Review: Legends of Tomorrow (5×01)

Alerta: SPOILERS! Desça e leia por sua conta e risco.


“Conheça as Lendas.”


Após o término de mais um crossover sem todos da equipe, as Lendas voltaram a brilhar em seu primeiro episódio pós-crise, mudando de forma geral muitas coisas da Waverider.

Tudo começa com uma equipe cinematográfica na nave, acionada pelo senador, para que não corte as verbas, enquanto Sara (Caity Lotz), Ray (Brandon Routh) e Mick (Dominic Purcell) estão ajudando os heróis contra o Anti-Monitor. A produção de cinegrafistas estava gravando o cotidiano dos membros da nave, além de irem juntos em missões. Os membros se tornaram famosos, como nunca antes. Poderiam, de fato, serem reconhecidos como heróis.

O primeiro deslize de Ava (Jes Macallan) e as outras lendas, foi logo quando os salvadores do Multiverso voltaram. Sara, foi a única que não aprovou de imediato, ainda estando de luto pela morte de Oliver (Stephen Amell). Não demorou muito para a equipe sair em missão, indo para a Rússia Imperial encolher o problema, – tentativa do bordão de Ray – que era o místico Grigori Rasputin (Michael Eklund). Na última temporada, Astra (Olivia Swann) libertou as almas de famosos personagens históricos, e Rasputin foi um deles, este que alegava ser imortal.

Enquanto as Lendas não o encontravam até acertar um plano Nate (Nick Zano), tomou providências em falar ao diretor sobre a vida de Rasputin. Logo, teve a brilhante ideia de impedir que Yusupov fosse morto pelo místico. O plano A falhou, e tiveram de improvisar, fingindo que iriam entrevistá-lo. Ray e Nate não esperavam que outros da equipe tinham seus planos pra derrubá-lo também, e todos os planos fracassaram. Foi nesta ida que Nate tenta adivinhar o nome da mulher que amou, e deixou um vazio imenso após desaparecer, tudo devido as eventos da Crise.

Com a derrota das Lendas, sem o consentimento da Sara, iniciou uma das cenas mais emocionantes da série. Lotz passou toda a emoção e tristeza que pôde, fazendo dos primeiros 25 minutos divertidos, em tensão. Com isso, a equipe ficou dividida, e Sara, junto do novo integrante, Behrad (Shayan Sobhian), voltaram a casa de Rasputin disfarçados para que não vingue seu plano, que era matar a família Romanov.

O plano de Sara logo foi posto em prática, e também, sido descoberto. A equipe chegou para ajudar na batalha, e vendo que estava perdendo, Rasputin consegue controlar alguns membros da Waverider para matar os Romanov. É aí que a fatídica cena do Átomo acontece. Sara o pega do chão, encolhido e joga contra a boca de Rasputin. No interior, Ray volta ao seu tamanho normal, espalhando vários pedaços do místico por toda parte, além de achar seu bordão: “tamanho importa!”. Após o incidente, as Lendas desmentiram tudo o que estava sendo visto no documentário aos espectadores.

Em meio a vitória e comemoração, Constantine (Matt Ryan), que esteve cuidando de casos sobrenaturais, aparece repentinamente na nave para voltar ao Inferno, sabendo que Rasputin já tinha sido “morto” pela equipe. O inglês tinha o intuito de voltar para o Reino de Hades. Após beber do sangue do russo, entrou no círculo, ateou fogo no pó mágico e voltou para o Inferno para acabar com todas as almas que foram soltas.

A outra cena em questão foi de Nate, que estava tentando lembrar quem era a mulher que ele perdeu. Gideon (Amy Pemberton), reprisou o momento em que Zari (Tala Ashe) some. Um holograma aparece, sendo este de Zari. Em instantes, após a mensagem, o holograma se desfaz e Gideon limpa a memória, deixando o Gládio em dúvida ainda de quem era a mulher.


Veredito

Meet The Legends demonstrou o quanto pode equilibrar o apelo cômico, emocional e dramático num episódio só. Brandon Routh era o alívio cômico – coo sempre – com suas frases de efeito não tão efeito assim. Lotz e Zano foram o apelo emocional do episódio, mostrando o quão duro é amar alguém ou ter como um amigo, enquanto se é herói. Quanto a Matt Ryan, o Constantine, que pouco apareceu, consegue atuar de forma brilhante e direta. É como se tivesse saído de um quadrinho.

Ao que parece, o desenrolar da trama vai tomando forma, com os acontecimentos da quarta temporada e do pós-crise. Legends of Tomorrow se encaminha mais uma vez para a solidez.

10/10.

3 comentários em “Review: Legends of Tomorrow (5×01)”

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s