Arquivo da tag: 1917

Confira os vencedores do Grammy 2021

Coringa vence na categoria de Melhor Trilha Sonora Original.


Nesse domingo (14), ocorreu a 63ª edição do Grammy Awards. O evento considerado como a maior premiação de música dos Estados Unidos, teve a sua realização nesse ano pelo modo virtual devido pandemia do Covid-19, o que possibilitou um evento sem plateia com performances e prêmios entregues de modo remoto.

A premiação teve destaque para as mulheres que concorriam e que venceram nas principais categorias do evento. Dentre elas destaca-se Beyoncé que era a cantora com o maior número de indicações (9 indicações) e que ganhou 4 prêmios, tornando-se a mulher com mais Grammys na história da cerimônia, um total de 28. Ao receber o prêmio de “Melhor performance R&B” por Black Parade, Beyoncédisse “Estou trabalhando a vida inteira desde os nove anos de idade. Nem acredito que isso está acontecendo, essa noite é mágica”, sua filha Blue Ivy (9 anos) recebeu o prêmio na categoria de “Melhor Clipe”, por “Brown Skin Girl”.

A cantora norte-americana Taylor Swift venceu a principal categoria da premiação (Álbum do Ano), com o álbum “Folklore”, se tornando a única mulher com três vitórias na categoria de “Álbum do Ano” (“Fearless”, 2010, “1989”, 2016 e “Folklore”, 2020), cada um com um estilo musical diferente. Billie Eilish que no.ano passado venceu essa mesma categoria, venceu nesse ano com a música “Everything I Wanted”, na categoria de “Gravação do Ano” enquanto que na categoria de “Música do Ano”, a premiada por a cantora H.E.R pela música “I can’t breathe”, título dado pelas últimas palavras ditas por George Floyd, cujo assassinato iniciou protestos contra racismo nos Estados Unidos com a hashtag #BlackLivesMatters, ao receber o prêmio a cantora menciona “A luta que tivemos por nós mesmos no verão de 2020 – mantenham essa energia”. Outras mulheres que venceram categorias principais foi a rapper Megan Thee Stallion na categoria de “Artista Revelação”, mas que também venceu na categoria de “Melhor Música de Rap” com a música “Savage”, um featuring com Beyoncé e a cantora britânica Dua Lipa com seu álbum “Fulture Nostalgia” que venceu a categoria de “Melhor Álbum Vocal Pop”.

Apresentado pelo comediante Trevor Noah, a premiação teve apresentações de artistas que foram indicados, como o boygroup coreano BTS, Taylor Swift, Billie Eilish, Cardi B, Doja Cat, Harry Styles, Dua Lipa, Post Malone, Black Pumas, Chris Martin, DaBaby, Miranda Lambert, Maren Morris, John Mayer, Haim, Mickey Guyton, Brandi Carlile e Brittany Howard.

Segue abaixo a lista de indicados e vencedores:


Álbum do Ano

  • Chilombo – Jhene Aiko
  • Black Pumas Deluxe – Black Pumas
  • Everyday Life – Coldplay
  • Women in Music Pt III – Haim
  • Future Nostalgia – Dua Lipa
  • Folklore – Taylor Swift – VENCEDOR
  • Hollywood’s Bleeding – Post Malone
  • Djesse Vol 3 – Jacob Collier

Música do Ano

  • Cardigan – Taylor Swift
  • Circles – Post Malone
  • Everything I wanted – Billie Eilish
  • If The World Was Ending – JP Saxe Feat Julia Michaels
  • I Can’t Breathe – H.E.R. – VENCEDOR
  • The Box – Roddy Rich
  • Black Parade – Beyoncé
  • Don’t Start Now – Dua Lipa

Gravação do Ano

  • Black Parade – Beyoncé
  • Colors – Black Pumas
  • Rockstar – DaBaby feat. Roddy Rich
  • Say So – Doja Cat
  • Everything I Wanted – Billie Eilish – VENCEDOR
  • Don’t Start Now – Dua Lipa
  • Circles – Post Malone
  • Savage – Megan Thee Stalion Ft. Beyoncé

Melhor Novo Artista

  • Noah Cyrus
  • Megan Thee Stallion – VENCEDOR
  • Doja Cat
  • Ingrid Andress
  • Phoebe Bridgers
  • Chika
  • D Smoke
  • Kaytranada

Melhor Álbum Pop Vocal

  • Fine Line – Harry Styles
  • Folklore – Taylor Swift
  • Chromatica – Lagy Gaga
  • Future Nostalgia – Dua Lipa – VENCEDOR
  • Changes – Justin Bieber

Melhor Performance Pop Duo/Grupo

 
  • Dynamite – BTS
  • Intentions – Justin Bieber e Quavo
  • Un Dia (One Day) – J Balvin, Dua Lipa, Bad Bunny e Tainy
  • Exile – Taylor Swift e Bon Iver
  • Rain On Me – Lady Gaga e Ariana Grande – VENCEDOR

Melhor Performance Pop Solo

  • Yummy – Justin Bieber
  • Cardigan – Taylor Swift
  • Everything i wanted – Billie Eilish
  • Don’t Start Now – Dua Lipa
  • Say So – Doja Cat
  • Watermelon Sugar – Harry Styles – VENCEDOR

Melhor Álbum Vocal de Pop Tradicional

  • Blue Umbrella – Daniel Tashian
  • True Love: A Celebration of Cole Porter – Harry Connick Jr
  • American Standart – James Taylor – VENCEDOR
  • Unfollow The Rules – Rufus Wainwright
  • Judy – Renée Zellweger

Melhor Performance de R&B

  • Lighting & Thunder – Jhené Aiko Feat. John Legend
  • Black Parade – Beyoncé – VENCEDOR
  • All I Need – Jacob Collier Feat. Mahalia & Ty Dolla $ign
  • Goat Head – Brittany Howard
  • See Me – Emily King

Melhor Performance de R&B Tradicional

  • Sit On Down – The Baylor Project Feat. Jean Baylor & Marcus Baylor
  • Wonder What She Thinks of Me – Chloe x Halle
  • Let Me Go – Mykal Kilgore
  • Anything For You – Ledisi – VENCEDOR
  • Distance – Yebba

Melhor Música de R&B

  • Better Than I Imagine – Robert Glasper Feat. H.E.R. & Meshell
  • Ndegeocello – VENCEDOR
  • Black Parade – Beyoncé
  • Collide – Tiana Major9 & EARTHGANG
  • Do It – Chloe x Halle
  • Slow Down – Skip Marley & H.E.R.

Melhor Álbum de R&B Progressivo

  • Chilombo – Jhené Aiko
  • Ungodly Hour – Chloe x Halle
  • Free Nationals – Free Nationals
  • F*** Yo Feelings – Robert Glasper
  • It is What It Is – Thundercat – VENCEDOR

Melhor Álbum de R&B

  • Happy 2 Be Here – Ant Clemons
  • Take Time – Giveon
  • To Feel Love/d – Luke James
  • Bigger Love – John Legend – VENCEDOR
  • All Rise – Gregory Porter

Melhor Gravação de Dance

  • On My Mind – Diplo e Sidepiece
  • My High – Disclosure Feat. Aminé e Slowthai
  • The Difference – Flume Feat. Toro y Moi
  • Both of Us – Jayda G
  • 10% – Kaytranada Feat. Kali Uchis – VENCEDOR

Melhor Álbum Dance/Eletrônico

  • Kick I – Arca
  • Planet’s Mad – Baauer
  • Energy – Disclosure
  • Bubba – Kaytranada – VENCEDOR
  • Good Faith – Madeon

Melhor Performance de Rap

  • Deep Reverence – Big Sean Feat. Nipsey Hussle
  • Bop – DaBaby
  • What’s Poppin – Jack Harlow
  • The Bigger Picture – Lil Baby
  • Savage – Megan Thee Stallion Feat. Beyoncé – VENCEDOR
  • Dior – Pop Smoke

Melhor Performance de Rap Melódico

  • Rockstar – DaBaby feat. Roddy Ricch
  • Laugh Now, Cry Later – Drake Feat. Lil Durk
  • Lockdown – Anderson .Paak – VENCEDOR
  • The Box – Roddy Ricch
  • Highest In The Room – Travis Scott

Melhor Música de Rap

  • The Bigger Picture – Lil Baby
  • The Box – Roddy Rich
  • Laugh Now, Cry Later – Drake Feat. Lil Durk
  • Rockstar – DaBaby Feat. Roddy Ricch
  • Savage – Megan Thee Stallion Feat. Beyoncé – VENCEDOR

Melhor Álbum de Rap

  • Black Habits – D Smoke
  • Alfredo – Freddie Gibbs & The Alchemist
  • A Written Testimony – Jay Electronica
  • King’s Disease – Nas – VENCEDOR
  • The Allegory – Royce Da 5’9″

Melhor Performance de Rock

  • Shameika – Fiona Apple – VENCEDOR
  • Not – Big Thief
  • Kyoto – Phoebe Bridges
  • The Steps – Haim
  • Stay High – Brittany Howard
  • Daylight – Grace Potter

Trilha Sonora de Mídia Visual

  • Um Lindo Dia na Vizinhança
  • Bill & Ted: Encare a Música
  • Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars
  • Frozen 2
  • Jojo Rabbit – VENCEDOR

Trilha Sonora Original Para Mídia Visual

  • Ad Astra – Max Richter
  • Becoming – Kamasi Washington
  • Coringa – Hildur Guðnadóttir – VENCEDORA
  • 1917 – Thomas Newman
  • Star Wars: A Ascensão Skywalker – John Williams

Melhor Performance de Metal

  • Bum-Rush – Body Count – VENCEDOR
  • Underneath – Code Orange
  • The In-Between – In This Moment
  • Boodmoney – Poppy
  • Executioner’s Tax (Sing of The Axe) Live – Power Trip

Melhor Música de Rock

  • Kyoto – Phoebe Bridgers
  • Lost In Yesterday – Tame Impala
  • Not – Big Thief
  • Shameika – Fiona Apple
  • Stay High – Brittany Howard – VENCEDOR

Melhor Álbum de Rock

  • Fontaines DC – A Hero’s Death
  • Michael Kiwanuka – Kiwanuka
  • Grace Potter – Daylight
  • Sturgill Simpson – Sound e Fury
  • The Strokes – The New Abnormal – VENCEDOR

Melhor Álbum de Música Alternativa

  • Fiona Apple – Fetch the Bolt Cutters – VENCEDORA
  • Beck – Hyperspace 
  • Phoebe Bridges – Punisher
  • Brittany Howard – Jaime
  • Tame Impala – The Slow Rush

Melhor Performance Country Solo

 
  • Stick That In Your Country Song – Eric Church
  • Who You Thought I Was – Brandy Clark
  • When My Amy Prays – Vince Gill – VENCEDOR
  • Black Like Me – Mickey Guyton
  • Bluebird – Miranda Lambert


Melhor Álbum New Age

 
  • Songs From The Bardo – Laurie Anderson, Tenzin Choegyal & Jesse Paris Smith
  • Periphery – Priya Darshini
  • Form/Less – Superposition
  • More Guitar Stories – Jim “Kimo” West – VENCEDOR
  • Meditations – Cory Wong & Jon Batiste

Melhor Álbum de Pop Latino/Urban

  • Bad Bunny – YHLQMDLG – VENCEDOR
  • Camilo – Por Primera Vez
  • Kany García – Mesa Para Dos
  • Ricky Martin – Pausa
  • Debi Nova – 3:33

Melhor Música Escrita para Mídia Visual

  • Beautiful Ghosts – Cats
  • Carried Me With You – From Onward
  • Into The Unknown – Frozen 2
  • No Time to Die – 007 – Sem Tempo para Morrer – VENCEDOR
  • Stand Up – Harriet

Melhor Clipe

  • Brown Skin Girl – Beyoncé – VENCEDOR
  • Life is Good – Future feat Drake
  • Lockdown – Anderson.paak
  • Adore You – Harry Styles
  • Goliath – Woodkid


Melhor Filme Musical

  • Beastie Boys Story – Beastie Boys
  • Black is King – Beyoncé
  • We Are Freestyle Love Supreme – Freestyle Love Supreme
  • Linda Ronstadt: The Sound of My Voice – Linda Ronstadt – VENCEDOR
  • That Little Ol’ Band From Texas – ZZ Top

Melhor Álbum de Instrumental Contemporâneo

  • Axion – Christian Scott Atunde Adjuah
  • Chronology of a Dream: Live at The Village Vanguard – Jon Batiste
  • Take The Stairs – Black Violin
  • Americana – Grégoire Maret, Romain Collin & Bill Frisell
  • Live At The Royal Albert Hall – Snarky Puppy – VENCEDOR

Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

5 filmes para você assistir na quarentena

Em comemoração do primeiro ano do site no ar, iremos listar 5 filmes que merecem ser vistos, ou revistos nesta época de quarentena. Segue abaixo:

1. O Poço (Netflix)

Sem dúvidas, está dando o que falar o novo filme da Netflix. Descrito como perturbador por muitos usuários, O Poço retrata detentos em uma prisão de andares, os quais os que estão acima, comem melhor dos que estão abaixo. É um filme que explora o caráter humano e até aonde sua loucura permite ir.

2. História de um Casamento (Netflix)

O filme que esteve presente no Oscar 2020, e tendo Laura Dern como vencedora de Melhor Atriz Coadjuvante, conta a história de um casal com complicações matrimoniais. Charlie (Adam Driver) Nicole (Scarlett Johansson) precisam lidar com um processo doloroso na iminência do divórcio.

3. 1917

O brilhante 1917 de Sam Mendes e ganhador de três estatuetas não iria ficar de fora da lista. 1917 se passa na Primeira Guerra Mundial, nos vastos campos franceses. Os cabos Schofield (George MacKay) e Blake (Dean-Charles Chapman) estão encarregados de levar uma mensagem para cessar um ataque inglês e salvar 1600 homens, após o alto escalão saber sobre a retirada estratégica alemã. É uma imersão total da Grande Guerra.

4. Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge

Com certeza, vale a pena (re)assistir o épico fechamento da Trilogia Nolan. Após 8 anos dos acontecimentos de Batman: O Cavaleiro das Trevas e a morte de Harvey Dent (Aaron Eckhart), Bruce Wayne (Christian Bale) vive nas sombras sem dar vida novamente ao Batman. Porém, tudo muda quando Bane (Tom Hardy) ameaça a cidade e consegue tomar seu controle, começando sua revolução em Gotham.

5. Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida

Sendo um dos grandiosos filmes de Steven Spielberg com Harrison Ford no papel, Os Caçadores da Arca Perdida explora o arqueólogo Henry Jones Jr (Harrison Ford) em busca da Arca da Aliança, a qual contém os Dez Mandamentos escritos por Moisés. Como diz a lenda, se um exército tê-la será invencível, Indiana Jones terá um grande adversário: Adolf Hitler.


A quarentena pode ser ainda mais produtiva caso você queira rever seus filmes favoritos, ou mesmo, apreciá-los. Neste primeiro ano do site, agradecemos a quem sempre está conosco. Iremos ainda trazer muitas outras recomendações, variando de quadrinhos, games, séries e animações.

Lembrando, fique em casa, para o seu bem, o bem dos seus familiares e da população.

“Por que caímos? Para aprendermos a nos levantar.” – Alfred, em Batman Begins.

Crítica: 1917

Aviso: Crítica sem spoilers!


A Grande Guerra vista de perto.


O mais novo filme de Sam Mendes, com 10 indicações ao Oscar, e tendo levado 3 estatuetas, é uma bela façanha de produção e eficácia num longa que trata de guerra. A percepção do diretor acerca do assunto, fez com que muitos fãs de filmes de guerras e historiadores, mergulhassem num ambiente brutal e épico que é 1917.

Em tempos mais modernos no cinema, ver uma produção de guerra em grande escala não é tão difícil. Filmes biográficos de heróis como Até o Último Homem, ou de um clima mais tenso e pesado como Dunkirk. Porém, é, de fato, difícil ver grandiosas produções da Primeira Guerra Mundial. Uma mais recente foi Mulher Maravilha, mas convenhamos, não é um filme de guerra como de costume. A ação de 1917 começa logo nos primeiros 10 minutos. Não há parada parada para descanso.

Os dois protagonistas do começo, Cabo Schofield (George MacKay) e o Cabo Blake (Dean-Charles Chapman), tem a missão de levar uma mensagem do General Erinmore (Colin Firth) para cessar um ataque contra as tropas alemãs em Croisilles. Uma única carta teria de salvar 1600 homens do Coronel Mackenzie (Benedict Cumberbatch), entre eles o irmão de Blake. Com a confirmação do recuo alemão no Front Ocidental, os Cabos ingleses logo partiram para a longa jornada. O recuo das tropas alemãs era apenas uma tática para que os ingleses caíssem na armadilha. A chamada Operação Alberich consistiu na retirada estatégica alemã para a Linha Hindeburg, que era mais curta e em nova posição, facilitaria a defesa contra a Entente em território francês.

MV5BYjVjNWYwMDUtNTgzMy00OTMyLTkzMjctM2YwMzYzNDA4NThkXkEyXkFqcGdeQXVyNzg0ODMwNDg@._V1_SX1777_CR0,0,1777,755_AL_

Numa mistura de real com originalidade, o diretor molda o roteiro em cima das histórias de seu avô, este que esteve em trincheiras e por muitas vezes foi mensageiro. Na mesma medida, ele traz o trabalho do avô para o filme, fazendo do protagonista um mensageiro improvisado que corre contra o tempo.

Enquanto Blake e Schofield atravessavam a Terra de Ninguém, tivemos um lindo vislumbre do ambiente, das trincheiras e de tudo que uma guerra proporciona. Corpos de soldados, ratos, armas destruídas, campos enlameados com poças d’água e um dia nublado, para manter ainda mais o clima pesado. Os movimentos da câmera nos permitiam ver tudo, até os mínimos detalhes. A câmera sempre seguia os protagonistas, não desviando nenhuma vez. Sem cortes de cenas, mantendo um plano-sequência contínuo, Roger Deakins consegue manter o espectador sempre de olho no filme, para que nenhum detalhe da trama escape.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Assim como na cinematografia, Deakins cuidou da fotografia de forma minuciosa, usando cores mais escuras ao decorrer do filme, para transmitir a dor e a tragédia de uma guerra. Em momentos mais oportunos, usava cores quentes, mas não com tanta frequência. A montagem de Lee Smith e o design de produção de Dennis Gasner contribuíram de forma espetacular. Faz com que quem está vendo, se sentir dentro da Grande Guerra, combatendo as forças inimigas na França. Num todo, a escolha do ambiente para as filmagens, e sempre em dias mais nublados, ajudou muito no processo final.

MV5BZjc4MWY5ZmUtN2YxMy00Yzc3LTgxZDUtYTJlNDBmNjgwMzBiXkEyXkFqcGdeQXVyNzgxMzc3OTc@._V1_SX1777_CR0,0,1777,744_AL_

A direção tensa de Mendes proporcionou muitos momentos de suspense e angústia. Após uma cena de tiroteios e o total apagar das luzes, a cena de fuga precisou um pouco de abafo para acalmar os espectadores. Foi nesta cena que Schofield descobre o caminho certo para a conclusão da missão. Não demorou tanto assim para a ação começar novamente, e já se encaminhando para o final do filme.

O final estrondoso, em meio a trincheiras com centenas de soldados entrando para o ataque contra os alemães, desfaz do momento calmo de uma canção inglesa dos soldados, para construir o maior momento do filme. Tudo parecia acabado para Schofield, até que os soldados fazem algumas perguntas e depois afirmam ser os Devons, o pelotão que o Cabo tem a missão de salvar. Era nítido a exaustão do soldado na reta final. Mesmo ferido, ele seguiu seu caminho. E é aí que a excepcional trilha sonora de Thomas Newman entra na discussão. A mistura de drama, suspense, epicidade e heroísmo em uma apenas uma faixa torna a trilha de 1917 uma das melhores de filmes de guerras já feitas, se não a melhor. E também uma das melhores do ano, que deveria muito bem reconhecida. Não só Sixteen Hundred Men como destaque, mas Gehenna e Night Window conseguem ser tensas e com momentos de suspense. Newman acerta numa trilha sonora espetacular, misturando paz, tragédia, medo, suspense, angústia e tensão para formar a épico que o 1917 precisava.

Na trincheira, o cansaço evidente de Schofield parecia ter sido deixado de lado e substituído pela persistência. MacKay mostrou até aonde vai os limites do ser humano, forçando o físico ao máximo para alcançar o objetivo. O medo nos olhos de alguns soldados, a raiva e o desespero de comandantes torna o plano-sequência final glorioso. No meio de explosões e de soldados machucados, o Cabo perfilava seu caminho até o Coronel, para cessar o ataque. Tendo 30 segundos e 270 metros, para entregar a mensagem, Schofield teria de passar no campo aberto. E é o ponto máximo do filme, mostrando até onde o homem pode chegar. Com certeza, a travessia do Cabo com a trilha ao fundo, fez com que a cena fosse a melhor do filme e uma das mais incríveis de todos os tempos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

George MacKay e Dean-Charles Chapman se entregaram para seus personagens. A atuação magnífica por parte de MacKay, tornando seu personagem icônico e tão realista quanto, sentindo medo, desafiando seus limites e tendo a mais pura força de vontade, além da saudade que o cerca no final, pensando no tempo que iria voltar a ver quem ama.

1917, por sua vez, recria e explora o momento mais sombrio da humanidade. A Grande Guerra, que devastou o mundo, com massivos ataques, tecnologia absurdamente avançada, recriou territórios e redesenhou o mundo moderno, é a prova de que não deve ser esquecida pela sétima arte. Um conflito horrível e pesado, que merece mais atenção dos estúdios, enquanto estes produzem obras sobre a Segunda Guerra Mundial, saturando um tema tão batido, e fazendo a Primeira Guerra Mundial cair no abismo do esquecimento.


Veredito

1917 documenta uma das mais devastadoras das guerras de forma jamais vista nos cinemas. O drama épico de guerra usufrui de todos os elementos necessários para uma produção de grande escala, trazendo à tona, um realismo absurdo e uma humanidade inquestionável por parte dos protagonistas. Com um plano-sequência invejável, não se perde os mínimos detalhes com o passar do longa. O ambiente em que foi filmado, faz com que o espectador fique imerso na batalha durante todo o filme, sem perder o foco por um segundo. A fotografia impecável, torna ainda mais sombrio e tenebroso o clima da obra.

Com uma trilha sonora e uma atuação majestosa e cheia de tensão, 1917 explora o drama de soldados entrincheirados, temendo o que vai acontecer depois. Sam Mendes mostra o quão persistente e humano o homem consegue ser, mesmo num ambiente tão desumano.

10/10.

Oscar 2020: Confira os vencedores da 92° cerimônia do Oscar

Hoje aconteceu a 92° cerimônia do Oscar, ocorrida em Los Angeles, e reuniu os melhores do ano de 2019. Foi uma linda cerimônia, que contou com diversas atrações musicais e os mais renomados atores e atrizes para a apresentação.

A abertura de Chris Rock e Steve Martin soltou risadas em toda a platéia, que se entreteu ao longo do Oscar. Não só ambos, mas Kristen Wiig e Maya Rudolph fizeram muito bem suas interpretações no palco. O carisma imenso de Gal Gadot também esteve presente, junto de Brie Larson e Sigourney Weaver.

“Todas as mulheres são super-heroínas”, disse Weaver.

Um dos momentos mais fofos e que também gerou revolta na internet, foi Shia LaBeouf junto do ator Zack Gottshagen, que tem Síndrome de Down. A dupla atuou em The Peanut Butter Falcon, e apresentaram a categoria de Melhor Curta. LaBeouf, mesmo ajudando Zack a abrir o envelope, dando uma leve risada, anunciou o melhor vencedor da noite, cortando seu colega. Isso gerou tanta polêmica por parte dos internautas, principalmente os americanos.

Mas, a cerimônia de 2020 pode ficar marcada para sempre, com agradáveis surpresas no palco. Parasita leva 4 estatuetas para casa, deixando 1917 para trás com 3. Já Brad Pitt, levou seu primeiro prêmio com Era uma Vez em Hollywood.

Também, tivemos a terceira mulher a ganhar o Oscar de Melhor Trilha Sonora, batendo nomes de peso como John Williams, renomado compositor e Thomas Newman. Hildur Guđnadóttir, ganha mais um prêmio, após ser a primeira mulher a ganhar o BAFTA e o Globo de Ouro, sendo aplaudida de pé.

“Para as meninas, às mulheres, todas vocês por aí: nós precisamos ouvir a voz de vocês.”

Uma das maiores surpresas foi também as 10 indicações ao Oscar de O Irlandês, incluindo a de Melhor Filme, e não ter ganho em nenhuma categoria.

Porém o momento mais marcante, e com toda certeza emocionante, foi o discurso de Joaquin Phoenix, que venceu por Melhor Ator, fazendo o famoso vilão Coringa. Seu discurso emocionou muitos, o fazendo seu muito aplaudido após receber seu primeiro Oscar. O ator terminou o discurso, lembrando de seu irmão, River Phoenix, falecido em 1993 aos 23 anos.

Quando ele tinha 17 anos de idade, meu irmão escreveu uma música em que dizia ‘vá ao resgate com amor, e a paz o seguirá’.

Confira a lista dos vencedores abaixo:


 

Melhor Ator Coadjuvante

Vencedor: Brad Pitt (Era uma Vez em… Hollywood)

Indicados: Tom Hanks (Um lindo Dia na Vizinhança), Joe Pesci (O Irlandês), Al Pacino (O Irlandês) e Anthony Hopkins (Dois Papas)

Melhor Filme Animado

Vencedor: Toy Story 4

Indicados: Como Treinar Seu Dragão 3, Lost My Body, Klaus e Link Perdido

Melhor Curta Animado

Vencedor: Hair Love

Indicados: DCERA (Daughter), Kitbull, Memorable e Sister

Melhor Roteiro Original

Vencedor: Parasita

Indicados: 1917, História de um Casamento, Era uma Vez em… Hollywood e Entre Facas e Segredos

Melhor Roteiro Adaptado

Vencedor: Jojo Rabbit

Indicados: O Irlandês, Coringa, Adoráveis Mulheres e Dois Papas

Melhor Curta Metragem

Vencedor: The Neighbors’ Window

Indicados: Brotherhood, Nefta Football Club, Saria e A Sister

Melhor Design de Produção

Vencedor: Era um Vez em… Hollywood

Indicados: O Irlandês, Jojo Rabbit, Coringa e Adoráveis Mulheres

Melhor Figurino

Vencedor: Adoráveis Mulheres

Indicados: O Irlandês, Jojo Rabbit, Coringa e Era Uma Vez em… Hollywood

Melhor Documentário

Vencedor: American Factory

Indicados: The Cave, Democracia em Vertigem, For Sama e Honeyland

Melhor Documentário em Curta Metragem

Vencedor: Learning to Skateboard in a Warzone (If You’re a Girl)

Indicados: In The Absense, Life Overtakes Me, St. Louis Superman e Walk Run Cha-Cha

 

Melhor Atriz Coadjuvante

Vencedora: Laura Dern (História de Um Casamento)

Indicadas: Kathy Bates (O Caso Richard Jewell), Scarlett Johansson (Jojo Rabbit), Florence Pugh (Adoráveis Mulheres) e Margot Robbie (O Escândalo)

 

Melhor Edição de Som

Vencedor: Ford vs Ferrari

Indicados: 1917, Coringa, Era uma Vez em… Hollywood e Star Wars: A Ascensão Skywalker

 

Melhor Mixagem de Som

Vencedor: 1917

Indicados: Ad Astra, Ford vs Ferrari, Coringa e Era uma Vez em… Hollywood

 

Melhor Fotografia

Vencedor: 1917

Indicados: O Irlandês, Coringa ,O Farol, Era Uma Vez em… Hollywood

 

Melhor Montagem

Vencedor: Ford vs Ferrari

Indicados: O Irlandês, Jojo Rabbit , Coringa e Parasita

 

Melhores Efeitos Visuais

Vencedor: 1917

Indicados: Vingadores: Ultimato, O Irlandês, O Rei Leão, Star Wars: A Ascensão Skywalker

 

Melhor Maquiagem e Penteado

Vencedor: O Escândalo

Indicados: Coringa, Judy, Malévola – Dona do Mal e 1917

 

Melhor Filme Estrangeiro

Vencedor: Parasita (Coréia do Sul)

Indicados: Corpus Christi (Polônia), Honeyland (Macedônia do Norte), Os Miseráveis (Polônia) e Dor & Glória (Espanha)

 

Melhor Trilha Sonora Original

Vencedor: Coringa (Hildur Guđnadóttir)

Indicados: Adoráveis Mulheres (Alexandre Desplat), História de um Casamento (Randy Newman), 1917 (Thomas Newman) e Star Wars: A Ascensão Skywalker (John Williams)

 

Melhor Canção Original

Vencedor: Rocketman – “(I’m Gonna) Love Me Again”

Indicados: Toy Story 4 I Can’t Let You Throw Yourself Away”
Superação: O Milagre da Fé – “I’m Standing With You”
Frozen II – “Into The Unknown”
Harriet “Stand Up”

 

Melhor Diretor

Vencedor: Bong Joon-ho (Parasita)

Indicados: Quentin Tarantino (Era uma Vez em… Hollywood), Martin Scorsese (O Irlandês), Sam Mendes (1917) e Todd Phillips (Coringa)

 

Melhor Ator

Vencedor: Joaquin Phoenix (Coringa)

Indicados: Antonio Banderas (Dor & Glória), Leonardo DiCaprio (Era uma Vez em… Hollywood), Jonathan Pryce (Dois Papas) e Adam Driver (História de um Casamento)

 

Melhor Atriz

Vencedora: Renée Zellweger (Judy)

Indicadas: Saoirse Ronan (Adoráveis Mulheres), Cynthia Erivo (Harriet), Scarlett Johansson (História de um Casamento) e Charlize Theron (O Escândalo)

 

Melhor Filme

Vencedor: Parasita

Indicados: Ford vs Ferrari, O Irlandês, Jojo Rabbit, Coringa, Adoráveis Mulheres, História de um Casamento, 1917 e Era uma Vez em… Hollywood


Um ano de surpresas, acertos e decepções. O Oscar 2020 ficará marcado como uma das mais semblantes cerimônias de todos os tempos. Esperamos que mais cerimônias como esta, venham em outros anos.

‘1917’ ganha trailer repleto de ação

Ontem (3), na New York Comic-Con, a Universal Studios liberou o trailer do filme de guerra ‘1917’. Veja abaixo:

Sinopse: “Em um dos momentos críticos da Primeira Guerra Mundial, dois soldados britânicos Schofield (MacKay) e Blake (Chapman) recebem uma missão aparentemente impossível. Em uma corrida contra o tempo, os soldados devem cruzar território inimigo e entregar uma mensagem que cessará o ataque brutal de milhares – entre eles, o irmão de Blake.”

A direção ficará nas mãos de Sam Mendes, que co-escreveu o roteiro ao lado de Krysty Wilson-Cairns. Steven Spielberg ficará como produtor. O longa teve um orçamento de US$ 100 milhões.

‘1917’ ainda traz nomes de peso, como Benedict Cumberbatch (Doutor Estranho) e Mark Strong (Shazam).

O filme estreia dia 25 de dezembro nos EUA. No Brasil, chegará apenas dia 20 de fevereiro de 2020.