versão mais obscura do Batman já feita até então. Mesclando Reino do Amanhã e Cavaleiro das Trevas de Frank Miller, Conroy faz jus ao seu título de Cavaleiro das Trevas. Outra boa surpresa foi a própria Batwoman (Ruby Rose) substituindo Batman como a Protetora da Coragem.

Crisis-on-Infinite-Earths-Kevin-Conroy-Batman-Bruce-Wayne-Batwoman
“Não lute contra monstros, para você não se tornar um monstro.”

A terceira parte de Crise terminou de forma memorável, quando o Flash da Terra-90 (John Wesley Shipp) se sacrifica para salvar Raio Negro (Cress Williams), Barry e outros. O hiato de mais de 1 mês para lançarem os outros dois episódios, deixou tudo em aberto sobre o futuro de Oliver Queen, que fora mostrado no anterior se tornando o Espectro. O novo Espectro, que no quadrinho foi Hal Jordan, o Lanterna Verde, agora iria auxiliar os Protetores a salvarem o multiverso, que já tinha chegado em seu fim.

O Ponto de Fuga, lugar o qual os heróis se encontravam, era onde eles deveriam se unir para derrotar o Anti-Monitor. O sacrifício do Arqueiro ainda contou com seu antigo bordão.

spectre
“Você falhou com este universo.”

Mesmo com a “morte” do Anti-Monitor, o Multiverso havia sido reformulado por Oliver, fazendo com que as pessoas não se lembrem de nada, e outros heróis que sumiram pela anti-matéria também. As terras se combinaram, juntando Supergirl e outros personagens da Terra-38 com os heróis da Terra-2, formando a Terra Primária.

O episódio final de Crise nas Infinitas Terras, foi sem dúvida, o mais divertido e emocionante. Apesar do sumiço repentino de Ryan Choi (Osric Chau), um dos protetores, o final consegue manter e elevar o patamar de todo o Arrowverse e sua importância para a DC. Não só com a conexão do cinema com as séries, como foi visto o Flash de Ezra Miller conversando com o de Grant Gustin, mas como eles conseguiram adaptar a saga de Marv Wolfman e George Pérez para a televisão.

As referências eram tão constantes que poderia explodir a cabeça de qualquer um e fazer se perguntar: “Como eles fizeram isso?”. Simples, eles tiveram coragem em juntar tudo do melhor do Universo DC e colocar no roteiro. A homenagem também aos escritores do quadrinho foi algo bem bacana de se ver. Marv Wolfman aparece em uma das cenas pedindo autógrafo ao Flash, e Pérez é mencionado como um lugar na cidade.

O final foi tentou ser o mais nostálgico possível, com a narração de Oliver e a reconstrução do Multiverso. Juntando todas as séries possíveis da DC em suas respectivas terras, o final foi tão glorioso quanto o título que o crossover leva. A comovente homenagem ao Arqueiro Verde também se fez presente. E num momento de tristeza, houve alegria, após Barry mostrar a Mesa da Justiça aos heróis, criando a Liga da Justiça.


Veredito

Marc Guggenheim traz junto com outros roteiristas e produtores, a difícil missão de reiniciar o Multiverso. O crossover que fora inspirado na HQ de Marv Wolfman, mostra o quão trabalhoso pode ser, mas também o quanto glorioso pode ficar. As lutas foram ótimas falando de séries, e a trilha sonora foi incrível e inspiradora. A entrega de uma atuação emocional por parte de Caity Lotz, Stephen Amell, Melissa Benoist e Grant Gustin, fazem do evento televisivo um épico dramático de herói. Outros rostos como Brandon Routh e Dominic Purcell, mantém ainda a diversão necessária para o mega crossover, sendo alívio cômico certeiro em seus momentos.

Crise nas Infinitas Terras encerra definitivamente a jornada do Arqueiro Verde de forma memorável, mas que poderia ter sido ainda mais como vigilante, e não uma entidade cósmica. A morte precoce do herói foi um duro golpe aos fãs, por ser inesperado, mas a volta, o sacrifício para salvar o universo e a homenagem, conseguem ser ainda marcantes. Um ciclo se fecha para outro iniciar.

9/10.

Review: Crise nas Infinitas Terras – Parte 3

Alerta: SPOILERS! Desça e leia por sua conta e risco.


“Mundos irão viver, mundos irão morre, e o universo nunca mais será o mesmo!”


A parte 3 de Crise nas Infinitas Terras encerrou a primeira metade desse grande crossover com uma melhora a seus antecessores, tanto na trama, no roteiro e até mesmo com os personagens. Como no início parecia tudo meio perdido, agora está se encaixando e surpreendendo todos os fãs com suas descobertas.

O episódio mostrou cenas de ação incriveis dos heróis com lutas marcantes e personagens que quase ninguém imaginavam que iria aparecer, como Lucifer Morningstar.

O Raio Negro, o herói que finalmente entrou para a equipe teve uma importante aparição da série, fazendo uma das missões mais importantes contra o anti matéria. A atuação de Cress Williams (Raio Negro) é incrivel, contracenando com Grant Gustin (Flash) foi inesquecível e espero que possamos ver os dois juntos mais vezes.

O episódio também estabeleceu alguns importantes momentos, como a morte de Oliver Queen, que irá retornar nos episódios finais. Tivemos também a presença de Ryan Choi, que sucede Ray Palmer, o Átomo. Brandon Routh confirmou sua saída de Legends of Tomorrow, então provavelmente ele passe seu manto a Ryan. E Cisco consegue seus poderes de Vibro novamente por causa do Monitor.

Outro momento que com certeza marcou o episódio, foi a Supergirl com a Batwoman, que fizeram parte de uma cena que faz referência ao embate de Batman vs Superman.

Para mim, o momento que mais marcou foi onde vimos a morte de Barry Allen sendo desintegrado para salvar o multiverso. Porém, o Barry Allen que faz tal ato é o Flash da Terra-90, o que protagonizava a série nos anos 90 por John Wesley Shipp, que também fez Jay Garrick e o pai de Barry.

Crise nas Infinitas Terras encerrou grandemente o ano de 2019 e ainda promete muitas viradas em suas duas últimas partes em janeiro. A parte 3, em particular, superou as expectativas. Alguns furos de roteiro e decisões tomadas ao longo da saga podem ser questionáveis, mas parece que trouxeram melhores resultados dessas decisões. O enredo tem progredido com surpresas e desenvolvimento. O mega crossover promete se tornar um grande marco na televisão, conectando assim quase todas as produções relativas a DC, seja para televisão ou cinema, em um mesmo universo.

Confira novas fotos dos últimos episódios de Crise nas Infinitas Terras

O crossover mais épico da TV irá ter seu término hoje. Crise nas Infinitas Terras, que junta 5 séries da CW com a DC, finaliza com seus dois últimos em Arrow e Legends of Tomorrow.

Os 3 primeiros aconteceram em dezembro, deixando em aberto tudo o que iria acontecer com os heróis e o desenrolar de Oliver Queen.

Como já foi visto no terceiro episódio, Oliver Queen tornou-se o Espectro, anteriormente sendo o policial Jim Corrigan. Oliver não deixou o Purgatório para isso, frustrando Diggle, Constantine e sua filha Mia. Veja o pôster abaixo:

“Seus mundos nunca mais serão os mesmos.”

Muitos fãs gostaram, mas uma parcela significativa não gostou. Oliver está condenado a salvar o Universo, além de ter se sacrificado no primeiro episódio para dar tempo de salvar mais pessoas.

Confira abaixo fotos promocionais dos últimos episódios do mega crossover.

O épico evento terá 5 horas, e juntou Arrow, Flash, Legends of Tomorrow, Supergirl, Batwoman e Raio Negro. Além de contar com referências de Titãs, Aves de Rapina, Batman de 66, entre outros.

As séries da DC pela CW, são transmitidas pelo canal pago Warner, no Brasil.

Review: Crise nas Infinitas Terras – Parte 2

Alerta: SPOILERS! Desça e leia por sua conta e risco.


O Arrowverso nunca ficou tão imenso, e mais uma vez, Crise nas Infinitas Terras surpreende com várias referências do universo da DC, trazendo até mesmo Jonah Hex.

A parte dois do mega crossover aconteceu na série da novata Batwoman (1×09). Já ressentidos após a morte do Arqueiro Verde, Sara Lance (Caity Lotz) e Mia Smoak (Katherine McNamara) vão em busca de um modo para trazê-lo de volta à vida. Mas ainda antes disso, o Monitor (LaMonica Garret) convoca alguns heróis na Waverider (nave das lendas da Terra-74) e lhes diz que ainda há 7 protetores (paragons).

Os primeiros quatro protetores são Kara (Protetora da Esperança), Sara (Protetora do Destino), Superman – não o de Supergirl (Protetor da Verdade) e Batman da Terra-99 (Protetor da Coragem). Estes dois últimos deveriam ser encontrados. Coube ao Superman da Terra-38, Lois e Iris para encontrar o Paragon da Verdade e Kate junto de Kara para encontrar Bruce.

E com todos os percalços, Lex Luthor que havia sido recrutado por Monitor, fugiu com o Livro do Destino, no único intuito de matar todos os Supermans do universo. E é isso que ele consegue. O Superman da Terra-75 é morto por Luthor. Iris, Clark e Lois buscam outro. O de Smallville, na Terra-167.

Ao tentar explicarem a Clark sobre o multiverso e que Luthor pretendia matá-lo, Clark não sabia que o presidente estava na cidade. Pelo jeito, Luthor virou presidente dos Estados Unidos na terra de Smallville. Mas logo, o Lex da Terra-38 aparece, fazendo o trio sumir. Clark ainda fica em dúvidas sobre Luthor. Logo, o inimigo mostra uma pedra de kryptonita ao ex-herói, que não faz efeito algum nele. Clark havia desistido de seus poderes para constituir uma família, sendo casado com Lois e tendo dois filhos.

É talvez, um final que muitos não esperavam. Queriam vê-lo com o uniforme, ajudando a salvar o universo. Mas não pode ser descarta essa possibilidade dele recuperar seus poderes de alguma forma e ir ajudar.

Bruce Wayne, o Protetor da Coragem

Já o Batman… este pode ter sido o mais sombrio já visto pelos fãs, seja na televisão ou cinema. Kevin Conroy, eterno dublador do Cavaleiro das Trevas, interpretou o personagem no crossover, e de forma incrível!

Com uma mescla de Cavaleiro das Trevas de Frank Miller e Reino do Amanhã, o Batman de Conroy tornou-se um assassino, matando vilões como Coringa, Sr Frio e Charada. Até mesmo, matou o Superman, guardando troféus de suas maiores vitórias.

Por incrível que pareça, mesmo com o exoesqueleto, Bruce foi capaz de dar um soco em Supergirl, mas não parou a Batwoman. Muitos ainda questionam se essa era a melhor abordagem para o vigilante, já que todos olhavam Conroy com bons olhos e com sua conduta. Mesmo que tenha sido incrível vê-lo dando vida ao Batman, com sua voz grave e amedrontadora, foi decepcionante a forma dele ter morrido.

Busca pelo Protetor da Verdade

“Esperança é a luz que nos guia para fora da escuridão.”

Mas o destaque vai para Brandon Routh vestindo o uniforme do Superman novamente. Era a última aposta do trio Iris, Lois e Clark (Terra-38) de achar o Protetor da Verdade. Logo ao chegarem no Planeta Diário idêntico ao dos filmes de Christopher Reeve, Lois esbarra em um homem alto e robusto. Era Clark Kent da Terra-96, editor-chefe do jornal.

Depois de tanta conversa sobre Luthor, Lois questiona os quadros na parede do escritório de Clark. O mesmo explica que um rejeitado de Gotham matou seus amigos e sua esposa, jogando gás no prédio. Ao que tudo indica foi o Coringa.

E já trajados para salvar o multiverso, Luthor aparece, usando o Livro do Destino para entrar na mente do Superman da Terra-96, fazendo com que lute contra o outro.

Não sendo tão prático da CW em fazer efeitos especiais espetaculares, já que o orçamento de é baixo, na batalha de Superman vs Superman, os efeitos estão bons. Até mesmo da visão de calor (idêntica ao Superman do Reeve).

A luta não durou muito e Clark volta ao normal, afirmando não ser a primeira vez que luta contra si mesmo. Já vimos isso antes em Superman III.

A atuação de Routh é incrível, passando a sensação de que ele é o ator mais próximo de Christopher Reeve, já que seu Superman foi moldado nele. O ponto máximo foi a trilha ao fundo, alternando da trilha clássica do Superman e de Clark e Lois. Brandon Routh fez por merecer!

Batwoman, uma dos paragons

Após a morte de Bruce, Ray Palmer já tinha feito um aparelho para identificar os protetores. Havia um na nave, e como muitos não esperavam, a Batwoman tornou-se a Protetora da Coragem.

Oliver de volta?

No meio de todo o caos, há um outro fora dos bastidores. Constatine, Sara, Mia e Barry tentam reviver Oliver através de um Poço de Lázaro. Cabe a John trazer também a alma de Oliver de volta, o que não é uma tarefa fácil.


Veredito

Um episódio com menos ação do que o esperado, ganha em exploração de universos e várias referências. A atuação esplêndida de Routh faz nos voltar a sensação de estarmos vendo Christopher Reeve no papel. Welling e Conroy correm por fora com seus personagens tendo sido finalizados, mas não da forma como esperávamos. trilha nostálgica em partes encanta, sendo as séries do Arrowverso, uma das melhores em trilhas sonoras.

Pela nostalgia do passado, o episódio 2 até agora é talvez o melhor do crossover.

9,0/10.

Review: Crise nas Infinitas Terras – Parte 1

Aviso: Sem spoilers!


O que era apenas uma ideia despretensiosa mostrada como um mero fã service na primeira temporada de The Flash, se tornou realidade após 5 anos. O 4° crossover anual e o mais ambicioso do então Arrowverse tenta emular em sua narrativa a famosa saga que reinventou os quadrinhos da DC na década de 80 de mesmo nome. Senhoras e senhores, a CRISE chegou.

Os heróis do Arrowverse tentando evacuar a Terra-38.

O que poderia ter sido muito bem um episódio de 1 hora, podendo fazer jus ao título, os curtos 43 minutos do 5.09 de Supergirl não perdem tempo em reunir os maiores campeões do multiverso; Supergirl, Superman, Arqueiro Verde, Mia Smoak, Flash, Batwoman, Canário Branco e Átomo que juntos, sob o auxílio do Monitor, se unem para salvar a Terra-38 da onda de anti-matéria de outra entidade conhecida como Anti-Monitor.

Super Papai? Tyler Hoechlin e Elizabeth Tulloch desempenhando o papel de pai e mãe é a coisa mais fofa do episódio.

O primeiro episódio da crise é sem sombra de dúvidas um show de adrenalina, emoção e muito fã service. É acima de tudo um “aquecimento” para todas as surpresas que estão por vir. À cada minuto, podemos sentir a tensão que nossos heróis sentem na tentativa de impedir a todo custo o fim de toda a vida existente no multiverso. Referências à outras produções clássicas da história da DC são nos apresentadas logo de início, durante um monólogo prenunciando o iminente apocalipse, na voz do Monitor. E isso é apenas um pequeno aperitivo diante das reais homenagens que vem por aí na segunda parte do evento.

Batman do Tim Burton, Titãs e até a série do Adam West sofrem com a CRISE!!!

Como o episódio é uma extensão da série da Supergirl, o destaque dele são as perdas e dilemas que a Kara Zor-El de Melissa Benoist tem que passar, e o quão forte ele deve ser para enfrentar essa crise sem que isso a atrapalhe. O Oliver Queen de Stephen Amell é o segundo a ganhar um bom destaque emocional com sua filha Mia (Katherine McNamara), e o dilema dos sacrifícios que um herói deve fazer estão presentes com ele até o último minuto desse episódio.

As interações encantadoras entre os personagens dessas séries são sempre o ponto alto dos crossovers anuais. Deixo meu destaque para Brandon Routh e Ruby Rose que como Átomo e Batwoman desenrolam uma boa dinâmica entre herói séria e fã nerd.

Enfim, fugindo de quaisquer spoilers possíveis, encerro minhas considerações sobre essa primeira e excelente parte do evento. Resta agora vocês conferirem por conta própria.

Os heróis se reúnem em trailer final incrível de Crise nas Infinitas Terras!

“Todo o Universo precisa de você!”

– Oliver para Superman


O evento mais esperado dos seriadores neste ano, com certeza é o épico crossover do Arrowverso, adaptando a saga que remodelou o Universo DC nos quadrinhos, Crise nas Infinitas Terras!

Confira o trailer final abaixo:

SIM! Kevin Conroy apareceu, junto de Tom Welling. O dublador do Batman há mais de 20 anos irá fazer sua primeira aparição na TV como Bruce Wayne. Ele comentou sua experiência sobre.
“Isso me assustou no começo. Eu nunca interpretei o personagem de forma física. Eu sempre o habitei com minha voz. Quando você faz isso em um estúdio de gravação, é uma experiência muito íntima e você meio que vive com sua própria imaginação. Você faz isso com as roupas dos olhos e está nesse outro mundo, e você tem Mark Hamill (Coringa) alimentando toda a energia que você precisa e os outros atores, porque sempre gravamos juntos nos estandes. Estar realmente no set, no mundo físico, e andar como personagem e habitar o personagem em três dimensões, foi uma transição real para mim. Demorou um pouco para me acostumar, tenho que admitir. Fiquei surpreso porque conheço o personagem tão bem.”

O ator ainda afirmou que seu Batman será sombrio. Este Batman pode ser o mesmo da terra principal na qual ele some, já dito em Batwoman, ou do Reino do Amanhã.

Já o querido de Smallville, Tom Welling, irá reprisar seu papel como Clark Kent. Provavelmente será mais para fechar seu arco, explorando seu período pós Homem de Aço.

Foi possível ver, também, mais um pouco dos novos personagens que irão participar. A Precursora (Audrey Marie), que anuncia a Crise e reúne os heróis para a batalha, Pária (Tom Cavanagh), cientista de uma terra destruída pelo Anti-Monitor, o experiente herói, Raio Negro (Cress Williams) e claro, Barry Allen da Terra 90 (John Wesley Shipp).

Brandon Routh não apareceu como Superman no trailer, mas sim, como Átomo. Ainda mais, a incrível Sara Lance de Caity Lotz está presente, junto com Ruby Rose (Batwoman), a carismática Melissa Benoist (Supergirl), Grant Gustin (Flash) e o espetacular Stephen Amell (Arqueiro Verde).

O crossover será algo muito extenso e épico, que trará tudo dos clássicos da DC, seja quadrinhos ou animações, para a televisão. Kevin Conroy é a prova disso. O dublador original do Batman em games e na série animada, viverá o Morcego no crossover. Não só ele, mas Burt Ward, Robin da série do Batman no anos 60, também fará sua participação. O épico evento terá 5 horas, juntando Arrow, Flash, Legends of Tomorrow, Supergirl, Batwoman e Raio Negro. A CW já definiu os dias em que irão acontecer os episódios:

• Supergirl – Domingo (08/12) • Batwoman – Segunda (09/12) • Flash – Terça (10/12) • Arrow – Terça (14/01/20) • Legends of Tomorrow – Terça (14/01/2020)

As séries da DC pela CW, são transmitidas pelo canal pago Warner, no Brasil.


Review: Batwoman (1×01)

Alerta: SPOILERS! Desça e leia por sua conta e risco.


Batwoman entra no Arrowverse para completar o ciclo de séries pretendentes da CW. Enquanto Arrow caminha para sua última temporada, a Mulher-Morcego inicia a sua primeira.

O episódio piloto traz uma Gotham sem um Batman. A série tratará este assunto. Uma cidade que ficou por anos sem um herói, assolada pelo crime – não tanto – e sob o controle dos Corvos (organização de investigação e segurança).

Começa de uma forma um pouco estranha, com Kate Kane (Ruby Rose), nadando para escapar da morte. Tudo, claro, não passava de um treinamento. Logo ela é obrigada a retornar para Gotham, pois Sophia (Meagan Tandy), havia sido sequestrada.

Mas, vamos recapitular. O Batman não era visto há 3 anos. Ninguém tinha ideia da razão do seu sumiço. O prefeito, junto com a organização Corvos, em um tipo de despedida para autoridades locais e cidadãos, resolvem desligar para sempre o bat-sinal, e finalmente, esquecer o Batman para sempre. Claro, as coisas não funcionaram. Alice (Rachel Skarsten) e sua gangue apareceram para estragar isso. Já era um plano montado para atrair a atenção de Kate.

Logo que chega em Gotham, Kate vai procurar seu pai, Coronel Jacob Kane (Dougray Scott), quem comanda os Corvos. É válido ressaltar que Kate sentia um certo ódio pelo Batman, por ele não ter salvado sua irmã e mãe, e depois do desaparecimento repentino. Para ela, ele era apenas mais um, que não se importava com as pessoas. O tratou como corruptível, sendo que não é. Mas voltando a Kate e seu pai, a relação de ambos não começa bem. Só piora na metade do episódio. Sozinha, ela vai tentar salvar Sophia, mas é capturada por Alice. A vilã ainda sabia o nome dela, e também o que estava fazendo.

Kate, após ser solta e estado em cuidados médicos, viu-se necessitada de ir mais a fundo. Foi por isso que voltou até a Wayne Enterprises para pedir a Luke Fox (Camrus Johnson) para que ligasse a Bruce. Não foi preciso, já que descobriu o segredo de seu primo, e logo a lamentação que ele tinha, por não ter salvado a mãe e a irmã de Kate, mas ter salvado 34 crianças no dia.

Ela assume seu legado e vai salvar Sophia. Funciona muito bem. Salva e derrota Alice, após ela ter botado o coronel num beco sem saída. E é bem óbvio que ela conseguiu o turno da agente, pois comprou um agente dos Corvos. É clichê, mas aceitável, ainda, já que em Gotham é rotineiro.

Após a suposta vitória e fuga de Alice, Kate começava a escrever sua história caso Bruce retornasse um dia. Ela questionava o motivo de nunca terem achado o corpo de Beth, sua irmã. Bastou olhar para uma das lâminas jogadas por Alice, que encontrou uma pedra do colar da irmã nos tempos de criança. No final, é revelado que a vilã da série é a própria irmã da recém vigilante.


Veredito

O episódio piloto de Batwoman mostrou ótimas cenas de ação, um visual lindo de Gotham, muitas referências e deixou teorias sobre o sumiço do Morcego. Em um enredo que soa um tanto clichê, o vilão chama a atenção da heroína pegando a pessoa que mais ama, não deixa de ser interessante para o restante da temporada.

Poucos pontos negativos são vistos. O traje, que vai ser melhorado em seguida, o jeito da descrição de Kate sobre o Batman, dizendo que ele não ligava para ninguém e mostrarem a identidade real da vilã logo na cena final do episódio. Mesmo com poucas falhas, tem tudo para ser uma ótima série.

8,5/10.

Batwoman| Títulos dos episódios são revelados

A CW divulgou os títulos dos sete episódios da primeira temporada de ‘Batwoman’. Confira abaixo:

  • 01×01: “Pilot”
  • 01×02: “The Rabbit Hole”
  • 01×03: “Down, Down, Down”
  • 01×04: “Who Are You”?
  • 01×05: “Mine Is a Long and Sad Tale”
  • 01×06: “I’ll Be Judge, I’ll Be Jury”
  • 01×07: “Tell Me the Truth”

Além disso, também foi divulgada a sinopse do primeiro episódio:

Sinopse: Kate Kane (Ruby Rose) nunca planejou ser a nova vigilante de Gotham. Gotham é uma cidade em desespero, onde até o Departamento de Polícia foi invadido por gangues criminosas. É onde entra Jacob Kane (Dougray Scott) e sua força militar, a Crows Private Security, que agora protege a cidade com poder de fogo e milícias onipresentes. Anos antes, a primeira esposa e uma das filhas de Jacob foram mortas no fogo cruzado do crime de Gotham. Ele então enviou sua única filha sobrevivente, Kate Kane, para longe de Gotham para sua segurança. Após uma dispensa desonrosa da escola militar e anos de brutal treinamento de sobrevivência, Kate volta para casa quando a gangue Alice no País das Maravilhas atinge seu pai e a empresa de segurança sequestrando sua melhor oficial – e ex-namorada de Kate – Sophie Moore (Meagan Tandy).

Embora tenha se casado novamente com a rica socialite Catherine Hamilton-Kane (Elizabeth Anweis), que financia a Crows, Jacob ainda pensa na família que perdeu, mantendo Kate – a filha que ele ainda tem – à distância. Mas Kate é uma mulher que não pede por permissão. Para ajudar sua família e sua cidade, ela terá que se tornar a única coisa que seu pai detesta – uma vigilante. Com a ajuda de sua compassiva meia-irmã, Mary (Nicole Kang), e do astuto Luke Fox (Camrus Johnson), filho do guru da tecnologia da Wayne Enterprises, Lucius Fox, Kate Kane continua o legado de seu primo desaparecido, Bruce Wayne, como Batwoman. Ainda apaixonada por Sophie, Kate usa tudo ao seu alcance para combater as maquinações sombrias da psicótica Alice (Rachel Skarsten), que está sempre em algum lugar entre sã e insana. Armada com uma paixão pela justiça social e um talento para falar o que pensa, Kate voa pelas ruas sombrias de Gotham como Batwoman.”

Batwoman estará presente no mega crossover do Arrowverse. A série estreia dia 6 de outubro no canal CW.

As séries da DC pela CW, são transmitidas pelo canal pago Warner, no Brasil.