Crítica: Alien – Isolation (2014)

O jogo que a franquia precisava.


Lançado em 2014, Alien: Isolation foi o jogo que renovou a franquia Alien, já que seu antecessor, Aliens – Colonial Marines foi duramente criticado por problemas na IA e bugs. Mas a Creative Assembly e a Feral Interactive aprenderam com os erros de seu antecessor, e as duas desenvolvedoras resolveram fazer um jogo com a cara da franquia Alien, um survival-horror de qualidade, que me garantiram várias e várias horas de medo e tensão, assim como o filme de 1979 proporcionou ao público.

E já que falei sobre o clássico filme de 1979, o jogo não transmite apenas os mesmos sentimentos do longa, mas também tem uma ambientação que faz com que o jogador se sinta na própria nave da Nostromo. Uma bela experiência para os fãs mais nostálgicos, que junto com os gráficos fantásticos, proporcionam uma experiência inesquecível para os fãs do gênero.

SFS038-Alien09alien-isolation-ambientação-do-primeiro-filme

E finalmente, o enredo. Bem, Alien Isolation se passa 15 anos após os acontecimentos de Alien: O Oitavo Passageiro. A História acompanha Amanda Ripley, filha de Ellen Ripley, que está desaparecida desde o fim do primeiro filme. A busca de Amanda por respostas leva a personagem até a estação espacial Sevastopol, porém, ao chegar, ela descobre que o local foi invadido por algum tipo de Alien que causou uma verdadeira carnificina. E se não bastasse isso, Ripley acaba perdendo o contato com a nave que trouxe ela e sua equipe para a Sevastopol. E claro, além do próprio Alien, os sintéticos da Segson e alguns humanos, que também querem fugir do local, dificultam a vida da Amanda em sua busca por respostas e também pela fuga da estação.

Não citei muitos detalhes sobre a campanha, porque não quero dar nenhum grande spoiler sobre o enredo do game, mesmo que Alien Isolation tenha sido lançado em 2014, tenho certeza que nem tinha um videogame ou PC para jogar essa obra prima. Bem, agora sobre a gameplay do jogo.

Como eu disse no início do texto, Alien Isolation é um survival -horror, e como um bom jogo do gênero, sua gameplay acaba gerando bastante tensão no jogador, porque você nunca sabe quando o Alien vai aparecer, e também não sabe se tem algum sintético ou humano para te atrapalhar numa possível fuga. É essencial ser o mais stealth possível, porque além de ser extremamente mortal e quase invencível, a criatura também possui uma ótima audição, o que permite que ela possa ouvir sua respiração enquanto você se esconde num armário, ou quando você corre e também, quando ataca um inimigo e até quando você usa um dos telefones de emergência para salvar o jogo. Sorte que ser stealth no game é bastante simples, já que a personagem principal não é nenhum zé ninguém, Amanda Ripley é uma engenheira, e ela utiliza todos os seus conhecimentos para salvar sua pele e tentar matar o monstro.

Outro fator muito interessante é o fato de que o jogo possa ser finalizado sem precisar matar nenhum NPC, essas palavras são do designer principal do game, Gary Napper:

“Sentimos que isso seria algo que o personagem faria. Nós estamos falando sobre membros da família Ripley [protagonista dos filmes], e eles não são pessoas que matam outros civis ao menos que seja necessário”, falou Napper, que também comentou sobre os encontros com outros humanos. “Além dos aliens, a nave estará cheia de humanos. Esses momentos também serão muito tensos.”

Outro fator que deixa a experiência do jogo ainda mais tensa, é a própria trilha sonora, já que ela vai mudando de tom quando o Alien se aproxima, te deixando com cada vez mais medo de prosseguir e te dando mais vontade de abandonar esse espaço assustador e retornar ao GTA. Porém, a trama principal te prende e não deixa você sair, porque a curiosidade de zerar o jogo e chegar a conclusão da história supera todos os medos.

Mas, mesmo com uma trama muito bem desenvolvida, o jogo se torna um pouco maçante, já que algumas fases são apenas para “encher linguiça”, vendo que em vários momentos eles poderiam ter simplesmente finalizado a história principal. Mas ao ao invés disso, o jogo te apresenta cada vez mais personagens e subtramas, sendo que seu objetivo inicial era simplesmente escapar daquele inferno chamado Sevastopol.

Outro ponto negativo é o uso excessivo do Alien, com a criatura aparecendo a cada 30 segundos, isso tira um pouco do fator surpresa que o jogo te vende no início da trama, quando você não faz ideia do que está te seguindo. E como o game foi baseado no primeiro filme, eles poderiam ter maneirado no uso Alien e criar uma tensão semelhante ao do longa de 1979. É que claro que não poderiam ter descartado essa figura aterrorizante, mas se ele tivesse aparecido em momentos específicos do game, a experiência seria um pouquinho mais angustiante.

Veredito

Fora esses dois pontos, Alien Isolation é quase perfeito, seja pela ambientação, pela trama, gameplay e pelos próprios gráficos que são uma beleza.

9/10.


Quer receber mais conteúdos como este? Nos ajude a manter o site sempre atualizado!

Uma vez
Mensal
Anual

Faça uma contribuição única

Faça uma contribuição mensal

Faça uma contribuição anual

Escolha um valor:

R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00
R$5,00
R$30,00
R$100,00

Ou insira uma quantia personalizada:

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

ContribuirContribuirContribuir
Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s